Resumo da lei, essência da vida

Jesus, quando perguntado, resume toda a lei em algumas poucas palavras: “Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo.” (Lucas 10:27). Jesus diz não ser verdadeiramente possível fazer a vontade de Deus sem conjugar as duas esferas: a devoção e a ação.

A religião em si não diz nada, é vazia. A pseudo-devoção sem ação é a fé sem obras, sem a preocupação com o próximo. Do cristão que parece ser sábio mas não faz, não muda. Vejamos o que diz Isaías 58: 3-8: “No dia do seu jejum vocês fazem o que é do agrado de vocês, e exploram os seus empregados. Seu jejum termina em discussão e rixa, e em brigas de socos brutais. Vocês não podem jejuar como fazem hoje e esperar que a sua voz seja ouvida no alto. Será esse o jejum que escolhi, que apenas um dia o homem se humilhe, incline a cabeça como o junco e se deite sobre pano de saco e cinzas? É isso que vocês chamam jejum, um dia aceitável ao Senhor? O jejum que desejo não é este: soltar as correntes da injustiça, desatar as cordas do jugo, pôr em liberdade os oprimidos e romper todo jugo? Não é partilhar sua comida com o faminto, abrigar o pobre desamparado, vestir o nu que você encontrou, e não recusar ajuda ao próximo? Aí sim, a sua luz irromperá como a alvorada, e prontamente surgirá a sua cura; a sua retidão irá adiante de você, e a glória do Senhor estará na sua retaguarda.”

Já o cristão que escolhe viver só a segunda parte é aquele que quer fazer, fazer e fazer, mas perde o foco. Perde o objetivo. Perde o melhor da festa e vive como Marta (Lucas 10:38-42).

Não é possível fazer uma ou outra coisa verdadeiramente, se dissociadas. A verdadeira espiritualidade provoca uma mudança na nossa relação com Deus, que muda a nós mesmos e à nossa relação com os outros, nossa visão de sociedade e nossa vontade de agir. Se nos falta uma ou outra parte do mandamento, não vivemos verdadeiramente nenhuma delas.

Que Deus nos ajude a viver em conjunto ambas as partes do mandamento de Jesus. Que não tenhamos uma visão distorcida do Cristianismo, mas que o amor a Deus se traduza nas nossas ações. Que a nossa espiritualidade seja completa – e não hipócrita – e que Deus nos assinale os nossos próximos e como usar nossos dons e talentos em prol do Reino.

Como você pode colocar essas idéias em prática?

(Agradecimentos aos amigos da Comunidade Presbiteriana Chácara Primavera)

ana.oliveira

Sobre ana.oliveira

Ana Luíza, 21, é filha única e já fez intercâmbio. Atualmente estuda Economia na UFMG e é bolsista da Associação Democracia Ativa (dispondo de muita fofoca política pra contar ;]). Adora ler, viajar e aprender línguas. Participa de Alvo da Mocidade desde 2001, estando atualmente na Comunidade. É cristã e simpatiza com o marxismo.

3 comentários sobre “Resumo da lei, essência da vida

  1. Concordo plenamente Ana! Me recordo da oração de Tomé: “Senhor (obediência – ação) meu e Deus (adoração) meu” – acho que demonstra a “essência da vida”!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *