Projetos versus sonhos

No início deste ano estava com diversos projetos em mente – lançar um blog, aumentar a participação do meu twitter na Rede, fundar um grupo de estudos em Direito Ambiental na faculdade e, dentre tantos outros que já tinha anteriormente, formar. Eram apenas projetos, não estava empolgado com nenhum deles em especial. Tédio (aqui entendido como ausência de sonho) é a palavra que melhor expressava meu sentimento.

Pois bem, o semestre seguiu e os projetos finalmente começaram a sair do papel. No início foi bem chato, confesso. Aos poucos, porém, pude perceber a presença de Deus em cada uma das muitas atividades. Foi muito difícil conseguir conciliar as velhas tarefas com o que de novo surgia. E, como nossos encontros com Deus acontecem mais nos vales do que nas cristas da vida, logo os projetos se transformaram em desafios de fé. O prazer de servir ao Pai através do que gosto de fazer tomou o lugar da preguiça e da inércia na estagnação.

Apresentando os resultados: o blog está no ar (engatinhando ainda, mas já está), aumentou em aproximadamente 50% o número de seguidores no twitter, o grupo de estudos está de férias após um semestre de muito aprendizado e é muito aguardado em agosto, passei em todas as disciplinas do último período na faculdade, e, ainda assim, consegui sobreviver após tanta correria e tanta emoção.

Aliás, a emoção é justamente o que diferencia o início do ano dos seis meses posteriores. Cheguei a duvidar da necessidade de tamanha agitação dos meus neurotransmissores. Pensei então em quanto é melhor ter o medo de não passar em uma prova e depois ver o resultado positivo. Pensei nos muitos desafios enfrentados na vida para finalmente chegar à formatura. Pensei nas dificuldades em orar para que Deus concedesse a possibilidade de servir em um grupinho de estudos e um dia ver tão de perto as vidas transformadas. Pensei que sem Deus e emoção a vida seriam completamente diferente.

Se pudesse resumir toda a reflexão em apenas uma pergunta seria: até onde Deus participa da sua vida no dia-a-dia?

Assim é que prossigo: sempre que o tédio bate à porta me coloco em oração para que Deus preencha minha vida. Não que eu peça dificuldades ou emoções ligadas à tristeza, mas oro em busca de sabor e cor nas muitas ideias que via de regra habitam minha mente e nos diversos afazeres que ocupam meu tempo.

Acredito não ser o único nessa história. E você, como está? Cheio de projetos ou cheio de sonhos? Sua vida tem emoção ou está tudo um tédio?

Rafael Santtos

Sobre Rafael Santtos

Rafael Santos, Belo Horizonte, 18 de abril de 1984, cristão desde 2012, sonhador, aventureiro, sanguíneo, exortador. E deseja dividir um pouco do que pensa através do Outras Fronteiras.

Um comentário sobre “Projetos versus sonhos

  1. Nossa Rafa,mt legal ver vc vibrando e realizando seus sonhos! Vc está num momento mt legal e fico mt feliz c vc! Q vc continue sempre buscando a Deus em td na vida, e q mts realizações venham ainda sem tédio, hehe Bjão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *