Arquivo da tag: reflexão

Riquezas do Cotidiano

De repente uma amiga despretensiosamente lê para você um poema de Arnaldo Antunes que marcou seu dia. Marcou mesmo. E por isso compartilho e agradeço à minha amiga Lorena Mariano pela leitura aleatória rica de reflexão.

“Eu apresento a página branca.

Contra:

Burocratas travestidos de poetas
Sem-graças travestidos de sérios
Anões travestidos de crianças
Complacentes travestidos de justos
Jingles travestidos de rock
Estórias travestidas de cinema
Chatos travestidos de coitados
Passivos travestidos de pacatos
Medo travestido de senso
Censores travestidos de sensores
Palavras travestidas de sentido
Palavras caladas travestidas de silêncio
Obscuros travestidos de complexos
Bois travestidos de touros
Fraquezas travestidas de virtudes
Bagaços travestidos de polpa
Bagos travestidos de cérebros
Celas travestidas de lares
Paisanas travestidos de drogados
Lobos travestidos de cordeiros
Pedantes travestidos de cultos
Egos travestidos de eros
Lerdos travestidos de zen
Burrice travestida de citações
água travestida de chuva
aquário travestido de tevê
água travestida de vinho
água solta apagando o afago do fogo
água mole sem pedra dura
água parada onde estagnam os impulsos
água que turva as lentes e enferruja as lâminas
água morna do bom gosto, do bom senso e das boas intenções
insípida, amorfa, inodora, incolor
água que o comerciante esperto coloca na garrafa para diluir o whisky
água onde não há seca
água onde não há sede
água em abundância
água em excesso
água em palavras.

Eu apresento a página branca.

A árvore sem sementes.

O vidro sem nada na frente.

Contra a água”.

                    Arnaldo Antunes

E pensar na vida

Já fazia um tempo que não convidava alguém para escrever aqui. Quando pensei neste convite logo me veio à mente a pessoa mais assídua do nosso grupo de versículos bíblicos no Whatsapp. Espero que vocês gostem do seu texto assim como gostei. Com vocês Eduarda Castelo Branco, ou simplesmente, Duda!

“Sair da correria do dia a dia e pensar na vida”: esse foi o desfio que me deram quando me convidaram para escrever aqui no blog. Apesar do meu medo, aceitei o desafio. Vou dividir com vocês algumas coisinhas que tenho vivido e pensado nesses últimos dias. Espero que gostem.

A maioria de nós sabe que devemos amar e temer a Deus; que devemos ler a bíblia e orar pois somente tendo uma relação íntima com Deus teremos a oportunidade de conhecê-lo melhor. Sabemos que devemos adorá-Lo com nossas vidas. Mas colocar tudo isso em prática é o verdadeiro desafio. (CHAN, Francis. Crazy Love.)

Muitas vezes achamos que não temos tempo, que tudo bem fazer isso mais tarde, que é suficiente o fato de irmos à igreja uma vez por semana ou de estarmos lendo um livro que tem um conteúdo interessante. Mas não, só isso não é suficiente. Pelo menos não estava sendo suficiente para mim.

Deus nos chama para nos relacionarmos com Ele. Ele diz que se crermos Nele, somos considerados filhos (Jo 1:12) e assim como qualquer relacionamento entre pai e filho, nós precisamos de tempo. Tempo para se conhecer, estar junto, para desenvolver um relacionamento e se tornar íntimos.

Deus quer participar das nossas vidas, Ele quer ser nosso pai, nosso melhor amigo e caminhar ao nosso lado. Mas Ele não vai forçar nada. Nunca. Se você quiser conversar com Deus todos os dias, todas as horas, Ele estará lá para te ouvir; se não quiser, tudo bem, ele também estará lá, esperando pelo momento em que você queira se relacionar.

E por último mas não menos importante: Deus ouve e responde TODAS as nossas orações. As respostas são três: sim, não e mais tarde. Nem sempre a resposta será sim, muitas vezes será não ou mais tarde e temos que estar preparados e dispostos a ouvir essas duas últimas, mesmo não querendo ouví-las. Quando a resposta é não ou mais tarde temos a incrível idéia de fechar nossos olhos e ouvidos e seguir caminhando sozinhos porque achamos que Deus não ouve ou não responde às nossas orações. Ele respondeu, você quem não aceitou a resposta.

Você é filho de Deus?
Você tem se relacionado com Ele?
Você tem mantido os seus olhos e ouvidos abertos para as respostas de suas orações?
Você tem entregado a sua vida e sido fiel àquele que te amou tão loucamente que mandou o seu único filho para morrer no SEU lugar?

Desafie a você mesmo. Saia da correria do seu dia a dia para pensar na sua vida.

“Esta palavra é digna de confiança:
Se morremos com ele, com ele também vivemos; se perseveramos, com ele também reinaremos. Se o negamos, ele também nos negará; se somos infiéis, ele permanece fiel, pois não pode negar-se a si mesmo.” (II Tm 2:11-13)

Linha de Vida

Uma folha. Uma linha no meio. Divisões equidistantes. Números progredindo: 2003, 2004, 2005… até 2011. Ufa! E já se passaram oito anos.

Nos intervalos alguns períodos e marcos. Nem todos lembramos mais de cabeça. Viagem no tempo. Reflexão, retrovisão.

Os momentos de pico, os vales. Quedas e momentos de grande importância.

O que ficou? O que de fato foi decisivo? Como poderia ter sido melhor? Qual foi afinal a sucessão dos fatos, o que levou a quê?

“A história é o germe do futuro”.

***

Ao leitor.

Hoje a reflexão que proponho é muito prática. Trata-se de um exercício. Uma linha do tempo.

Já fizemos disso para estudar a história no colégio. Vamos usar esta ferramenta para estudar agora a nossa.

Comecei pensando no meu Ministério. A atividade começada anos atrás que permite seguir a orientação de Jesus a seus discípulos. (ver Mateus 28.19 e 2 Coríntios 5.18)

Podemos, porém, fazer várias versões de uma linha de tempo.

Se você fosse dizer a alguém sobre a sua história, de todos os anos desde o nascimento, em 10 minutos, quais elementos saltariam à mente?

E quanto à vida acadêmica/profissional? Vida amorosa, vida social, vida espiritual…

Não há grande segredo na técnica da Linha de Tempo. O segredo de fato reside em suas conclusões. Nas informações que surgirão. Acabo portanto aqui.

Um convite à prática.