“Suas feridas nos curaram”

O nome desse post é um verso do livro de Isaías (53:5). Esse verso me remete à vida de Tomé. Um homem que “exigiu” se encontrar com as feridas de Cristo. Certa vez o Papa Gregório Magno disse: “A incredulidade de Tomé foi mais útil à nossa fé do que a fé dos discípulos crentes”. A dúvida de Tomé talvez seja uma negação de uma ressurreição infantil. Talvez fosse necessário não o fato de ver Jesus ressurreto mas sim o Cristo ferido ressurreto. O homem Jesus foi massacrado, o Cristo glorificado não esconde e nem nega essas feridas. As feridas no corpo ressurreto de Cristo me ensina um mistério pascal mais real. A vida deixa marcas, feridas. A ressurreição não as nega, mas as leva a um novo significado. Eu só conseguiria crer em um Deus que me mostrasse suas chagas, e talvez o mesmo ocorria com Tomé. E é nas feridas do mundo que conseguimos nos aproximar do Cristo ressurreto. Onde existe ferida, existe um Deus próximo e compassivo. Aquele que demonstra com seu Olhar e consolo: “Eu sei bem como é essa dor”.
Que nossas feridas e as feridas do mundo nos aproximem daquele que com suas feridas nos cura!

Abraço e até a próxima

Homero Castro

Sobre Homero Castro

Nome: Homero Resende Castro Nasci em 1979 em Belém do Pará, moro em Belo Horizonte desde 1989. Sou formado em História pela Universidade Federal de Minas Gerais. Desde 1999 trabalho como missionário na associação Alvo da mocidade. Eu e minha maravilhosa esposa, Camila temos duas filhinhas lindonas, Helena e Elisa, e uma sapeca cadela chamada Leona.

Um comentário sobre ““Suas feridas nos curaram”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *