“Sou o único que sobrou”

Essa frase foi dita por Elias. A resposta de Deus foi direta: “Reservei para mim sete mil homens que não dobraram os joelhos diante de Baal.” (I Reis 19:18)

Triste pensar que essa frase ainda é bastante usada (geralmente bem no íntimo) no meio daqueles que se relacionam com Deus. A “síndrome do único que sobrou” tem trazido grandes males para a unidade, para a comunhão.  O corpo de Cristo tem se transformado em uma ameba, ou seja, um ser unicelular. Digo unicelular pois a única pessoa que vive nesse corpo é a detentora da síndrome, até mesmo Jesus não tem espaço em seu próprio corpo!

Precisamos entender o corpo plural, cheio de células diferentes, cheias de vida, sem espaço para o discurso do “único que sobrou”. Que possamos aprender com o próprio dono do corpo! Aquele que sempre andou e morreu por elas, para que não tivesse que viver como o “único que sobrou”.

Tenha certeza, Deus reservou para si milhares… você não é e nunca será o único que sobrou!

 

Grande abraço e até a próxima!

 

Homero Castro

Sobre Homero Castro

Nome: Homero Resende Castro Nasci em 1979 em Belém do Pará, moro em Belo Horizonte desde 1989. Sou formado em História pela Universidade Federal de Minas Gerais. Desde 1999 trabalho como missionário na associação Alvo da mocidade. Eu e minha maravilhosa esposa, Camila temos duas filhinhas lindonas, Helena e Elisa, e uma sapeca cadela chamada Leona.

2 comentários sobre ““Sou o único que sobrou”

  1. Homerão, será que isto acontece porque olhamos para os outros sem ver a cruz? Julgamento apressado, pensamentos do tipo ” fulano é cristão?” aliado ao “Eu tenho sido mais generoso que ele, logo, sou um cristão melhor”, colaboram para a sensação de que somos os últimos? Se para Elias, que foi embora numa carruagem de fogo, isto já era difícil, o que dirá para nós, pecadores costumazes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *