Tribos

No livro de Efésios Paulo trabalha de forma sistemática um grande desafio de Deus aos homens: O desafio de trocar o antigo pelo novo. Uma nova vida (capítulo 2:1-10), uma nova humanidade (capítulo 2: 11-22), uma nova comunidade (capítulo 5:15-21), uma nova família (capítulo 5:22- 6:4). Gostaria de compartilhar sobre uma nova humanidade.

Vivemos em um mundo totalmente fragmentado, o homem pós-moderno busca pequenos grupos com os quais se identificam para descobrir nessa dinâmica social as “verdades” que servem para eles. Vemos, principalmente entre os jovens, o surgimento das chamadas tribos. Essas tribos se formam, criam leis próprias, vestimentas próprias, gírias (ou dialetos de acordo com os racionais) e acabam se fechando. Quando se fecham começam a definir mecanismos de defesas para sua sobrevivência e passam a ter outras tribos como adversárias. Esse tipo de atitude acaba gerando um grande muro de inimizade entre tribos, entre pessoas. Esse muro de inimizade é muito claro quando se pratica violência explicita contra outros grupos (ex.:neo-nazistas espancando homossexuais ou negros), mas ele é menos claro em grupos que inconscientemente praticam a indiferença, o gelo.

Fico triste de pensar que a tribo cristã (amplamente dividida por razões estúpidas na maioria das vezes) acaba se fechando também e se esquecendo a oração de Jesus em João 17: “Não rogo que os tires do mundo, mas que os protejas do maligno.”(v.15). Tentamos viver em bolhas, sem contato com os impuros, nos fechando com nossas práticas, gírias e hábitos.

Na época em que Paulo escreveu esse livro existia duas grandes tribos: Os judeus e os gentios. Todos que não estavam entre os judeus eram os impuros gentios e isso trazia uma grande divisão na região (e porque não no mundo da época, já que os judeus estavam espalhados por ele).Paulo fala que Cristo veio para destruir o muro de inimizade entre essas tribos: “Pois ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um e destruiu a barreira, o muro de inimizade”(Ef.2:14). Esse verso é verdadeiro! Me lembro de participar de um acampamento onde o evangelho seria proclamado para jovens que não tinham relação com Cristo. Eu era um dos responsáveis pela viagem e, quando vi a turma chegando pensei: “vamos ter problemas!” Durante uma semana teremos pagodeiros, discípulos de Bob Marley e punks convivendo em uma fazenda. Mas aquela semana foi marcante e maravilhosa, principalmente quando vi uma jovem (líder das punks e que tinha levado uma boneca com uns 15 piercings pelo corpo) aceitar Jesus e orar com uma pagodeira de carteirinha. Naquela hora vi que Cristo ainda continua derrubando muros de inimizade pelo mundo. Creio que temos a função, como seus seguidores, de desconstruirmos muros e construirmos pontes que levem as pessoas de qualquer tribo a conhecer seu verdadeiro criador!  Ao invés de nos fechar em uma enorme tribo deveríamos ser enviados às tribos de todo o mundo para construir essas pontes e apresentar um amor que vale a pena!

Você contribui com a construção de muros ou pontes? O que te impede de sair de sua zona de conforto e ser enviado para uma tribo?

Homero Castro

Sobre Homero Castro

Nome: Homero Resende Castro Nasci em 1979 em Belém do Pará, moro em Belo Horizonte desde 1989. Sou formado em História pela Universidade Federal de Minas Gerais. Desde 1999 trabalho como missionário na associação Alvo da mocidade. Eu e minha maravilhosa esposa, Camila temos duas filhinhas lindonas, Helena e Elisa, e uma sapeca cadela chamada Leona.

2 comentários sobre “Tribos

  1. Muito legal o post, amigão…
    É impressionante a capacidade que Jesus tem de quebrar os muros de inimizade…

    Grande abraço!!!

  2. Quem não constrói pontes, não quer conhecer o lado de lá. Construir pontes é uma necessidade, porque muita gente não conhece o lado de cá.

    Post muito legal e muito relevante.
    Valeu Homero.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *