Arquivo da tag: salmos

Não deu tempo de bolar um título!

Insônia… O sono bate, o corpo pede descanso. Todos os pré requisitos são sabaticamente cumpridos mas o mais importante não acontece: as pálpebras não se mantêm fechadas. A mente  não entra em repouso.

E aí começa a sabatina… Vai ao banheiro, volta para a cama. Bebe um copo d’água, volta para a cama. Fala com Deus, na esperança de que o repouso do coração leve ao sono profundo,  mas isso também não funciona. Assiste um episódio da série que precisa ser colocada em dia, lê um capítulo do livro que está sobre a cabeceira e… Nada! Enquanto isso a mente se prende ao despertador, programado para as 08:00 da manhã, uma vez que a lista de atividades que precisam ser cumpridas no dia seguinte é grande. Chega uma hora em que a noite cansa. O vazio do silêncio e a falta de perspectiva em conseguir passar por ela dormindo fazem com que o coração se torne ansioso. Já sem muito o que fazer se espera pela manhã, pelo momento em que o despertador vai tocar e que o silêncio e a solidão da noite interminável finalmente terão fim e darão lugar à tão produtiva manhã de sábado!

Faz lembrar o salmista, quando diz: “A minha alma anseia pelo Senhor, mais do que os guardas pela manhã, mais do que aqueles que guardam pela manhã.” Salmos 130:6

Enfim, o som do despertador! E aí vem a contradição…

O dedo desliza sobre a tela do celular, mas não com a intenção de desligá-lo, e sim de ativar a função soneca. A preguiça de sair do aconchego sob medida do colchão toma conta. 10, 15, 40 minutos… E grande parte da tão esperada manhã já se foi quando finalmente cria-se a coragem de colocar os pés pra fora da cama.

E então o mesmo coração que anseia pelo Senhor durante a noite sem fim é o coração que, obstinado a pecar, se enrola no pecado, “deita e rola” nos seus próprios prazeres quando a Manhã chega, quando a Manhã o chama.

Não sei quanto tempo já perdi com essa contraditória condição espiritual de desejar a Manhã e protelar para vivê-La, mas tenho certeza que foi muito!

Mas enfim, não tenho mais tempo… Enrolei muito na cama! Estou atrasado e preciso ir! Infelizmente quando isso acontece algumas coisas não ficam como deveriam.. Alguns textos ficam sem final, ou até mesmo sem o título!

“Tu és este homem”

E no tempo em que os reis costumavam sair para as batalhas, o ainda jovem Davi decide ficar em casa. Enquanto seus homens lutavam, o rei descansava. Aproveitava o tempo, ocioso. No fim da tarde gostava de caminhar pelo palácio. Visitava os grandes salões, conferia se estava tudo em ordem nos jardins, observava a cidade do terraço.

E numa dessas tardes, com o sol já se pondo, a avistou. Uma bela mulher se banhava em uma casa ali perto. Davi mandou que a chamassem e se deitou com ela. Bate-Seba, a filha de Eliã, esposa de Urias.

Adultério.

Manipulação.

Assassinato.

“Dois homens viviam numa cidade, um era rico e o outro, pobre. O rico possuía muitas ovelhas e bois, mas o pobre nada tinha, senão uma cordeirinha que havia comprado. Ele a criou, e ela cresceu com ele e com seus filhos. Ela comia junto dele, bebia do seu copo e até dormia em seus braços. Era como uma filha para ele. Certo dia, um viajante chegou à casa do rico, e este não quis pegar uma de suas próprias ovelhas ou do seus bois para preparar-lhe uma refeição. Em vez disso, preparou para o visitante a cordeira que pertencia ao pobre”.
Então, Davi encheu-se de ira contra o homem e disse a Natã: “Juro pelo nome do Senhor que o homem que fez isso merece a morte! Deverá pagar quatro vezes o preço da cordeira, porquanto agiu sem misericórdia.
Então, disse Natã a Davi: “Tu és o homem!”.

Ungido rei sobre Israel, livrado das mãos de Saul, presenteado com casas, esposas e riquezas. Não satisfeito, agiu sem misericórdia, sem amor!

Mas, cego pelo pecado, Davi não conseguia enxergar o óbvio. A mancha do delito lhe cobriu os olhos, de forma que o rei não conseguia enxergar e reconhecer a si próprio. Não podia ver a sua podridão. Até que ele teve a atenção chamada: “Tu és o homem!”.

“Tem misericórdia de mim, ó Deus, por teu amor; por tua grande compaixão apaga as minhas transgressões. Lava-me de toda a minha culpa e purifica-me do meu pecado. Pois eu mesmo reconheço as minhas transgressões, e o meu pecado sempre me persegue. Contra ti, só contra ti, pequei e fiz o que tu reprovas, de modo que justa é a tua sentença e tens razão em condenar-me. Sei que sou pecador desde que nasci, sim, desde que me concebeu minha mãe. Sei que desejas a verdade no íntimo; e no coração me ensinas a sabedoria. Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e mais branco do que a neve serei. Faze-me ouvir de novo júbilo e alegria; e os ossos que esmagaste exultarão. Esconde o rosto dos meus pecados e apaga todas as minhas iniquidades. Cria em mim um coração puro, ó Deus, e renova dentro de mim um espírito estável. Não me expulses da tua presença, nem tires de mim o teu Santo Espírito. Devolve-me a alegria da tua salvação e sustenta-me com um espírito pronto a obedecer.”

Um rei arrependido. Um rei perdoado.

Histórias absurdas são contadas todos os dias. Corrupção. Violência. Preconceito. Inveja. Vaidade. Julgamentos. Falta de amor. Ficamos chocados, escandalizados e até indignados. Mas o pecados tapa nossos olhos.

Nos afasta de Deus.

Nos afasta de nós mesmos.

Não nos deixa enxergar o óbvio.

Nos leva para um poço cada vez mais profundo.

De lá, talvez, ouçamos de Deus: “Tu és este homem”. E de lá poderemos buscá-Lo, ainda que estraçalhados pelo pecado.

Mais um homem arrependido. Mais um homem perdoado.

“Tu és este homem”?

Referências: 2 Samuel 11:1 a 12:7; Salmos 51: 1- 12.

A Rocha que é mais alta do que eu

Como bons seres humanos, às vezes nos sentimos inseguros, desanimados, cansados e sem esperança com a vida. Nosso coração parece estar despedaçado.
Com Jesus também foi assim. Em seu leito de morte chorou, banhado em suor e sangue. Abandonado por todos, inclusive os melhores amigos.

O que fazemos quando estamos com medo, com dúvida, nos sentindo desolados, desconsolados?

Jesus nos ensinou o caminho da oração. Aquela oração verdadeira, que derrama o coração diante do Pai, com toda sinceridade possível, até mesmo dos mais íntimos pecados.

Assim bem escreveu o salmista:

“Desde o fim da terra clamarei a ti, quando o meu coração estiver desmaiado; leva-me para a rocha que é mais alta do que eu”

Salmos 61:2

Minha oração hoje é para que nossa relação com Deus não seja superficial, mas sim profunda. Oro para que Deus nos ajude a entender, assim como Jesus fez, que o verdadeiro consolo só pode vir dEle. Que Deus seja nossa rocha que nos leva mais alto do que poderíamos ir sós.

Forte abraço, até a próxima.

Ídolos

 Sarney, eu sou seu ídolo!”  (Popular confuso, pensando elogiar Sarney no último programa do pânico)

Ideal
Ideal
Dinheiro
Dinheiro

 

Não, não vou falar daquele programa ó-t-e-m-o da Record.  

 

 

 

Segundo a wikipedia, “um ídolo (do grego antigo εἴδωλον, “simulacro”, derivado de εἶδος, “aspecto”, “figura”) é um objeto de adoração que representa uma entidade espiritual. A idolatria é, portanto, a prática de adoração de ídolos. Na atualidade, especialmente após os avanços tecnológicos do século XX que permitiram maior acesso da pessoa comum a trabalhos de artistas, políticos, e personalidades importantes, o termo “ídolo” expandiu-se da esfera divina para a esfera humana”. E a idolatria continua sendo muito presente na nossa vida diária.

Madonna
Madonna

Podemos adorar diversas coisas no nosso dia-a-dia. Eu como cristã não adoro a algo abertamente como um deus, mas posso estar sujeita a isso veladamente: política, um ideal, dinheiro, futebol, música, sucesso, relacionamentos… e a lista vai. Muitas vezes, transformamos relações que podem ser saudáveis em doentias, em pecados, por colocar certas coisas fora de prioridades, acima do que não devem estar.

Muitas vezes, nosso maior ídolo é a nossa barriga, é nós mesmos. É fazer a nossa vontade, cumprir os nossos desejos: “O destino deles é a perdição, o seu deus é o estômago e eles têm orgulho do que é vergonhoso, só pensam nas coisas terrenas” (Fp 3:19). Estômago, nesse trecho, não quer dizer o estômago em si que conhecemos hoje, relacionado à comida, mas em algumas culturas cria-se que o centro do “ser”, da pessoa, estava em seu ventre. Como hoje às vezes falamos da cabeça.

Só Deus é digno de adoração. Em Sl 16, Davi afirma só procurar refúgio nele, que fora dele não há felicidade. Vejamos parte do texto:

1 Guardai-me, ó Deus, porque é em vós que procuro refúgio.
2 Digo a Deus: Sois o meu Senhor, fora de vós não há felicidade para mim.
4 Numerosos são os sofrimentos que suportam aqueles que se entregam a estranhos deuses. (…) Meus lábios jamais pronunciarão o nome de seus ídolos.
8 Ponho sempre o Senhor diante dos olhos, pois ele está à minha direita; não vacilarei.
9 Por isso meu coração se alegra e minha alma exulta, até meu corpo descansará seguro,
10 porque vós não abandonareis minha alma na habitação dos mortos.
11 Vós me ensinareis o caminho da vida, há abundância de alegria junto de vós, e delícias eternas à vossa direita.
Futebol
Futebol

                                                                   

Me atenho a um trecho em especial: “Numerosos são os sofrimentos que suportam aqueles que se entregam a estranhos deuses”. De fato, Deus tem uma vida muito mais completa, abundante, que qualquer coisa pode nos proporcionar. A maior besteira do mundo que podemos fazer é dar as costas a essa oportunidade de ter uma vida plena, que jorre para a vida eterna (Jo 4:14) e tentar conseguir essa abundância de outra forma. É impossível.

Temos nos distraído com outros deuses, brincado com idolatrias? Ou esse Salmo de Davi tem sido verdade nas nossas vidas?

Uma vez, quando passei por uma situação difícil, brinquei com um amigo que ia comer, comer, comer até me sentir completa. Ele me desejou boa sorte, porque não havia comida no mundo que pudesse preencher o espaço que só Deus poderia ocupar na minha vida.

Quem quer ser JK?

Estátua do Memorial dos Povos Indígenas
Estátua do Memorial dos Povos Indígenas
Estátua de JK - Memorial
Estátua de JK – Memorial

No domingo último, fiz uma visita ao Memorial JK em Brasília. Imponentes o prédio e suas instalações. É impressionante ver como a iniciativa desse cara de construir uma nova capital no meio do nada deu certo. Quero deixar isso bem claro, porque de forma alguma quero que pareça que não acho que o que ele fez tenha sido importante.

 

É que na frente do Memorial JK fica o Memorial dos Povos Indígenas. Muito arrumadinho e muito interessante. Mas não chega nem aos pés em estrutura ao do JK. Sem climatização pros materiais orgânicos, sem muitos funcionários… Enfim.

Aí eu fiquei pensando: “Poxa, um cara tem toda aquela estrutura em sua homenagem… E milhões de índios têm isso pra lembrar sua memória e contribuição?” Será que eles não mereciam mais? Afinal, o sangue desses milhões de anônimos corre nas nossas veias, influenciou a nossa vida, a nossa linguagem, cultura

Lembrei de um filme que vi faz muito tempo. Tróia. Posso estar muito errada, mas se não me engano, há uma cena em que Aquiles (Brad Pitt) diz que temos duas escolhas na vida: ou ser importante para nossa família e nossos pares, ser uma pessoa amada por eles, mas ser esquecida após um tempo por não ter sido uma pessoa famosa; ou ser uma pessoa pública, que dá a vida por algo maior e por isso será relembrada eternamente.

Não estou fazendo juízo de valor de JK ou dos índios, mas gostaria de deixar a pergunta: quão grande é a nossa ambição? Será que queremos ser “índios”, anônimos na multidão que influenciam e vivem silenciosamente, que não serão lembrados com pompa no futuro ou será que ambicionamos ser “JKs”, buscando glória e homenagem para nós mesmos?

A minha experiência diz que ninguém quer ser invisível.  E talvez seja sim que nós passemos pela terra de forma “invisível”, sem fazer grandes feitos, sem revolucionar nações ou descobrir a cura do câncer. Na verdade, os que se “destacam” mesmo são pouquíssimos. Nem todos terão um mausoléu gigantesco como o JK.

Nos esquecemos, porém, de que ninguém é invisível de fato, todos nós importamos pra Deus. Deixo então um poema, que já é bonito em português, mas tenho certeza que no original em hebraico deve ser mais bonito ainda:

“Tu criaste o íntimo do meu ser e me teceste no ventre de minha mãe
Eu te louvo porque me fizeste de modo especial e admirável.
Tuas obras são maravilhosas! Digo isso com convicção
Meus ossos não estavam escondidos de ti quando em secreto fui formado
e entretecido como nas profundezas da terra
Os teus olhos viram o meu embrião;
todos os dias determinados para mim foram escritos no teu livro
antes de qualquer deles existir”
(Salmo 139)