“Refrigera a minha alma”

O título é parte do salmo mais conhecido das escrituras!

O salmo 23 é um convite para avaliarmos nossas vidas e refletirmos em tudo o que o Bom Pastor nos oferece ao longo da caminhada! Como ovelhas  somos bem frágeis, não enxergamos bem e temos dificuldades de entendermos o caminho. Por isso a necessidade do Bom Pastor. Infelizmente, alguns lobos, entendendo a fragilidade, se lançam como falsos pastores e atraem muitas ovelhas para fora do caminho.

Como está sua caminhada? Quem é o seu Pastor?

O Bom Pastor traz consigo a ação de refrigerar almas. O que seria “alma”? Para o povo judeu seria “o homem como um todo”. A alma ferida sofre com consequências emocionais (culpa, frustração, amargura) e físicas (depressão, compulsão, vícios). O bom Pastor quer trabalhar as feridas de nossa alma. Entendo que Deus age de 3 formas contundentes:

  1. Remove nossas culpas: O mal que nós mesmo escolhemos fazer contra nós, contra o próximo ou contra Deus tem como consequência a culpa. Em outras palavras, o pecado gera culpa. Carregamos essa culpa, tentando negar, racionalizar, diminuir ou transferir o pecado. Mas o fato é que não conseguimos nos livrar dela. Por isso, o bom Pastor age, removendo nossa culpa (1 JOÃO 1:7)
  2. Remove nossa amargura: além do pecado que cometemos por conta própria, existe também o pecado que os outros cometem contra nós. Isso gera amargura, ódio. E quem mais sai perdendo é aquele que retém a amargura, ela é uma ferida que cresce e consome a alma! Com certeza, ao longo da caminhada, nossa alma será ferida por outras pessoas! Para isso o Bom Pastor traz consigo o perdão. O perdão é trazido por Deus não de forma abstrata, mas de forma real e intensa, em uma cruz! Temos a obrigação de perdoar… para o nosso próprio bem! Ah, então fica por isso mesmo? Não! Você simplesmente abre mão da vingança, entregando a situação àquele que julga retamente, e Ele vai julgar! (Romanos 12:39)
  3. Substitui nossa tristeza: Além da culpa produzida por nós e da amargura produzida pelos outros em nós, a vida nos coloca em circunstâncias aleatórias que trazem consigo uma enorme tristeza! Perdi meu pai com 12 anos, em acidente aéreo. Perdi minha mãe há 3 anos por uma doença. Pergunta? Isso é culpa de Deus? Não! Isso são situações de um mundo caótico. Deslizamentos, terremotos, tsunamis são reações de uma natureza que “geme”, esperando ser libertada (Romanos 8). E nesse momento de grande tristeza ainda ouvimos jargões religiosos do tipo: “Deus quis assim” ou “foi melhor assim”. Não! A morte nem estava no plano original de nosso  querido pastor! Deslizamentos, furacões, tsunamis também não! Não só o homem decaiu pelo pecado, mas todo o cosmos. E, por isso, somos afetados diretamente pela aleatoriedade dos caos universal. E quando isso acontece…. tristeza! O bom Pastor, chora junto, caminha junto, carregando no colo, se necessário. Essa foi a minha experiência, uma troca de tristeza profunda por saudade gostosa e esperança… muita esperança de reencontro!

Que você possa caminhar com o Bom Pastor! Muito complicado seguir a vida com a ferida da culpa, da amargura e da tristeza bem abertas e doloridas!

Que sua alma seja refrescada por Ele!

Abraço e até a próxima!

Homero Castro

Sobre Homero Castro

Nome: Homero Resende Castro Nasci em 1979 em Belém do Pará, moro em Belo Horizonte desde 1989. Sou formado em História pela Universidade Federal de Minas Gerais. Desde 1999 trabalho como missionário na associação Alvo da mocidade. Eu e minha maravilhosa esposa, Camila temos duas filhinhas lindonas, Helena e Elisa, e uma sapeca cadela chamada Leona.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *