Arquivo da tag: Paixão

Entregues a nós mesmos

Na leitura dos capítulos 78 a 81 do livro dos Salmos vemos o qutanto Israel no antigo testamento estava triste por estar submisso a outros povos. A reclamação é sempre contra Deus, para que ele honre seu próprio nome e haja concedendo Vitória a Israel.

Por um tempo considerei os prováveis motivos pelos quais Deus não respondia a oração do salmista. Será que  ele não teria perdoado seu povo de seus pecados? Será que queria ensinar algo por meio do seu silêncio? Será que ele estava com dó dos outros povos que lutavam contra Israel, a nação que ele havia escolhido para chamar de sua? Não, nada disto. No Salmo 81 vem a resposta:

Mas o meu povo não quis ouvir a minha voz, e Israel não me quis. Portanto eu os entreguei aos desejos dos seus corações, e andaram nos seus próprios conselhos. Oh! se o meu povo me tivesse ouvse Israel andasse nos meus caminhos

Salmos 81:11-13

O povo à época cultuava outros deuses, havia abandonado as leis estabelecidas por Deus, vivia deliberadamente em pecado. Percebo então que a escolha não havia partido de Deus, ele não queria o mal do seu povo. Deus tentou ensinar de que maneira deveriam ter vivido, mas eles preferiram seu próprio caminho. O que Deus fez não foi vingar, ignora ou castigar o povo. Ele simplesmente deixou que as consequências viessem à tona.

Quando penso na minha caminhada como cristão vejo de maneira clara que cheguei a tentar viver meus próprios sonhos e  levar a vida da minha maneira para que eles fossem realizados. À medida que os concretizava, sentia as consequências das minhas decisões distantes de Deus. Estar entregue às minhas próprias posições foi a pior coisa que poderia ter me acontecido.

Aprendi desde então a temer a Deus e a viver ao seu lado. Triste ler na história de Israel que eles não aprenderam e foram submissos a outros povos por gerações e gerações. Não posso afirmar que estou para sempre nos caminhos que creio que Deus gostaria que eu vivesse, mas tenho lutado para tanto. Assim oro para que Deus continue comigo e me dê força para não desanimar da luta de segui-lo. Oro também para que ele proteja você, amigo leitor. Que possamos usufruir dos benefícios de viver a vida cristã de maneira plena e que nunca estejamos entregues a nossas próprias paixões.
Forte abraço, até a próxima terça-feira.

O que aprendi em um show de Flamenco


Início do mês tive o privilégio de conhecer a Espanha, muitas coisas me marcaram: monumentos, obras de arte, lojas, comida. No entanto, o que de forma inusitada, me marcou bastante também foi um show de flamenco que fui com minha esposa! Não sou um fã de apresentações musicais, mas essa valeu cada centavo. Não somente pelo bom vinho, bom queijo e ótima companhia! O que me marcou muito foi a paixão demonstrada naquela noite. Nunca vi um show com tanta paixão, e olha que eles apresentam duas vezes por noite! Quando somente a mulher dançava era impressionante o apoio recebido pelo dançarino e pelos músicos! No final de cada apresentação os músicos se apoiavam e se honravam! A paixão daquele grupo me motivou e me fez ter uma noite inesquecível! Já participei de muitos espetáculos onde tinha a sensação de que tudo era mecânico, tudo pelo dinheiro e a paixão inexistente!

 

Mas tudo isso me fez questionar minha vida: Como tenho vivido? Sou um homem apaixonado pela vida? Apaixonado pelos meus relacionamentos? Apaixonado por Cristo?

Comecei a pensar em como a Bíblia está repleta de histórias de homens e mulheres que, por paixão, viveram grandes vidas!  Paulo, por paixão, decidiu voltar para Jerusalém. Ester, por paixão, resolveu encarar o rei para salvar seu povo. Moisés, por paixão, propôs sua vida ao invés da destruição do povo. Davi, por paixão, encarou Golias. Rute, por paixão, acompanhou sua sogra. João Batista, por paixão, anunciou. Maria Madalena, por paixão, se santificou. Zaqueu, por paixão, restituiu!    Jesus, por paixão, escolheu o Gólgota ao invés de Atenas, aguentou bofetadas, cuspes, humilhações, sofrimento de cruz…. por paixão Jesus escolheu você!

O que tem movido sua vida?

Abraço e até a próxima!