Arquivo da tag: despedida

Foi bom enquanto durou

Insistência. Essa é a palavra que explica minha participação aqui no blog. Nunca fui um escritor e nem tinha a pretensão de me tornar um. Faltava-me praticamente tudo. Desde vocabulário, até habilidade com a língua portuguesa. Insistência.

Em minha primeira postagem, março de 2010, disse que o mundo estava cheio de pessoas que se especializavam na arte de compreender o mar e seus mistérios, mas que nunca aprenderam a nadar. O contrário também era verdadeiro. Os peixes vivem imersos no fundo do mar, mas nunca ouviram falar da densidade da água. O desejo era que não fôssemos apenas teóricos na arte da vida. A teoria é importante, sim! Mas a vida fica fria, mecânica e entediante se vista apenas do plano teórico. “Vamos nadar?”, foi o convite inicial que eu fiz pra cada leitor (a) desse blog.

E foi assim. Quase 7 anos de posts semanais. Às sextas-feiras, eu brincava que tinha “post saindo do forno”… Foram 377 posts ao todo! Alguns foram marcantes e, de alguma forma, Deus fez com que chegasse em corações que eu nem podia imaginar. Tecnologia em nome do Reino de Deus. Tentei repartir um pouco do meu coração e daquilo que estava vivendo. O “Outras Fronteiras” (OF) virou uma espécie de semanário e é interessante como minha vida sempre ditava o tom dos posts.

Quero agradecer cada leitor (a) pelo carinho, pelos muitos comentários (convergentes e divergentes), agradecer àqueles que convidei para repartir alguma ideia em alguma sexta-feira destes quase 7 anos, agradecer aos primeiros idealizadores do OF, ao convite recebido para escrever nas sextas e Àquele que continua sendo a pessoa mais importante da minha vida: Jesus Cristo! Ele foi, Ele é e continuará sendo eternamente a minha “fonte”. Eu ainda tenho sede e preciso Dele!

Último dia de post saindo do forno! O blog, com absoluta certeza, foi motivo de festa e alegria na minha vida. Eu continuo sedento e as Escrituras insistem em fazer sentido:

“No último dia, o grande dia da festa, levantou-se Jesus e exclamou: Se alguém tem sede, venha a mim e beba.” (Jo.7:37)

Que Ele continue levantando-se! Que Cristo continue fazendo suas exclamações! E que eu e você possamos confessar nossa sede, termos a humildade de irmos até Ele e bebermos da fonte chamada Jesus…

Foi bom enquanto durou!

Um grande abraço!!!