Post-it!

A mezuzá era um pequeno rolo de pergaminho que, afixada nos batentes da porta da casa de cada judeu, continha a “Shemá” e a “Vehaiá”, escritos de Dt 6:4-9 e Dt 11:13-21. Já os tefilin, ou filactérios, eram caixinhas de couro colocadas no braço esquerdo, enroladas na mão esquerda e na testa; usadas pelos meninos judeus a partir de seus 13 anos, continham trechos da Torá que enfatizavam a recordação dos mandamentos e da obediência a Deus.

Os judeus cresciam ouvindo a lei e sendo desafiados a memorizar e meditar dela. Ofereciam sacrifícios diários e ensinavam a Palavra de Deus diariamente. O calendário hebreu se baseava em datas como a Páscoa e o Dia da Expiação; tudo para indicar que é o Senhor quem controla a história.

Um judeu devoto e piedoso não podia passar uma hora do seu dia sem se esbarrar em algum lembrete sobre seu Criador.

tefilin1

Tenho o costume de usar lembretes. Post-its espalhados pelos cantos, avisos na agenda, alarmes apitando no celular… não por não serem importantes, mas é que algumas tarefas minha cabeça simplesmente e incrivelmente não consegue me fazer lembrar.

No entanto, ainda consigo passar quase um dia inteiro sem me lembrar do meu Senhor.

Devia ser tão consciente da Presença de Deus quanto Ele é da minha, mas absurdamente vivo como se Deus não existisse, afastando-O dos meus pensamentos. Isso é o que Jerry Bridges define como impiedade – viver uma vida descentralizada em Deus e tirá-lo da jogada, como se Ele fosse irrelevante no nosso dia-a-dia.

Eu, que vivo na graça e cuja justiça deve “ultrapassar a justiça dos fariseus”, confesso que por vezes até penso em afixar lembretes e pendurar “filactérios” nos braços para não me esquecer de que tudo o que eu faço deve ser para Ele.

“Nosso objetivo na busca da santidade deve ser o crescimento cada vez mais consciente de que vivemos todos os minutos na presença de Deus; que somos responsáveis perante ele e dependentes dele. Esse objetivo deve incluir o desejo cada vez mais intenso de agradar a Deus e glorificá-lo nas atividades mais simples da vida”. (Jerry Bridges)

E você? Tem na lembrança o tempo todo que Jesus está com você ou ainda vive como se Deus não existisse?

Quantas das coisas que você já fez durante o dia de hoje incluíram o Senhor e o que você faria diferente se tivesse essa lembrança mais frequente?

Que você viva uma semana muito consciente da Presença de Deus. E se for preciso, espalhe post-its por aí…

Um comentário sobre “Post-it!

  1. Muito legal o post Quel!
    Eu também gostaria de viver a minha vida como uma grande oração, em solitude, buscando e glorificando a Deus o tempo todo, mas, infelizmente me distraio facilmente e sou seduzido pelo mundo.
    Obrigado pelo lembrete!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *