Do protagonista

Somos um grão de areia na história do mundo. Construímos navios, fomos à lua, avançamos na cura de doenças, terminamos um curso universitário, passamos num concurso, temos sucesso na empresa: tudo é mais um grãozinho de areia na história do universo, embora nos pareça muita coisa.

Nos cremos ser muita coisa e de fato fomos criados para ansiar sempre mais, sempre algo melhor. Porém, muitas vezes nos cremos autossuficientes. Independentes. E nos perdemos em nossos monólogos ou em nossos diálogos, sem deixar que participe ativamente aquele que é o ator principal.

Deus é o verdadeiro protagonista da história: da do mundo e da nossa, embora queiramos sempre roubar a cena. No evangelho vemos diversos personagens: Nicodemos, Marta e Maria, Lázaro, os apóstolos, Maria e José… Mas o foco nunca deixa de ser Jesus: os outros aparecem e cumprem a função de que conheçamos mais do caráter dele, do cuidado dele conosco.

Nunca estamos no controle da nossa vida. Melhores são os momentos em que admitimos nossa pequenez, nossa dependência.  Deus é o verdadeiro protagonista e nós como atores principais somos, francamente, um desastre.

Não vou perguntar quem é o protagonista da nossa vida, pois já sabemos a resposta. A pergunta que deixo é a seguinte: temos confiado que esse protagonista está cuidando das cenas, dos scripts e dos cachês? Temos seguido as suas deixas e seus roteiros ou a nossa vida tem se caracterizado mais pela rebeldia e pela vontade de ganhar o papel principal?

ana.oliveira

Sobre ana.oliveira

Ana Luíza, 21, é filha única e já fez intercâmbio. Atualmente estuda Economia na UFMG e é bolsista da Associação Democracia Ativa (dispondo de muita fofoca política pra contar ;]). Adora ler, viajar e aprender línguas. Participa de Alvo da Mocidade desde 2001, estando atualmente na Comunidade. É cristã e simpatiza com o marxismo.

Um comentário sobre “Do protagonista

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *