Um breve relato sobre meu inimigo e seu antídoto

Hoje tenho a alegria de informá-los que nossa sexta-feira recebe uma convidada mais do que especial. Minha admiração por ela já é antiga e sempre extrapolou os muitos quilômetros que nos separavam. O convite foi feito para que ela dividisse algo conosco aqui no Outras Fronteiras e, para minha surpresa, essa semana ela finalmente nos dará essa honra. Sem mais delongas, com vocês a nossa querida e mais nova mamãe, Tati Meirelles!!!

Antes de começar, quero dizer que estou com vergonha, não sou muito acostumada com esse tipo de ‘evidência’. No entanto, essa vergonha não é maior que a honra de estar aqui, de ter recebido um convite surpreendente feito por um amigo especial, em um momento tão despretencioso. O admiro em muitos aspectos e ele é um dos meus ‘selecionadores de palavras’ preferidos. Estar aqui é uma baita responsabilidade! Brigada, Du.

Pra quem não sabe, além de missionária em Alvo da Mocidade, sou psicóloga e, recentemente, sou mãe. Duas informações importantes, já que analiso comportamentos e sentimentos o tempo todo e vivo numa intensidade bruta desde que o pequeno nasceu, uma explosão [linda] de sentimentos.

Sempre fui uma pessoa que ‘pensa demais’. E já há algum tempo que Deus tem me avisado do perigo de ser assim, mas nunca entendi isso tão claramente como nos últimos quase oito meses.

Na vida com Deus, QUEM É O SEU MAIOR INIMIGO?

Logo quando a gente conhece a Cristo, talvez nosso maior inimigo seja a influência dos nossos amigos, da nossa família. Já passei por isso e se for o seu caso, resista.

Um pouco de maturidade, de alimento sólido e talvez o maior inimigo sejam os relacionamentos, os desejos mais carnais, a aceitação social, a descoberta da identidade. Resista!

E eu, há 15 anos vivendo com Cristo, descobri que o meu maior inimigo não é nenhuma influência externa. Já consigo filtrar o que ouço ou vejo, mas o que me destrói em segundos está do lado de dentro, conhecidos como pensamentos.

Como psicóloga que sou, sei a definição técnica de ansiedade e nesses quase oito meses, me auto diagnostiquei com ansiedade [das ‘brabas’], meus pensamentos desencadeavam em uma frequência insana e me destruiam em segundos.

Eu acordava crente, disposta a viver bem aquele dia e com o menor dos acontecimentos, já passava a pensar nas minhas incapacidades, na falta de flexibilidade, de confiança, de fé, de misericórdia, de esperança, de amor, de disciplinas, de tudo…em pouco tempo eu me tornava uma péssima mãe, amiga, filha, esposa, cristã, serva, mulher. Resumia o sonho de Deus pra minha vida a nada. Pura arrogância. Esses eram meus inimigos.

Do mesmo ‘pote’ que saiu o auto diagnóstico, veio também a técnica de combate [ufa’]: contra pensamentos destruidores, o antídoto são pensamentos de Amor Soberano!

Davi me ajudou a entender como combater meu maior inimigo:

“Porque fazes resplandecer a minha lâmpada; o Senhor, meu Deus, DERRAMA LUZ NAS MINHAS TREVAS.” (Salmos 18:28)

Se eu não souber exatamente qual o meu maior inimigo, quais as minhas ‘trevas’, não há chance de Deus derramar luz, não há chances de se combater o inimigo. Do mesmo modo que, para dor de cabeça o antídoto é analgésico, para o meu inimigo, o antídoto é o Amor Soberano que ilumina meus pensamentos.

Descobri que é necessário que meus pensamentos diminuam, para que Cristo cresça! [parafraseando João Batista]. Essa é a Luz nas minhas trevas!

Qual seu maior inimigo? Qual o seu antídoto?

Eduardo Victor

Sobre Eduardo Victor

Mineiro de Belo Horizonte, 33 anos, cristão e missionário em Alvo da Mocidade. Apaixonado pelas Escrituras, tornei-me um sonhador quando descobri que Deus pode nos surpreender com as coisas mais simples e inusitadas desta vida...

5 comentários sobre “Um breve relato sobre meu inimigo e seu antídoto

  1. Tati, parabéns pelo texto! Mto bom!

    Contribua conosco por aqui com mais frequência! Seria incrível!

    Bjos!

  2. Que ótima visita… Espero que essa visita seja frequente, nos trazendo outras reflexões.
    Essa primeira pergunta é fácil : Eu!
    O antídoto, poderia colocar o salmo 85:8 : “Ouvirei o que o Senhor Deus me disser.”

    Tati, obrigado pelas palavras!
    Abraço

  3. Obrigaada Gabana e Homero!!! De verdade!
    É um privilégio participar desse espaço tão especial e q tantas (e tantas) vezes foi instrumento de Deus pra mim! Quando quiser é só chamar, que eu tento selecionar as palavras! Hehe
    E é Homero, a resposta é sempre “Eu” né?

    Beijos

  4. Quando rotineiramente digito o site do OF, sou surpreendido com essa boa surpresa.
    Ótima reflexão! Se quiser nos visitar nas minhas quintas, o convite já está feito. bjo
    :smile:

  5. Du, faz a Tati escrever mais sobre o assunto. Não dê trégua, até conseguir mais! Muito me ajudou, obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *