Tédio

Hoje é um dia especial! Tenho a grande honra de abrir espaço para um grande amigo, que aceitou o convite de postar essa semana. Admiração profunda seria uma boa expressão para descrever o que sinto por esse amigo.
Hoje o texto é do Pedro Pinho.

Um grande abraço!!!

Meu nome é Pedro, eu tenho 19 anos, sou de Brasília e me mudei pra BH faz mais ou menos um ano. Saí da casa dos meus pais e muitas coisas mudaram na minha vida. Hoje eu queria escrever um pouco sobre uma parte específica dessa minha jornada: o tédio.
Algo que você precisa saber sobre mim: não consigo passar muito tempo sem mudar as coisas. Sempre mudava algum móvel de lugar no meu quarto quando criança, sempre queria conhecer algum amigo novo, nunca ficava com as mesmas músicas no ipod por mais de uma semana. Então, quando cheguei na época de vestibular, pareceu muito óbvio pra mim que eu queria fazer faculdade fora. Com a devida aprovação dos meus pais, em julho desse mesmo ano eu cheguei em BH. Eu tinha apenas dezoito anos, vários sonhos na mala e uma grande falta de experiência. Eu só havia visitado Belo Horizonte uma vez e mal conhecia a cidade. Lógico que isso me animava muito. Cada esquina era nova, cada lugar era desconhecido e eu amava conhecer alguém novo praticamente todo dia. Tudo certo, tudo muito legal.
Passei um tempo morando com a família da Nara, que tão gentilmente me acolheu por dois meses. Depois desse tempo, aluguei um apartamento e fui morar sozinho. Outra experiência nova! Cá entre nós, morar sozinho tem suas vantagens. Posso ouvir música alto de noite, durmo a hora que quiser, não incomodo ninguém…Enfim, eu me diverti muito nos primeiros meses. Contudo, algo se fez presente nos meus dias: o tédio.  Nos primeiros seis meses eu não tinha internet nem tv a cabo. Meu dia se iniciava e acabava sempre do mesmo jeito, tudo igual. Ninguém pra conversar, nada pra fazer… Aquilo foi me incomodando. Mudar os móveis de lugar já não tinha a mesma graça… Não estou dizendo que internet e tv a cabo sejam essenciais na vida de alguém, mas que são bons passatempos, isso são. Comecei a me sentir entediado.
Mudar os móveis de lugar não funcionou, dar faxina mil vezes também não e eu quase que comecei a assistir “Vale a Pena Ver De Novo”. Nada disso teve nenhum resultado. Foi então que eu tentei procurar respostas em Deus. Como sempre, deu muito certo. Como eu sentia falta de alguém pra conversar, resolvi conversar com Deus. Pra minha surpresa, descobri que Deus tem um papo muito bom! Resolvi que eu não morava mais sozinho. Eu dividia apartamento com um cara bem legal, um rapaz chamado Jesus,  que eu convidei pra passar uns dias comigo. Todos os dias eu sentava e gastava um tempo contando meu dia e desabafando com o meu companheiro de quarto. Isso influenciou todo o resto. Resolvi incluir Jesus em todas as minhas tarefas diárias. Isso mudou tudo!
O que me cansava era a rotina. Fazer tudo de novo, no mesmo lugar, na mesma hora, da mesma forma. Que bom foi descobrir que, a partir do momento que eu comecei a tratar Jesus como uma presença real no meu dia, tudo se fazia novo! Cada nascer do sol tinha sido feito por Deus com o propósito de embelezar o meu dia, cada estranho na rua era alguém que Jesus amava, cada mínimo detalhe me mostrava algo a respeito do cuidado de Deus comigo. Tudo havia mudado? Pelo contário, eu ainda ia pro mesmo cursinho, pelo mesmo caminho, no mesmo horário. Só que agora eu estava prestando atenção. Lembrei-me de um texto do G.K. Chesterton que diz ” Deus é forte o suficiente pra se alegrar na monotonia. É possível que Deus diga a cada manhã para o Sol: ‘Faça novamente!’; (…) É possível que não seja uma necessidade automática que produza as margaridas iguais; pode ser que Deus crie todas as margaridas separadamente, mas Ele nunca se cansa de fazê-las” Deus tornava cada dia único. Não era uma ilusão de que tudo era maravilhoso, eu ainda tinha problemas e tristezas, mas prestar atenção no meu dia e conviver com Cristo abria os meus olhos pras pequenas coisas, que faziam toda a diferença…

Eu sou um fotógrafo e como tal, passo muito tempo pensando em imagens. A foto que ilustra esse post me fez pensar muito. Olhe bem pra ela. Imagine o dia que ela foi tirada. Um balão no meio da cidade cinza. É possível que eu (ou você!) me encontrasse na cidade lá embaixo dizendo “Que tédio. Dia chato, tudo cinza, tudo tão igual”. O fotógrafo me responderia: “Se você olhasse pro céu, voce pensaria diferente…”
Como tem sido os seus dias? Cheios de momentos de tédio? A resposta pode estar no céu…

Eduardo Victor

Sobre Eduardo Victor

Mineiro de Belo Horizonte, 33 anos, cristão e missionário em Alvo da Mocidade. Apaixonado pelas Escrituras, tornei-me um sonhador quando descobri que Deus pode nos surpreender com as coisas mais simples e inusitadas desta vida...

15 comentários sobre “Tédio

  1. Grande Pedrão!
    Eu sou muito grato ao nosso Pai, por ter o privilégio de conviver com você…
    Tem sido uma honra aprender com você, descobrir o que Cristo tem feito na sua vida e fazer com que os meus dias entediantes se tornem cheios de vida…
    Espero que você continue me ajudando a olhar para o céu, lembrando que a solução de tudo pode estar lá…

    Abração!!!

  2. Adorei! Não sabia que a gente era tão parecido, Pedro!!
    Bjos,
    Analu, que é de BH e agora mora “sozinha” em Campinas

  3. Muito legal Pedrão… Admiro muito sua coragem de “abrir mão” de um certo conforto em sua cidade para vivenciar novas experiências. Isso mostra muita maturidade… vemos muitos “adolescentes” de 30 anos que não conseguem sair da casa do papai, abrir mão da Tv a Cabo e da Internet, ou seja, pagar algum preço em busca de sonhos. Isso é admirável.

    Quanto ao tédio, pensei exatamente sobre isso hoje a tarde… a idéia de orar sem cessar e ter Jesus ao nosso lado o tempo todo…

    muito obrigado pelo post. abração

  4. Pedro….mt lindu o seu testemunho….adorei saber mais um pouquinho da sua vida e de vc!!! Sempre te achei mt jóia…..animado, empolgado, de bem com a vida! Sempre admirei isso em vc!! Essa sua ânsia por novidade, por mudar….entendo um pouco sobre isso!! rs. Parabéns fotógrafo, ficou ótimo!!

    “Resolvi que eu não morava mais sozinho. Eu dividia apartamento com um cara bem legal, um rapaz chamado Jesus, que eu convidei pra passar uns dias comigo.” =)

  5. Pe, vc tinha me contado sobre essa experiência já.
    Desde quando vc me contou eu fiquei com isso na cabeça me encomodando bastante, pois depender de Deus em tudo e principapmente como um amigo/conselheiro real, as vezes não é facil.
    Pensar nisso me faz ter vontade de ter um deserto só para mim, talvez eu lute por isso.
    O rjgado!

  6. Hehe meu comentário ta cheio de erros e isso me incomodou.. Então ja vou avisar que estou escrevendo de um ipod, o que as vezes causa uns erros..

  7. já comentei com vc pessoalmente né amigo!? ficou muito doido! bom saber dessas coisas mesmo que só pelo blog!

  8. Muito legal, Pedro! Lembrei do que falou o Faell no Festalvo sábado: “depois que percebemos “aquela” música, nunca mais queremos deixar de ouvi-la e… dançá-la.” Perceber a presença de Deus no nosso dia a dia é simplesmente maravilhoso! Parabéns!

  9. Amigo! Adorei seu post!
    Realmente nao ha nada melhor do que desfrutar da companhia do nosso querido Pai né?!
    Beijo e adoro voce aqui em Bh!

  10. Pedroooo a falta que vc faz é suprida pelo prazer e conforto de saber a sua firmeza em Cristo!! Vc ta no meu coração e admiro sua determinação (ops rimou), mas enfim amado
    sigamos firmes no Pai
    grande abraço de saudade
    direto de brasólia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *