Prometeu e seu abutre

Atualmente tenho me deliciado com um clássico da literatura escrito por Herman Melville: Moby Dick. O livro relata a história de um capitão de um navio baleeiro em sua perseguição insana a um ¨monstro dos mares¨, a baleia branca Moby Dick. Essa perseguição insana se iniciou porque o capitão Acab perdeu sua perna em uma luta contra a grande baleia. Em um momento do livro o autor separa um capítulo para falar sobre o ódio que Acab tinha:

¨Ah, Deus, que tormentos sofre o homem que se consome com seu desejo de vingança. Dorme de mãos cerradas e acorda com as unhas ensaguentadas cravadas nas palmas¨

¨Deus te proteja, velho, pois teus pensamentos deram origem a uma criatura em ti; aquele cujo intenso pensamento o transforma assim em um Prometeu, um abutre pasta eternamente em seu coração e o abutre é a própria criatura por ele criada.¨

Esse texto me fez pensar no grande prejudicado por todo aquele ódio: o próprio velho capitão! Um homem condenado a ter o seu coração sendo eternamente consumido por um abutre que ele mesmo criou, assim como Prometeu na mitologia grega.

Fiquei me perguntando: Quantas vezes não sou condenado, como Prometeu, a ter um abutre consumindo meu coração?

E o mais triste, a condenação é minha! Eu sou o responsável por criar esse abutre!

E eu te pergunto: Como está o seu coração? Existe algum abutre que te consome?

Hoje é dia de destruir abutres! Dia de se libertar dessa condenação que você mesmo se colocou! Dia de perdoar!

¨Antes, sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo, vos perdoou.¨(Efésios 4.32)

Homero Castro

Sobre Homero Castro

Nome: Homero Resende Castro Nasci em 1979 em Belém do Pará, moro em Belo Horizonte desde 1989. Sou formado em História pela Universidade Federal de Minas Gerais. Desde 1999 trabalho como missionário na associação Alvo da mocidade. Eu e minha maravilhosa esposa, Camila temos duas filhinhas lindonas, Helena e Elisa, e uma sapeca cadela chamada Leona.

6 comentários sobre “Prometeu e seu abutre

  1. Homero,

    Este texto me leva a pensar o quanto somos burros as vezes(falo de mim), se podemos escolher viver com sentimentos bons, construtivos, agradaveis, porque alimentar sentimentos que so levam tristeza ao coração? Só o PAI mesmo para ter pasciência.

    Legal o questionamento.

    até.

  2. Acho que não tenho o abutre do ódio ou da vingança, mas tenho criado alguns outros… Preciso destruí-los, amigão…

    Muito bom o texto, Homerão!!!

    Valeu!

  3. ¨Ah, Deus, que tormentos sofre o homem que se consome com seu desejo de vingança. Dorme de mãos cerradas e acorda com as unhas ensaguentadas cravadas nas palmas¨

    Muitas vezes eu quero ver justiça, ou desejo fazer justiça contra aquele que eu julgo estar errado. O perdão é bacana porque ele não busca justiça, ele busca comunhão. E aí eu não alimento o “Abutre” que me destrói. Eu alimento aquele que me edifica: o Amor.

    Muito legal o texto Homero.
    Abraço

  4. Legais as ideias Homero!! Gosto mto de mitologia! Essa historia de Prometeu e muito interessante para se pensar!!

    Faell, lindo o que escreveu!!! Adorei sua reflexao!!! Muito joia!!
    Super profundo, hein cara….rs!!

    Bjinho

  5. Obrigado pela participação!!!
    Valeu Tio! Muitas vezes me acho burro tb!
    Precisamos exterminar qualquer tipo de abutre Edu!
    Valeu pelo mini post Fael! Vc acrescentou muito!
    A mitologia é bem rica de analogias Luma, tb acho muito interessante!
    Abraço a todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *