Sobre a felicidade

Antes de escrever esse texto, acabei de ter uma longa conversa com uma pessoa angustiada. “Eu não estou satisfeito!“, era a conclusão dessa pessoa.

Todos nós buscamos a felicidade, mesmo sem saber definir direito o que isso significa. Buscamos um estado pleno de satisfação e, normalmente, vinculamos isso ao relacionamento conjugal. Ou seja, “não é possível ser feliz sozinho“, dizem as vozes explícitas e implícitas do mundo! A projeção e expectativa no outro como resposta de nossa satisfação é, no mínimo, perigosa. Eu confesso que já me peguei adotando essa conclusão para a minha vida e sofrendo por causa do status “solteiro”.

Outro dia me perguntaram se eu estava apaixonado. Respondi assim: “Num é que você acertou? Tô muito!” A pessoa retrucou: “Te conheço!” E, antes que qualquer outro comentário fosse feito, respondi: “Minha paixão é por Cristo e sinto-me no primeiro amor!” Aí a pessoa disse:”Estou falando de outro amor…

Falar que minha paixão é por Cristo parece não ter trazido a mesma emoção do que estar  apaixonado por uma mulher. Talvez porque o status “solteiro” não iria sofrer alterações. Estranho, né?

Na escolha do cônjuge, quanto mais uma pessoa entender que não é o outro quem garantirá harmonia e felicidade, menos expectativas irreais ela trará em relação ao casamento. Felicidade não é um lugar onde um dia você vai chegar, mas a maneira como se vai. Ela está muito mais associada à caminhada do que ao destino.

Creio que a felicidade é fruto de uma realização pessoal com Deus, que se fortalece no casamento. Se você não descobrir a alegria de estar solteiro, dificilmente descobrirá a alegria de estar casado. Quem casa para ficar bem resolvido, já entra no casamento com expectativas equivocadas. Você já viu duas pessoas infelizes que resolveram se casar para, então, serem felizes? Para elas, o casamento torna-se a fonte da alegria. Nós, cristãos, sabemos Quem é a fonte da alegria. O mais legal é encontrar duas pessoas que já são felizes e resolvem se casar! A felicidade multiplica, transborda…

Se a felicidade estivesse nos relacionamentos, a mulher samaritana não deveria dizer que ainda estava com sede. Ela já estava no seu 6º relacionamento e ainda encontrava-se insatisfeita. Ao se encontrar com Jesus, ela descobriu que estava buscando felicidade na fonte errada.

Antes de encontrar a pessoa ideal, espero que você se encontre! Assim, você não irá sobrecarregar seu cônjuge com a ingrata responsabilidade de te fazer feliz.

Cristo é tudo o que precisamos. E isso não anula o sonho daqueles(inclusive eu), que sonham em se casar. Acho que é isso…

Você concorda?

Um grande abraço!!!

Eduardo Victor

Sobre Eduardo Victor

Mineiro de Belo Horizonte, 33 anos, cristão e missionário em Alvo da Mocidade. Apaixonado pelas Escrituras, tornei-me um sonhador quando descobri que Deus pode nos surpreender com as coisas mais simples e inusitadas desta vida...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *