E quem eu mais queria

O livro se chama “Cântico dos Cânticos de Salomão”! Seu primeiro versículo diz: “Cântico dos cânticos de Salomão.” (Ct.1:1) Esse, talvez, seja o livro nas Escrituras que eu tenha menos familiaridade. Já li algumas vezes, mas não tenho grande intimidade com esse pequeno relato de Salomão. Relato, diga-se de passagem, de um homem apaixonado!

Há quem diga que esse livro é um tanto quanto erótico. Uma coleção de poemas de amor hebraicos muito explícitos e picantes. Os jovens judeus não tinham permissão de lê-lo até atingirem certa idade.

O fato, porém, é que o livro dos Cânticos é considerado um livro de “fossa”, de quem está numa profunda melancolia por causa do amor. Sabe por que?

Salomão, o autor, revela ter sido envenenado por sua maior façanha. Nós sabemos da história! O rei Salomão teve 1.000 mulheres ao seu dispor (700 esposas e 300 concubinas).

O homem que teve centenas de mulheres ao seu dispor, revela a “ironia divina” em que se encontra. (Deus deve ter um senso de humor incrível!) A única mulher que Salomão desejou mesmo, ele não teve e assim conta o livro.

Cântico dos Cânticos não é um livro de romance. É a história de um homem se dedicando à uma mulher e ela dizendo “Não!” para ele. Um rei que afirma: “Vou te buscar no campo com minha carruagem!”, e a mulher responde: “Não, rei! Eu não estou buscando carruagem, nem palácio… Porque eu amo um camponês!”

Salomão não se conforma com isso! Ele tenta oferecer tudo para essa mulher. Ele a cobre de jóias, de elogios, de presentes, de galanteios, faz a corte e ela diz: “Eu não quero romance com o rei! Eu amo um camponês e digo ao rei que as muitas águas não irão apagar o amor que existe em nós, porque o amor que possuímos é duro como a sepultura e é mais forte do que a morte! É chama que não se consome, portanto, vá com a sua ‘conversinha mole’ para lá, porque eu amo um camponês!”

Para mim, pelo menos 2 coisas ficam claras:

1º) Salomão é um paradigma de idolatria. Nessa história, é como se Deus estivesse ensinando que aquilo que você não consegue realizar com 1 (uma) mulher, você não irá conseguir realizar com 1.000 (mil). O nosso coração tem sede de qualidade e não de quantidade! É preciso buscar o amor na sua tão desconhecida essência…

2º) Se você encontrar alguém que seja como a mulher do livro de Cânticos, case-se com ela e viva o resto dos seus dias com essa pessoa! Se você já a encontrou, não a largue por nada nesse mundo!  O amor dessa mulher é impressionantemente forte e a evidência externa mais explícita disso é a sua fidelidade ao homem a quem ama…

“Mulher virtuosa”, disse Salomão, quem a achará? O seu valor excede o de finas jóias…” (Pv.31:10)

De quem será que Salomão estava falando? 

Palavras de quem teve muitas mulheres, mas quem ele mais queria…

Um grande abraço!!!

Eduardo Victor

Sobre Eduardo Victor

Mineiro de Belo Horizonte, 33 anos, cristão e missionário em Alvo da Mocidade. Apaixonado pelas Escrituras, tornei-me um sonhador quando descobri que Deus pode nos surpreender com as coisas mais simples e inusitadas desta vida...

5 comentários sobre “E quem eu mais queria

  1. Que bom que vocês curtiram, Gaba e Sabrina!

    Acho que as Escrituras são uma fonte inesgotável de aprendizados e surpresas… Por isso, a vida com Deus nunca deveria experimentar monotonia!

    Abraços pra vocês!!!

  2. Du, muito bom! Mas queria sugerir outra coisa também… percebo que as historias no velho testamento são também figuras da relação entre Deus e seu povo. E ele nos leva sempre em direção à essa compreensão, para que nos avaliemos. Acho que esse livro também descreve a relação entre Deus e sua esposa( igreja ou povo de Israel), e vice versa. Na qual, como um marido amoroso e fiel, quer entrar em nós como a uma mulher e nos fecundar trazendo à luz o seu filho. Não foi essa ordem que Deus deu a Adão e a Eva? Sejam fecundos e multiplicai-vos. Também a Abraão?
    Penso que Adão e Eva são também figuras de Cristo e da Igreja!
    Desculpe pela liberdade!
    Grande abraço.

  3. Não há razão para se desculpar, Valtinho!

    Sinta-se livre para opinar e acrescentar… Concordo com sua abordagem e creio sim, que o Cântico dos Cânticos pode ser visto também como uma metáfora entre Deus e seu povo!

    Grande abraço e volte sempre aqui nos comentários, amigão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *