O mito de Fausto – a humanidade e suas buscas

A humanidade já experimentou várias tentativas de chegar aos céus. Algumas delas bastante literais. É o exemplo da Torre de Babel. Outras intentavam alcançar alguns de seus predicados. Viver o céu sem estar lá fisicamente. São várias as qualidades que relacionamos ao firmamento.

Mencioná-lo é lembrar, por exemplo, da divindade e sua morada, de tudo o que é sacro, daquilo que nos inspira poesia, do belo, do amor. Não é outra a razão para essa busca, senão que a firme atmosfera nos desperta inquietação e curiosidade. Seria a infinitude alcançada por nossos olhos.

Não é, porém, de amor que nós vivemos. Os interesses pessoais são a motivação da nossa existência. “Como posso conhecer o triunfo, se não identificar uma maneira de dominação?”, indagaria o mais desavisado. Domina quem deixa de ser mais um na multidão, enfim, o destacado alvo de cobiça. Outra dúvida surge logo. Como posso obter destaque? A resposta é a mais óbvia desde Sócrates, ou melhor, desde que dominamos o fogo. O CONHECIMENTO traz o que todos nós almejamos.

A engrenagem do conhecimento

Logos é a razão, a sabedoria, o conhecimento. Aí está mais um dos predicados do céu. Ou estou mentindo quando atribuo o conhecimento e a sabedoria ao firmamento? Conhecer é próprio do inventor. Quem é que sabe mais do motor do carro senão aquele que o projetou? Aí nos encontramos de vez na busca por alcançar outra qualidade dos céus.

Ora, é tão bom dominar. E, assim, vamos dando cada vez mais de nossas vidas a fim de ganhar o saber. Saber matemática e filosofia. Saber história do Brasil, história do mundo e química. Saber biologia, física, línguas. Não sei se é fato por todos conhecido, mas o momento em que vivemos é conhecido como pós-industrial ou ERA DA INFORMAÇÃO E DO CONHECIMENTO.

Sinceramente, não se pode negar que a famosa tragédia de Fausto (poema de Goethe) é o fiel retrato de nossos tempos. Esse personagem, misto de lenda e história, vendeu-se à Mefistófeles para superar o conhecimento existente em sua época. Conseguiu neste acordo, inclusive, viver 24 anos sem envelhecer.  Entregou-se ao saber, em sinal claro às suas pretensões. Era chamado Dr. Fausto, o típico título do prepotente. Levou a vida desonrosamente e, mesmo apaixonado, terminou num lugar que não gostaria de estar.

Os degraus, a maçã é o prêmio. Espera-se não seja podre.

Este é quem buscamos. O conhecimento que nos enobrece, porque divindade, ou porque a ele servimos como se divino fosse. Anseio ainda maior da humanidade é que, mesmo ávidos por logos, não sejamos todos objetos de uma “apostinha”, como Fausto, entre Deus e Mefistófeles, para conhecerem nossa reação diante dos desafios. Porque melhor sorte que Fausto, somente teve, que sofreu uma provação e saiu sem casa, sem família e sem saúde. No fim, porém, teve o dobro do que antes possuía.

Não perca o texto de amanhã. Daremos sequência as ideias iniciadas hoje.

Abraço e até amanhã!

Gabriel Lazarotti

Sobre Gabriel Lazarotti

Redimido pelo amor de Deus. Discípulo de Jesus que segue por este Caminho. Um sincero apreciador da criação. Pretenso poeta todo o tempo, advogado e músico nas horas vagas.

11 comentários sobre “O mito de Fausto – a humanidade e suas buscas

  1. Muito bom cara!
    Acho que passei um bom tempo sem comentar no Blog, mas depois deste Post fiquei muito “empolgado”, realmente acredito que o conhecimento pode nos trazer grande destaque!
    Mas em quais áreas esse destaque nos é benéfico? O que ele pode trazer?
    É muito difícil pensar nisso sem cogitar a ideia de orgulho, por isso estou ansioso pela seqüência! Haha!

    Grande Abraço!!

  2. Eu fico me perguntando, pq essa louca procura por conhecimento? o que isso traz de bom? porque o mundo tá assim, lucas?

  3. Tudo isso não passa de um pensamento supérfluo, e que as pessoas seguem de forma promissora. O mundo luta por um conhecimento que no final não vai importar de nada, e muitas vezes surge uma guerra por isso onde muitos são massacrados e outros acreditam que vão se axaltar por serem superiores nesse sentido. É claro que para “sobrevivermos” no mundo de hoje é indispensável termos certo conhecimento geral, mas existe apenas um conhecimento que deovemos buscar de forma incessante e que realmente é importante para nós!

  4. Verdade. Essa busca incessante por conhecimento ás vezes muda o nosso foco sem nem percebermos. E, como vcs disseram, é uma busca por algo só pq somos “pressionados” a saber, mas nem sempre tem objetivo, utilidade. Q isso não nos consuma! rs

    Gente, tb estou ansiosa pelos próximos posts! =)

    Boa semana!!!

    Abç

  5. Acho que se o Salomão(o homem mais sábio da história, com exceção de Jesus, é claro) desse a sua opinião, ele diria que conhecimento é algo que ele sabia muito bem o que é…

    “Disse comigo: eis que me engrandeci e sobrepujei em sabedoria a todos os que antes de mim existiram em Jerusalém; com efeito, o meu coração tem tido larga experiência da sabedoria e do conhecimento.” Ec.1:16

    A conclusão é fantástica:
    1º)Ele diz que buscar o conhecimento é uma grande vaidade e correr atrás do vento. (Ec.2:17)
    2º)Ele termina o livro de Eclesiastes, dizendo que buscar o conhecimento é uma verdadeira canseira.

    “Demais, filho meu, atenta: não há limites para fazer livros, e o muito estudar é enfado da carne.” Ec.12:12

    Ah, sobre o tema, eu tenho a mesma opinião do Salomão…

    Grande abraço, Gabana!!!

  6. Andei, andei, andei, andei….
    Cansei, cansei…Vc lembra, edu? rs
    Na verdade faz todo sentido isso. Correr atrás, acumular bagagem informativa e se apegar a isso. Essa é a garantia de vida melhor? Mais informação, então melhor vida. Mais dinheiro, mais conforto.

  7. é tudo vaidade.
    olho pro mundo e vejo uma busca incessante por conhecimento, para ganhar uma competição desenfreada de todos contra todos… e por quê? para quê? por que é que a ciência avança e o mundo não, p q as teorias se tornam cada vez mais sofisticadas e vão parar nas mãos daqueles que usam pra matar e destruir, fazer guerras, explorar os outros? por que permitimos que isso ocorra?

  8. Eu sei muito sobre esse assunto, mas não vou dividir o que sei pra vocês não conhecerem mais do que eu! hahahahahaha
    É ridículo, mas de forma mais sutil, é claro, isso acontece todos os dias e em todas as áreas do conhecimento.
    Quero ver onde essa sequencia de posts vai dar… começaram bem! =)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *