Ponto de vista

“Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis.” (João 13:34)

Hoje vi o jogo do Uruguai contra a Holanda. Decidi torcer pelo Uruguai. Foi chato vê-lo perder. Mas se tivesse torcendo pra a Holanda, estaria super satisfeita.

Sabe quando você vê um filme de guerra e torce horrores pro “seu” lado (o que está sendo focado) matar mais gente e sair vitorioso? Mas se o filme fosse uma produção do outro lado, você certamente estaria torcendo para os outros.

Quantas vezes não me comporto da mesma forma na minha vida? Olho ao meu redor e escolho assumir o meu ponto de vista – afinal eu sei de todas as minhas desculpas, poréns e motivações “nobres” para agir como ajo – e busco defender os meus interesses, custe o que custar. Aí é claro que eu me torno mais importante que os outros, se foco no meu umbigo, sem pensar que ao meu redor estão pessoas tão complexas e desculpáveis quanto eu, que também têm problemas e dias complicados. “Eu tenho um motivo para ter perdido a cabeça com o fulano hoje, mas quem deu direito ao fulano de falar comigo nesse tom?”, sendo que o fulano pode estar pensando exatamente o mesmo.

Comportamo-nos como se estivéssemos em competição com os outros, cada um olha seus próprios interesses, não tratamos as pessoas com amor. E de fato nosso sistema econômico nos leva a isso, diariamente, mesmo que não percebamos. Como resultado, acabo me esquecendo de que no meu dia-a-dia estou cercada por pessoas que, exatamente na mesma magnitude que eu, são amadas por Deus.

Deus vê todos os lados e não está do lado de ninguém. Mas, ao mesmo tempo, está ao seu.

O que você tem oferecido gratuitamente às pessoas à sua volta, sejam eles desconhecidos no trânsito ou familiares e amigos mais próximos? O que esse versículo do início te diz?

ana.oliveira

Sobre ana.oliveira

Ana Luíza, 21, é filha única e já fez intercâmbio. Atualmente estuda Economia na UFMG e é bolsista da Associação Democracia Ativa (dispondo de muita fofoca política pra contar ;]). Adora ler, viajar e aprender línguas. Participa de Alvo da Mocidade desde 2001, estando atualmente na Comunidade. É cristã e simpatiza com o marxismo.

12 comentários sobre “Ponto de vista

  1. “Comportamo-nos como se estivéssemos em competição com os outros, cada um olha seus próprios interesses, não tratamos as pessoas com amor.”

    Uma vez eu li também num blog que os sábios dizem que “todo ponto de vista é visto de um ponto”. E então só olhamos do nosso ponto. Nossa visão é limitada e tendenciosa à nos dar sempre razão.
    Espero viver sem querer convencer a todos que tenho razão, mas olhar para as pessoas com um coração amoroso pronto a abrir mão do “meu ponto de vista” e dar espaço a relações saudáveis, pacíficas e amorosas.

    Legal demais o Post Ana.
    Abraço

  2. Gostei muito do post, Ana!
    Creio ser essa, uma das razões, pela qual a Bíblia nos arremete a não julgarmos nada, nem ninguém… (I Co.4:5)

    “Todo ponto de vista é visto de um ponto…”
    Não é necessário dizer mais nada… Muito legal, Fael…

    Valeu!

  3. Acho que muita gente pensa assim: “se eu não cuidar dos meus interesses, quem vai?”
    Nós não temos essa desculpa. Não precisamos brigar pelo nosso lado, Deus cuida de todas as nossas necessidades e, muitas vezes, além disso. Devemos viver de forma pacífica, dando “a outra face”, agindo com amor… enfim, tudo que a gente esta careca de saber, mas que é uma luta diária!

    Muito legal, Ana!

    PS: Você sempre da um jeito de criticar nosso sistema econômico, ne? hahahaha #brinks

  4. Muito legal essa frase, Fael! Todo ponto de vista é visto de um ponto… Interessante…
    DK, eu preciso me lembrar diariamente dessas idéias. Eu tenho muito a tendência de querer fazer justiça com as minhas mãos, quando na verdade eu nem estou fazendo justiça, é sentimento de vingança mesmo…
    Sobre o sistema: Como NÃO criticar? hahaha eu não dô conta mesmo não… mas espera o post da semana q vem!!! :)
    bjos

  5. “sem pensar que ao meu redor estão pessoas tão complexas e desculpáveis quanto eu, que também têm problemas e dias complicados”

    Estava justamente pensando nesses dias em como sou individualista; me questionando sobre o valor que dou ao outro, à sua vida e importância. Não gosto muito de mim quando me deparo com essas questões. Triste…..
    =(

  6. é, Luma, mas infelizmente você não é a única!
    depois lê o post do vidigal “pensamentos urbanos”, q eu linkei aí. não sei se vc já leu…

  7. ei ana!!! ja tinha lido sim…mas reli!! Nos comentarios vc diz uma coisa muito legal sobre “amor gratuito” pelas pessoas, lembra? Esse tem sido meu desejo!!!
    brigadinha…….bju!

  8. Quando eu li o post a primeira coisa que me veio a mente foi a frase que o Fael citou! Que coincidência. E sabe o que é mais interessante sobre isso? é que, pelo que me disseram, essa frase é do Karl Marx, que desenvolvia suas críticas justamente do ponto de vista econômico que a Ana citou! Acho que isso faz refletir sobre quais valores têm permeado nossas atitudes. Interesses materiais pessoais ou o amor para o qual Deus nos destinou…
    Muito legal Ana!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *