Snif, Snif *

É engraçado como somos seletivos em nossas práticas cristãs. Somos desafiados a espelhar várias características de Deus, e o motivo é que nos tornemos (novamente) a imagem e semelhança Dele. Pois bem, em que circunstâncias devemos espelhar Deus? Amor, justiça, vida social, criatividade, zelo, pureza, fidelidade… etc. Há uma resposta que raramente entra nessa lista: em nosso sofrimento! Refletimos Deus em nosso sofrimento? Devemos ser Sua imagem no sofrimento? “Se somos filhos, então somos herdeiros; herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo, se de fato participamos dos seus sofrimentos, para que também participemos da sua glória” (Romanos 8:17). Precisamos aprender a sofrer como Deus, passando pelos nossos sofrimentos entendendo que são de Deus também. Por que o culpamos se Ele sofre também? Concordo com Rob Bell quando diz que a cruz é o modo como Deus fala para a humanidade: “Eu sei como é!”

A característica do sofrimento é o choro. E como Jesus diz: “Bem aventurados os que choram”. O que isso quer dizer? Vivemos em um mundo onde os fotógrafos de nossas vidas nos pedem para sorrir, viramos as costas àqueles que choram! No entanto o salmista me recorda que “aqueles que semeiam com lágrimas, com cantos de alegria colherão, aquele que sai chorando enquanto lança a semente, voltará com cantos de alegria, trazendo os seus feixes.” (salmo 126 5-6). Então quem são os que choram? Creio que são aqueles que vivem com a perspectiva do dia do Senhor, aqueles que anseiam com todo o seu ser o grande dia do Senhor. São aqueles que percebem que nesse dia não haverá cegos e sofrem quando vêem um. Não haverá fome e sofrem quando vêem alguém com fome. Não haverá injustiça e sofre quando sofre ou vê injustiça. Não haverá corrupção e sofre quando vê corrupção. Não haverá incredulidade e sofre quando vê um incrédulo. Não haverá opressão e sofre quando vê o oprimido. Não haverá morte e sofre perante a morte!

“Os que choram são os videntes que sofrem, os quais Jesus abençoa” Nicholas Wolterstorff

Que possamos aprender a sofrer pois somos imagem e semelhança de um Deus que escolheu sofrer por amor. E que tem autoridade, em qualquer tipo de sofrimento de nos dizer: “Eu sei como é!”

Abaixo segue a letra de parte da música “Jesus chorou”, do, sempre inteligente, grupo racionais.

O que é, o que é?

Clara e salgada,
cabe em um olho e pesa uma tonelada.
Tem sabor de mar,
pode ser discreta.
Inquilina da dor,
morada predileta.
Na calada ela vem,
refém da vingança,
irmã do desespero,
rival da esperança.
Pode ser causada por vermes e mundanas
ou pelo espinho da flor,
cruel que você ama.
Amante do drama,
vem pra minha cama,
por querer, sem me perguntar me fez sofrer.
E eu que me julguei forte,
e eu que me senti,
serei um fraco quando outras delas vir.
Se o barato é louco e o processo é lento,
no momento,
deixa eu caminhar contra o vento.
Do que adianta eu ser durão e o coração ser vulnerável?
O vento não, ele é suave, mas é frio e implacável.
(E quente) Borrou a letra triste do poeta.
(Só) Correu no rosto pardo do profeta.
Verme sai da reta,
a lágrima de um homem vai cair,
esse é o seu B.O. pra eternidade.
Diz que homem não chora,
tá bom, falou,
Não vai pra grupo irmão aí,
Jesus chorou!

Sou muito grato à Nicholas Wolterstorff por me fazer refletir no tema a partir de sua dor!

Abraço e até a próxima!

Homero Castro

Sobre Homero Castro

Nome: Homero Resende Castro Nasci em 1979 em Belém do Pará, moro em Belo Horizonte desde 1989. Sou formado em História pela Universidade Federal de Minas Gerais. Desde 1999 trabalho como missionário na associação Alvo da mocidade. Eu e minha maravilhosa esposa, Camila temos duas filhinhas lindonas, Helena e Elisa, e uma sapeca cadela chamada Leona.

9 comentários sobre “Snif, Snif *

  1. Oi Homero!!
    Quanto tempo…..

    Gostei de retornar a entrar no Outras Fronteiras justamente hoje e ter tido a oportunidade de ler seu texto!

    Muito bonito!

    Chorar nunca foi um problema pra mim (nao sei se choro as lagrimas de Cristo, mas choro….). Mas sempre me incomodei ao ver alguem chorar!! E hoje, por incrivel que pareca, aqui nessa Europa em que as pessoas sao mais fechadas e frias, no onibus, a caminho da facul, sentei de frente para uma senhora que chorava, discretamente, com um papel no rosto, mas era perceptivel a sua dor! Numa situacao como essa, meu impeto e orar!!

    De qualquer forma, nao e facil sofrer com Cristo….mas tamu ai, tentando ao menos, viver com Ele!!

    Grande abraco!!!

  2. É as vezes muito triste ter sido criada para a eternidade. Não conseguir contentar-se com a injustiça (a minha, a dos outros e a do sistema) é algo muito perturbador. Eu acho que sou sim uma “que chora” (ou pelo menos “que reclama” ou “que sente”). É difícil e frustrante, às vezes.

  3. Seu post consegue explicar ou amenizar o dilema de muitas pessoas sobre o sofrimento, Homerão…

    Concordo que, na cruz, Deus estava dizendo “Eu sei como é…” e lembrei-me também das palavras do Brennan Manning que disse: “A dor é o caldeirão aonde Deus nos molda…”

    Que a nossa vida possa ser imagem e semelhança Dele também no sofrimento…

    Abração!!!

  4. Me emocionei Homero! Parabéns, seu texto é lindo!
    Que bom poder entrar aqui e ler os textos de voces, obrigada!
    Deus te abençoe sempre! Abraço!

  5. Que bom ter você por aqui Goretti!!! Fico feliz de poder contar com sua participação no blog! Participe sempre, esse espaço é seu também!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *