Sacrifício

Levanta da cama o homem auto piedoso. Com o rosto ainda por lavar ele se compadece de si mesmo, afinal, grande é o sacrifício que está a fazer. A sua expressão por si só já é uma murmuração, fruto do mau humor por abrir mão da cama, do descanso, dos demais afazeres que tinha. Lava o rosto e se olha no espelho, indagando a si mesmo o que está fazendo em pé tão cedo. Se coloca ao lado daquela que ele desejava nunca ter saído, se ajoelha e levanta a voz ao seu Deus. Dever cumprido! Menos uma tarefa do longo dia que se inicia.

Levanta da cama o homem piedoso. Tudo bem que não era exatamente uma cama, mas o brilho do sol entrando pelas grades faz com que ele desperte. Ficar deitado um minuto a mais é desperdício, afinal, sabia ele que aquele provavelmente era o seu último dia. As feridas ainda sangravam, e o faziam lembrar da dura pena que recebera. O homem piedoso se põe a falar com o Pai, e é interrompido por guardas raivosos. Ofensas que dão lugar a tapas, que dão lugar a socos, que dão lugar a açoites. Uma coroa de espinhos cravada na cabeça. O gosto do sangue e do suor se mistura com o gosto das cusparadas que recebia. Já sem forças carrega a sua cruz até o alto do monte. Ali é literalmente pregado a um pedaço de madeira. O peso do corpo sufoca lentamente o homem que já está erguido no madeiro. Apesar de tudo, a expressão é serena. Não acusa murmuração, mas amor. “Pai, está consumado. Eu já fiz tudo o que eu podia. Perdoa-os, eles não sabem o que fazem. Em suas mãos eu entrego o meu espírito!”. Morreu o Justo… O céu se enegreceu e o véu do templo, de cima até em baixo, se rasgou.

Um privilégio com jeito de sacrifício. Um sacrifício com cara de privilégio.

O véu que se rasga abre uma perspectiva inacreditável. Sim, agora o homem pode se relacionar diretamente com Deus. Isto é uma dádiva, não um peso. O sacrifício já foi feito, está na hora de aprender a desfrutar do privilégio…

4 comentários sobre “Sacrifício

  1. Infelizmente o primeiro parágrafo se trata de um auto retrato… mas que bom que gostaram, tamo junto!

    E Gaba, concordo plenamente com você!

    Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *