Uma parábola esquecida

O tema é até comum. A abordagem, um pouco distinta talvez. Então, sigamos juntos para o contexto.

Jesus vinha caminhando e aproveitava cada instante para ensinar os seus discípulos e quase sempre escolhia as parábolas para esse fim.

Aliás, o que é uma parábola? Alegoria usada para transmitir uma mensagem, em regra, narra fatos naturais ou acontecimentos possíveis. É, por assim dizer, metáfora capaz de declarar verdades. Como toda metáfora, a parábola pode ou não ser suficiente. Vejamos a que se segue:

A caminhada de Jesus foi interrompida por uma multidão de pessoas que se reuniu à sua volta. Foi quando, em Lucas 13, resolveu convidar todo o povo a se arrepender. Alguns que ali estavam lembraram Jesus de duas situações nas quais homens galileus morreram. A primeira delas referia-se à execução ordenada por Pilatos  de uns poucos que se rebelavam contra Roma e a segunda tratava-se da queda da torre de Silóe que matou 18 que trabalhavam para Roma na construção de um aqueduto.

Em seguida, Jesus questionou os presentes: “Vocês pensam que esses galileus eram mais pecadores e mais culpados por terem sofrido daquela maneira do que todos os outros que habitam em Jerusalém?”

O que Ele queria afirmar? Apenas que se não se arrependessem, todos de igual modo morreriam (v. 5). Para os cristãos resta-nos a promessa de não perecer (Jo 3.16 e 5.24).

E, então, a parábola:

Um homem tinha uma figueira plantada em sua vinha. Foi procurar fruto nela, e não achou nenhum.Por isso disse ao que cuidava da vinha: ‘Já faz três anos que venho procurar fruto nesta figueira e não acho. Corte-a! Por que deixá-la inutilizar a terra? Respondeu o homem: ‘Senhor, deixe-a por mais um ano, e eu cavarei ao redor dela e a adubarei. Se der fruto no ano que vem, muito bem! Se não, corte-a’ .

No Antigo Testamento, uma árvore frutífera era símbolo de uma vida reta (Salmos 1.3 e Jr. 17.7;8). Aqui Jesus indica o que acontece com o tipo contrário de árvore, aquela que tomou tempo e espaço valioso e nada produziu para o paciente Jardineiro. Contudo, Deus não tolera para sempre a falta de produtividade! É o que vemos João Batista dizer em Lc 3:9.

Para eu e você…Onde nos encontramos? Se for no último ano, amigo, peça a Deus que adube a terra e faça a opção de dar em troca ações que agradem Àquele que nos confere tratamento especial.

 

Gabriel Lazarotti

Sobre Gabriel Lazarotti

Redimido pelo amor de Deus. Discípulo de Jesus que segue por este Caminho. Um sincero apreciador da criação. Pretenso poeta todo o tempo, advogado e músico nas horas vagas.

7 comentários sobre “Uma parábola esquecida

  1. É realmente muito forte essa parábola.
    Se não dou frutos, se não faço a vontade de Deus, estou aqui inutilizando a terra, i.e., gastando ar. Não tenho propósito. Fomos criados para dar frutos.
    Obrigada pelo post, Gabana!

  2. Muito válido o questionamento, gabana!! De alguma forma, independente da rotina, é possível que haja fruto. Também concordo com a Ana, Deus nos fez para dar frutos. As vezes falta coragem, confiança, as vezes o que falta nem é fácil de detectar…há diversas formas de serví-Lo, estamos apto a desempenhar várias, e há A forma de servir, de acordo com o talento de cada um. Acredito ser importante, todos nós, orarmos para que vislumbremos a que somos chamados e para transpormos as dificuldades/obstáculos para o servir…

    Posso melhorar…

    Obrigado Gabana…

    Abração

  3. Gostei da parábola e também do questionamento, Super Gabriel! Me fez lembrar dos seguintes dizeres de Jesus: “A cada um segundo as suas obras…”

    Um abração, mano!

  4. Super-super!!!! Que honra! Quando lhe mandei o link do OUTRAS FRONTEIRAS nem imaginava que vc fosse ler outros textos, mto menos comentar!

    Muito boa essa sua lembrança aí…com a ressalva de que as obras não podem trazer salvação, certo?

    Abraço brother! volte mais vezes!

  5. Super Gabrieeeeellllllllllllllll!!!!!! Içaaaa!!!!!! Valeu pelo comment aqui de cima. Aqui, como fiquei curioso para lembrar onde exatamente na Bíblia cita o trecho “A cada um segundo as suas obras”, eu procurei. Já que encontrei vou registrar aqui, somente a título de curiosidade:

    Mateus 16:27
    “Porque o Filho do homem há de vir na glória de seu Pai, com os seus anjos; e então retribuirá a cada um segundo as suas obras.”

    Romanos 2:6 (Vou citar abaixo os versículos 5 a 8 para melhor nos orientarmos acerca do contexto)

    5 Mas, segundo a tua dureza e teu coração impenitente, entesouras ira para ti no dia da ira e da manifestação do juízo de Deus;
    6 O qual recompensará cada um segundo as suas obras; a saber:
    7 A vida eterna aos que, com perseverança em fazer bem, procuram glória, honra e incorrupção;
    8 Mas a indignação e a ira aos que são contenciosos, desobedientes à verdade e obedientes à iniqüidade;

    Bem, é isso… Vou indo nessa… Abração, brother!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *