Arquivo da tag: Trindade

Pais da Igreja – Tertuliano

Hoje falaremos do africano Tertuliano. Não conhecemos com exatidão as datas de seu nascimento e morte. Sabemos que seus escritos mais famosos são publicados a partir do ano 197.  Teve uma sólida formação filosófica, retórica, jurídica e histórica em Cartago. Falou sobre temas amplos do cristianismo. Dois deles saltam aos olhos, o primeiro o de contestar as gravíssimas acusações que os pagãos faziam contra o cristianismo. A outra a ênfase em comunicar a mensagem do evangelho em dialogo com a cultura do tempo. Além disso, Tertuliano dá um grande passo ao desenvolvimento do dogma trinitário, ao lançar termos como “uma substância” e “três pessoas”.

Mas gostaria de focar em uma questão mais pessoal de Tertuliano. Os biógrafos de sua vida demonstram que era um homem muito severo, e que, aos poucos , deixou a comunhão com a Igreja, aderindo à seita do Montanismo. O que o levou foram frustrações com pessoas, com a Igreja.

A grande característica de um grande teólogo é a humildade de estar com a Igreja, aceitando as fraquezas delas e compartilhando as próprias fraquezas. Um homem em ebulição, muito severo com as pessoas e consigo mesmo, acaba tendo sérios problemas de comunhão.

Vejo, em nossa sociedade individualista, muitos cristãos caindo no jogo , ao deixar de olhar para a cruz e tendo os olhos fitos nos pecadores.  Devemos criar o hábito de olharmos para a cruz, descobrindo descanso de nós mesmos e dos outros. Duro é carregar expectativas irreais sobre pessoas e a instituição Igreja. Muitos cristãos tem se tornado fechados, ressentidos, melancólicos e murmuradores….

Que tipo de vida tem levado?

Abraço e até a próxima

O Amante, o Amado e o Amor

Creio que a maioria dos problemas enfrentados por nós humanos são consequências de fraturas em relacionamentos. Todo ser humano busca amor, intimidade, comunhão, aceitação e sentimento de pertencimento. No entanto, o que vemos no mundo é indiferença, superficialidade, solidão, rejeição e divisão. Vemos isso com pais cada vez mais egoístas, imaturos e indiferentes com seus filhos. Filhos sem identidade de família, buscando intimidade em pessoas ou situações que não trazem essa identidade. Cônjuges vivendo superficialmente, sem nenhum tipo de intimidade, a não ser a física. Enquanto isso continuamos a seguir modelos falidos, vendidos pelas novelas, filmes e pela mídia e que levam nossa sociedade, cada vez mais, para um buraco cheio de carências, solidão e falta de sentido.

Como fugir disso? Para mim podemos, como cristãos, mudar nossa referência do último psicólogo que  deu sua opinião ¨cientifica¨ no fantástico ou do modo de viver do último mocinho da novela das oito para um relacionamento eterno e pleno. A trindade deveria ser o nosso modelo de relacionamento. Um relacionamento onde encontramos amor, intimidade, comunhão, aceitação e sentimento de pertencimento, ou seja, todos os antídotos para o mal de nossos relacionamentos sociais. Na trindade temos nosso Deus, o amante, na figura de um grande Pai que quer se relacionar com seus filhos em um relacionamento de amor e intimidade. Temos Jesus, o amado, na figura do Filho, um Filho pleno de aceitação, pertencimento, demonstrando tudo isso com honra e obediência a Seu Pai. Temos no Espírito Santo, o amor, a figura do cônjuge, aquele que se relaciona com o homem de forma mais intima, como uma só carne!

Creio que se conseguirmos mudar nossa referência de relacionamento para a trindade podemos transformar nossa vida, nossos relacionamentos e nossa sociedade. O que você precisa aprender com a trindade que impactaria sua vida e seus relacionamentos? Com qual das três facetas de nosso Deus trino você tem mais dificuldade de se relacionar: o Amante, o Amado ou o Amor?

Abraço e até a próxima!

E chega ao fim a primeira semana temática!

Olá amigos!

Chegamos ao fim da nossa semana temática sobre a Trindade. Como nosso primeiro projeto dessa alçada, creio que aprendemos e crescemos muito com a experiência. E foi muito bom escrever e ler sobre a Trindade, um tema tão difícil e pouco explorado. Quem ainda não leu, pode recapitular aqui e aqui o que foi dito sobre o Espírito Santo, aqui o que foi dito sobre Jesus e aqui, aqui e aqui o que foi dito sobre a Trindade como um todo.

E é com pesar que anunciamos, além da “baixa” que já tivemos, com a saída da Juliana Comparth por falta de tempo, que a partir de Dezembro teremos outra saída de grande peso (e de grande sensibilidade): a Carlinha. É que ela vai estar muito atarefada no ano que vem.

É isso, amigos! Esperamos que vocês estejam gostando dos textos e que continuem compartilhando conosco o que vocês pensam! Contamos também com sugestões para próximas semanas temáticas!

Um abraço do Outras Fronteiras!