Arquivo da tag: perfeição

A base de todo relacionamento duradouro

Certa vez li que os artistas são os radares da humanidade. Creio que existem artistas que conseguem expressar em palavras, pinturas, esculturas, músicas coisas que mexem com a humanidade. Hoje gostaria de colocar uma letra de música de um desses radares. Com vocês “A Minha Gratidão É Uma Pessoa” de Nando Reis:

Depois de pensar um pouco
Ela viu que não havia mais motivo e nem razão
E pode perdoá-lo

É fácil culpar os outros
Mas a vida não precisa de juizes
A questão é sermos razoáveis

E por isso voltou
Porque sempre o amou
Mesmo levando a dor
Daquela mágoa
Mas segurando a sua mão
Sentiu sorrir seu coração
E amou como nunca havia amado

Mas como começar de novo
Se a ferida que sangrou
Acostumou a me sentir prejudicado

É só você lavar o rosto
E deixar que a água suja
Leve longe do seu corpo
O infeliz passado

E por isso voltou
Pra quem sempre amou
Mesmo levando a dor
E aquela mágoa
Mas segurando a sua mão
Sentiu sorrir seu coração
E amou como nunca havia amado

E viveram felizes

E para sempre eles estavam livres da perfeição que só fazia estragos

Vivemos em um mundo de relacionamentos descartáveis. Creio que as pessoas tem arraigado dentro delas as histórias da comédias românticas tão populares hoje. O problema é o conceito passado: não está feliz com o relacionamento, troque! O novo será um conto de fadas! E geralmente o filme acaba com a perfeição de um novo relacionamento que já dura 3 dias! O filme não continua para mostrar que esse novo relacionamento de contos de fadas, apresenta também os seus problemas! Uma coisas é certa: nenhum relacionamento é perfeito! Simplesmente pelo fato das pessoas que estão inseridas nesse relacionamento não serem perfeitas o relacionamento também nunca será! Mas o mundo em que vivemos diz: “se deixou de ser perfeito, descarte!”. Vejo no futuro (na verdade, já vejo) um mundo de solitários e solitárias que não aprenderam que a base de todo o relacionamento é o perdão! Não aprenderam que o melhor para o relacionamento é ficarem “livres da perfeição que só fazia estragos”. E é aí que deixamos de cumprir o mandamento “não matarás”! Vivemos em um mundo de “serial killers” relacionais, que por falta de perdão vão “assassinando pessoas de seu convívio!

O perdão não é fácil, mas concordo com o poeta que diz:

“E por isso voltou

Porque sempre o amou

Mesmo levando a dor

Daquela mágoa”

“É só você lavar o rosto

E deixar que a água suja

Leve longe do seu corpo

O infeliz passado”

A dor é real, o amor contribui para a cicatrização! Mas a busca pelo perfeito geralmente traz mais dor!

Talvez seja o momento de ressuscitar aquela pessoa que você matou de sua vida!

*Dedico esse post à minha querida e amada esposa, Camila, que, com certeza, tem que por em prática todas essas ideias pois deixou de buscar o príncipe encantado e se casou com o sapo!  E também por ser ela que me chama atenção para letras de músicas que nos enriquecem! Impressionante como te amo muito mais hoje do que da primeira vez que te beijei!

Abraço e até a próxima!

“Estão todos bem!”

Semana passada assiti um filme (indicação da minha amiga Carla) que achei muito bom. O filme se chama “estão todos bem” e tem como ator principal Robert de Niro. O filme mostra a relação de um pai idoso e viúvo com seus quatro filhos. Cada um seguindo a sua vida, com suas escolhas e consequências. Tem muitas ideias interessantes no filme, mas o que me marcou muito foi a forma como os filhos mentiam para seu pai para fazê-lo acreditar que estavam todos bem. Cada um deles, à sua maneira, mostravam uma vida perfeita para agradar o pai.

Fiquei pensando quantas vezes não faço o mesmo com o nosso Pai. Algumas vezes digo: “Deus olha para minha vida agora, olha como está organizada, olha como sou um bom filho, um servo bom e fiel”. Em outros momentos penso: “É melhor o Senhor não vir hoje, estou com vários compromissos (na verdade não tenho nada, mas não quero que o Senhor saiba dos meus problemas) “. Ajo como se Deus não fosse onisciente, tentando manipulá-lo para que Ele continue tendo uma boa visão de mim. Com isso começo a viver duas vidas!

Mas sabe de uma coisas: nosso Deus é onisciente, sabe tudo a respeito de nossa vida, nos conhece por inteiro e …. nos ama profundamente! Precisamos aprender a viver com um Deus presente, desnudando a nossa alma para Ele, pois, na verdade, não temos como esconder nada Dele! Que possamos viver uma vida autêntica perante nosso criador e Pai!

Como você tem vivido nessa relação entre Pai e filho?

Abraço