Arquivo da tag: santidade

As marcas do Autor do livro preto

John Stott foi um dos maiores nomes da história da igreja cristã. Era pastor de uma igreja evangélica na doutrina e na teologia; e católica na liturgia e nos sacramentos, uma vez que era clérigo anglicano. Sua atividade intelectual foi muito intensa, tendo escrito centenas de livros e, apesar de ter sido vinculado a uma tradição específica, sempre esteve presente no hall de entrada da família cristã, ensinando sobre fundamentos comuns da fé.

Ontem li um capítulo do livro “O discípulo radical” de Stott e o que mais me impressionou foi a maneira simples como comunica verdades muito profundas. Talvez isso seja fruto de sua maturidade, já que o capítulo, daquele que foi provavelmente o seu último livro, foi escrito em seu 86º aniversário.

Em resumo, Stott faz as seguintes perguntas: qual é o propósito de Deus para o seu povo? O que vem depois da conversão? E logo responde: Deus quer que o seu povo se torne como Cristo, pois semelhança com Cristo é a vontade Deus para o povo de Deus.”

Ser como Jesus é envolve muitas coisas, mas poderíamos concentrar tudo em uma só palavra: santidade. Aliás, a vontade de Deus é a nossa santificação, como escreveu o apóstolo Paulo em I Tessalonicenses 4:3. Mas não nos assustemos, porque essa caminhada é processual. Podemos ser cooperadores nesse processo escolhendo tomar a nossa cruz, no entanto, só pelo poder do Espírito Santo, que nos infunde graça, é que conseguiremos cumprir esse propósito. Agimos sim, mas descansando nos méritos de Cristo.

Mas sabe de uma coisa? É salutar notar progressos. Hoje mesmo ouvi uma música linda da banda CantoVerbo (fica aqui a minha recomendação para ouví-los. O CD está no Spotify) que dizia:

“Eu via nela, na vida dela
as marcas do Autor do livro preto
que não mente, não muda e não erra
Eu via nela, na vida dela
Pois quem confia no Autor do livro preto
não encontra lugar nessa terra.”

Acho que o André, autor desses versos, resumiu bem o nosso desafio: cooperar com Deus para que as marcas de Seu amor estejam muito presentes em nossas vidas de tal maneira que não encontraremos lugar no sistema de valores dessa terra.

Minha oração hoje é para que o Senhor continue nos enchendo com o seu Santo Espírito e para que nós mostremos as marcas do Autor do livro preto em nossas vidas, sendo semelhantes a Jesus no caminho para a santidade.

Pais da Igreja – Gregório de Nissa

Gregório, irmão de Basílio (sobre quem falei no último post), nascido por volta de 335. Se tornou bispo de Nissa e um importante teólogo da Igreja. Foi protagonista do Concílio de Constantinopla que, em 381, definiu a divindade do Espírito Santo. Não sabemos a data de sua morte, mas durante a vida deixou uma marca muito forte na Igreja. Talvez o ensino mais forte dele como teólogo seja: “não desperdiçar a vida em coisas vãs, mas encontrar a luz que permite discernir o que é verdadeiramente útil.”

Encontrou essa luz em Cristo e ensinava muito sobre o fato de nos tornarmos como nosso Senhor e Salvador.  Para ele, a realização do homem consiste na santidade, em uma vida vivida no encontro com Deus, nos ajudando a refletir a luz para os outros e para o mundo. Essa vida de tornar-se semelhante a Cristo era atingida através do amor, do conhecimento e da prática das virtudes.  No entanto, esse processo não é obra nossa, mas o resultado do agir gracioso de Deus. Portanto, segundo ele, “não se trata de conhecer algo de Deus, mas de possuir em si a Deus.”

Esse é o verdadeiro caminho, o verdadeiro milagre … Deus em nós!

Quantas vezes tentei, como minhas próprias forças e meus dons, ser mais parecido a Cristo! Tenho pena das vezes em que cai na armadilha da religião humana (aquela que me chama a negar a graça e me leva a tentar ser meu próprio salvador). Como esse mecanismo religioso ainda atua em mim. Como é difícil compreender a graça e confiar que o Deus em mim é quem continua me salvando e me fazendo uma pessoa mais parecida com Cristo.

Como vai a santidade em sua vida? Quem é o verdadeiro agente de transformação do seu ser?

 

Abraço e até a próxima!