O rio, a nascente e o mar

Jesus está praticamente na metade do Evangelho de Lucas. Preste atenção no que diz esse versículo: “Naquela hora, exultou Jesus no Espírito Santo e exclamou: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e instruídos e as revelastes aos pequeninos. Sim, ó Pai, porque assim foi do seu agrado.” (Lc.10:21)

Outra versão diz: “Naquela hora Jesus, exultando no Espírito Santo, disse: Eu te louvo, Pai, Senhor do céu e da terra…”

Jesus exultando. Jesus vibrando. Jesus louvando ao Pai e dando graças à Ele. Você é alguém que dá louvores à Deus?

Só que o texto começa dizendo “naquela hora”Que hora era aquela? Tem hora para louvar à Deus?

O contexto registra o momento em que Jesus enviara seus discípulos dois a dois. Jesus estava no meio do seu ministério. Era tempo de treinamento dos discípulos. Jesus louva ao Pai enquanto estava totalmente inserido em sua missão. Louvor e missão. Louvor e trabalho. Era aqui que eu queria chegar. No meio da missão, louvor. Jesus dá louvores ao Pai enquanto cumpre sua vocação.

Parece que, na vida de Jesus, essas duas realidades andavam juntas. Enquanto servia, louvava de uma forma muito natural. Parece até que uma coisa motivava  ou originava a outra.

Tem gente que quer louvar à Deus, sem servi-lo. Esses precisam do domingo à noite. Só conseguem louvar enquanto estão na reunião com outros cristãos. A banda precisa tocar, senão não tem louvor.

E tem gente que está servindo, mas não dá ao Pai os louvores que lhe são dignos. Esses são como máquinas. Insensíveis.  Parecem não ter coração. Não conseguem exultar no Espírito Santo. Esquecem de Deus e acabam fazendo o ministério sozinhos. Perderam a finalidade.

Alguém, certa vez, disse que louvor sem missão é como um rio sem a nascente. E, missão sem louvor, é como um rio sem mar.

Rio sem nascente (ausência de fonte), e rio sem mar (ausência de destino). Tanto um quanto o outro, não fazem o menor sentido.

 

Como tem sido a sua exultação no Espírito?

 

Um grande abraço!!!

4 comentários sobre “O rio, a nascente e o mar

  1. Esta semana estava pensando sobre isso. Como as vezes me pego fazendo o ministério, sem louvor, sem dar graças, como um robô, como se fosse uma “linha de produção de cristãos”.
    Valeu pelo post, e por me ajudar a lembrar que não há hora determinada para exultar no Espírito.
    Abraço Edu.

  2. Oi, meu amor!

    Eu estava pensando e orando à Deus essa semana por isso, acredita?
    Meu pedido, e desejo, é que eu possa viver e fazer o ministério, e tudo mais na minha vida, de forma que eu pudesse agradar à Deus e louvá-Lo. Não quero fazer nada por mim mesma, em vão, ou como você mesmo disse, sem finalidade.
    Quero servir pra louvá-Lo e exultar de alegria e agradecimento enquanto sirvo.
    Obrigada por você me ajudar e me ensinar a viver dessa forma.

    Beijos!

  3. Bom saber que isso tem ocupado a mente de vocês!
    A minha luta e meu desejo é fazer como aprendo de Cristo…
    Obrigado por ter vocês dois como grandes exemplos e companhias na minha vida!

    Abração para o Faelito e bjo para a minina que me fez voltar a sonhar…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>