Sacerdócio e Idolatria

Por diversas vezes me pego questionando Deus sobre suas decisões. Faço isso como se meu juízo fosse bom o suficiente para tanto, mas convenhamos que é realmente complicado entender algumas situações ao longo da história do povo hebreu, e também da nossa própria história. Se meu último embate mental comigo mesmo e com as escrituras pudesse ser traduzida em romance, ficaria assim:

” – É sério que Deus colocou Arão como sumo-sacerdote?! Como pode!!

– É sério, uai! Ele foi o primeiro sumo-sacerdote israelita. Nosso Pai tinha todos os motivos do mundo para fazer isto. Ele é bem inteligente por sinal. E nunca erra.

– Eu sei disso. Mas não foi este mesmo Arão o que forjou um bezerro de ouro e incentivou a idolatria! Como Deus pode permitir que um idólatra se torne sumo-sacerdote?

– Primeiro, você deveria parar de julgar Arão com tanta rapidez. E depois, Deus ordenou o idólatra Arão pelo mesmo motivo que Ele permite que um idólatra como você tenha seu ministério e tenha até uma relação com Ele: Misericórdia e Jesus!

– Essa doeu hein! Mas você tem razão. Devo ser tão idólatra quanto Arão. A diferença é que meus bezerros não são de ouro. Preciso parar de fabricá-los. Ainda bem que temos as escrituras, Cristo para nos justificar, e um Deus disposto ao perdão! “

Só um Deus de amor e perdão pode usar pessoas como Arão, como eu e como você.

E por falar em você, eu me pergunto: quando você vai parar de fabricar bezerros de ouro e se comportar como um servo de Deus?

Um abraço.

3 comentários sobre “Sacerdócio e Idolatria

  1. Muito bacana, Neruda! Me fez lembrar de I João, que após 5 capítulos falando sobre amor e obediência, e outros assuntos mais, conclui no último versículo: “Filhinhos, guardai-vos dos ídolos”. É impossível agradar (obedecer/amar) a Deus, com ídolos… E às vezes isso é tão sutil, né?
    Curti, Neruda!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *