Arquivo da tag: criança

A criança, o cadáver e os abutres

A criança estava gravemente doente. Nessas horas, as necessidades são óbvias: oração, jejum e atitude de se prostrar diante de Deus. O desejo é que Ele possa intervir.

Você já buscou a Deus por causa de alguém? O rei Davi já.

Depois de 7 dias de oração, jejum e espírito quebrantado a criança morre. Os servos de Davi têm receio de informá-lo. “Se enquanto a criança estava viva o rei estava assim, o que será que ele vai fazer se descobrir que ela morreu?” Era bastante lógico o raciocínio deles.

Ao perceber o burburinho entre os servos, Davi pergunta se a criança havia morrido. “Sim!”, eles disseram. Preste atenção no que você vai ler agora!

“Então, Davi se levantou da terra, lavou-se, ungiu-se, mudou de vestes, entrou na Casa do SENHOR e adorou; depois, veio para a sua casa e pediu pão; puseram-no diante dele, e ele comeu.” (II Sm.12:20)

Davi resolve, de maneira totalmente voluntária, mudar seu status!

Os servos ficam perplexos. “Como assim?”

Davi dá um salto da sua condição, toma um banho, coloca roupas novas e vai buscar a Deus. Assenta-se e come, como quem diz: “Eu vou voltar a viver! Minha vida não pode girar em torno daquilo deixou de existir.” 

Os servos ficaram perplexos. “Enquanto a criança estava viva você jejuava e chorava. Agora que ela está morta você se levanta e come pão?

A explicação é simples. Enquanto a criança estava viva, Davi entendia que Deus poderia se compadecer e curá-la.

Agora que morreu, por que jejuaria eu? Acaso, poderei fazê-la voltar?, questiona o rei.

Tem coisa na vida da gente que morre, mesmo que façamos de tudo pra que isso não aconteça. Às vezes são pessoas. Às vezes são relacionamentos. Às vezes são sonhos… Não há jejum que os traga de volta.

Você conhece pessoas que ficaram presas no passado? Gente que nunca abandonou pessoas, relacionamentos e sonhos que já morreram? 

Porque na Bíblia, amigões, nem tudo que morre, Deus ressuscita. Por que seria diferente nas nossas vidas?

Você se esqueceu que aonde estiver o cadáver, aí se ajuntarão também os abutres? (Lc.17:37) Sabe por que a gente não encontra pessoas que criam abutres? Porque essa é uma ave indesejada e que ninguém quer ter por perto.

Cadáver é coisa que precisa ser enterrada. Se ficar do lado de fora, convida toda sorte de coisas indesejadas para habitarem conosco. Será que a quantidade exorbitante no mundo de corações depressivos, amargurados, violentos e machucados não se explica pela quantidade excessiva de “cadáveres” que ainda permanecem desenterrados e continuam ajuntando mais e mais “abutres“? 

 Bem, chega de post e vamos logo ao que realmente importa: O que você precisa enterrar da sua história?

Um grande abraço e bom velório!!!

Pequeninos

Tenho o imenso prazer de convidar para compartilhar conosco um pouco de sua experiência de vida e reflexões a respeito da relação com Deus o meu grande amigo Cacá (para os íntimos, Jhoseffer Bredley). Espero que consigam pensar na vida com seu texto assim como pensei na minha. Forte abraço!

           Certa vez um amigo meu me contou uma situação sobre seu filho mais novo que, quando eles estavam no aeroporto esperando o voo, seu filho brincava tranquilo, sem se preocupar com o horário do voo, atrasos, problemas de embarque, estava apenas aguardando seu pai. Ele me falou que quando ele precisava mudar de lugar, ir para outra sala, setor, o que for, ele chamava seu filho e o mesmo o seguia com a mesma tranquilidade de sempre.

               Por várias vezes, me pego conversando com algumas pessoas sobre como era bom quando eu era criança, do quanto eu brincava e me divertia com primos e amigos. As vezes, até com um certo orgulho, eu digo: “Isso sim foi ter infância, foi ser criança”. Dá até uma vontade de voltar a ser como era antes, como tudo era mais fácil. Como o filho do meu amigo, era bom não ter preocupações. Mas hoje somos “de maior” e não temos como voltar a ser crianças, pois somos independentes. Será?

               Observando o que o filho do meu amigo fazia e pensando nos meus tempos de criança, entendo melhor o que seria receber o Reino de Deus como uma criança, o Espirito Santo como uma criança. Esse pequenino estava apenas seguindo as ordens do seu pai sem preocupação, como se tivesse dizendo para seu pai: “Eis-me aqui”! A criança não tomava conta da situação, as preocupações daquele momento eram do pai, ele estava sendo dependente de seu pai. Mesmo sem saber, essa criança tinha em seu pai, sentia que ele cuidaria de qualquer situação e o seguia sem preocupação, pois seu pai estava do seu lado.

Marcos 10:15 – Digo-lhes a verdade: quem não receber o Reino de Deus como uma criança, nunca entrará nele.

                Que possamos lutar para receber o Reino de Deus como uma criança, sem malícia, totalmente dependente do Pai, sempre alegre e, quando chorarmos, que o colo do Pai seja nosso maior consolo e proteção. Que possamos sempre dizer a Deus no nosso dia-a-dia “Eis-me aqui”!Perguntar onde quer que eu sente no ônibus, com quem quer que eu almoce, e passar por essas situações, com a mesma segurança que um pequenino tem, ao andar segurando nas mãos de um Pai, sabendo que Ele irá cuidar de tudo e nos preservar.