Arquivo da tag: Aimeleque

Quando as feridas resolvem se encontrar

A fase era desesperadora. O rei estava louco e nós sabemos que a insensatez não é uma boa companheira para quem tem o cetro nas mãos.

“Meu pai vai te matar, amigão!” Essas foram as palavras de Jônatas para Davi. Ele não hesitou. Fugiu sem saber para onde ia. Passou em Nobe e encontrou-se com o sacerdote Aimeleque. Este lhe deu pão e a espada de Golias que havia sido morto pelo próprio Davi. Depois que saiu de Nobe, fugiu para Gate e diante de Aquis (rei da cidade de Gate), fingiu-se louco. A saliva escorria pela barba, mas tudo isso era medo de morrer. Finalmente, chegou à famosa caverna de Adulão. Alguns homens se juntaram a Davi. Homens sofridos, endividados e amargurados de espírito. Quando nossas feridas se encontram, nosso potencial cresce numa dimensão exponencial. Davi agora está preocupado com seu pai e sua mãe. Ele pede ao rei de Mispa para cuidar deles até que Davi descubra o que Deus iria fazer com ele. No meio dessa confusão, um profeta chamado Gade diz a Davi: “Não fiques neste lugar…” (I Sm.22:5) Davi abandona a caverna de Adulão e foge para o bosque de Herete.

Eu disse que a fase era desesperadora na primeira linha do post.

Legal Eduardo, mas aonde você pretende chegar com tudo isso?

Pretendo chegar na informação mais impactante da minha semana. Ao continuar lendo o cap.22 do 1º livro de Samuel, Saul (o rei louco que tem o poder nas mãos) ouve dizer que o Aimeleque havia recebido Davi quando ele passara por Nobe. Aimeleque é chamado e Saul o interroga.

“Por que você tratou bem o filho de Jessé? Será que não percebe que ter sido cuidadoso com Davi era o mesmo que conspirar contra mim?”

Não deu outra. Saul mandou matar Aimeleque e, como se não bastasse, morreram outros 85 sacerdotes e, como se não bastasse, da cidade de Nobe (onde eles moravam), morreram todos os homens, as mulheres, os meninos e as crianças de peito. Ahhh, os animais também morreram. (I Sm.22:18-19)

Apenas Abiatar, um dos filhos de Aimeleque, consegue fugir e traz a notícia a Davi. As palavras de Davi são categóricas:

“Fui a causa da morte de todas as pessoas da casa de teu pai.” (I Sm.22:22)

Eu desatei a chorar. Estava sozinho na minha casa enquanto lia as Escrituras. Levantei-me da mesa, fiquei de joelhos e chorava. Pensava em Aimeleque. Pensava nos 85 sacerdotes. Imaginava os homens, as mulheres, os meninos e os bebês que morreram. De repente, percebi que estava chorando compulsivamente. Um choro raro, quase desconhecido. Daqueles que havia muito tempo não chorava. Comecei a lembrar de pessoas e de situações em que fui a causa da “morte” delas. Diversas coisas que fiz que afastaram pessoas de Cristo. Meu coração sofria, meu espírito estava totalmente amargurado e minha sensação era de dívida com cada uma dessas pessoas.

Porque é fácil se lembrar do dia em que vencemos os nossos “Golias”. Difícil foi, naquela segunda feira, assumir que o currículo de Davi também trazia consigo um tópico chamado “Aimeleque”.

Minha oração é para que a misericórdia de Deus continue sendo a causa de não sermos consumidos e que, assim como as feridas de Davi se encontraram com as minhas, que as minhas se encontrem com as suas. Talvez a igreja seja uma grande “Caverna de Adulão”!

Um grande abraço!!!