Todos os dias

Eu vejo todos os dias. Quando cruzo a portaria de casa e enfrento a rua, lá está ele sentado no ponto de ônibus. Aguentou, certamente, o gélido da calçada por mais aquela noite e hesitou, igualmente neste dia, pedir ajuda. Elegeu o silêncio.

Não é propriamente um ator da dinâmica mundial, não é sequer coadjuvante. Não consta dos cadastros de pessoa física, nem tampouco figura o rol dos beneficiários do INSS. Porque nunca trabalhou. Ah…Se sua dor pudesse falar…Para ele não se distingue viver de existir, mesmo porque não sabe ao certo se existe.

É que todos os dias dou as costas, subo as escadas do ônibus que me leva à Faculdade e finjo não observar. Vai ver não existe mesmo. E o mais incrível é que inexiste esforço para se fazer notar, pois fica deitado ali, até que o Sol esquente os seus lombos.

Como se houvesse multiplicado, lá está ele no semáforo, mas dessa vez em maior número. Uns em cima dos outros, jogando bolinhas, desafiando a vida entre os carros e afrontando as leis da física. Nessa oportunidade a estratégia é outra. –Ei! Estou aqui! Seus rostos dizem. Pedem atenção, seu carinho, suas moedas. Nem mesmo os narizes de palhaço, a coreografia bem ensaiada e as chamas de fogo despertam para o óbvio. Suas existências. Como pode o invisível reivindicar visibilidade?

O dia passa e, enfim, a hora do almoço. Entro na fila que me leva ao deleite da refeição. Vejo-o entrelaçado aos pedaços de lã costurados, mal-dormidos. Os caixotes protegem-no da luz forte que lhe atrapalha o sono. É meio dia e o seu estômago nem sabe, porque se acostumou a andar vazio, já que nas 24 horas anteriores nada havia entrado por sua boca. Boca seca, pele seca, roupa rasgada. Eu não o considero, é normal. Sento a mesa, em seguida vou trabalhar.

Meus olhos e coração são sensíveis ao ser humano…

Gabriel Lazarotti

Sobre Gabriel Lazarotti

Redimido pelo amor de Deus. Discípulo de Jesus que segue por este Caminho. Um sincero apreciador da criação. Pretenso poeta todo o tempo, advogado e músico nas horas vagas.

12 comentários sobre “Todos os dias

  1. Nossa, muito bom.. Lembrei daquela moça loirinha que fica nos arredores da faculdade, todos os dias eu fico incomodada, mas poucas vezes paro. Achei que você fosse terminar falando que vê Jesus.

    Mt 25:34-40 > “Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo; Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me; Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e fostes ver-me. Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber? E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? ou nu, e te vestimos? E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te? E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes. “

  2. A principio me fez querer parar de ler por já saber do que se tratava…
    quando ja estava no meio me fez lembrar das tantas vezes que me questionei mas quase nada fiz…
    depois me fez chorar.

  3. Amigos! Obrigado pelos comentários. É o que realmente acontece cmg todos os dias. Acho que houve identificação, não é mesmo?

    Se alguem puder. Falei com Mateus, queria pensar em soluções coerentes pra isso. Sei lá, é mto triste não fazer nada. Abraços a todos

  4. A sensação de impotência é péssima!
    Fiquei com dó há alguns dias porque estava frio e essas pessoas dormem na rua e pensei que o verão bem poderia chegar logo, daí lembrei que no verão chove muito, não ia ajudar tanto.

    valeu por ter trazido o tema à tona.

    Sei de amigos na nossa comunidade cristã que querem começar a fazer algo. Inicialmente seria só um grupo de pessoas fechado, é um grande passo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *