Pais da Igreja – Santo Irineu de Lyon

Irineu nasceu em Esmirna (hoje Turquia), por volta do ano 135. Era um frequentador da escola de Policarpo, discípulo do apóstolo João.  Anos mais tarde se dirigiu para a região da Gália, onde ajudou a desenvolver a comunidade cristã de Lyon. Em uma missão especial, foi até Roma entregar uma carta dessa comunidade ao bispo de Roma (Eleutério). Mal sabia ele que, durante esse período, o imperador Marco Aurélio sacrificou 48 cristãos em Lyon (inclusive o bispo de Lyon – Potino). Ao retornar, Irineu se tornou o bispo da cidade. Pastoreou a comunidade até o ano de 202-203, morrendo (talvez) como mártir.

Duas obras dele chega até o nosso tempo:  “Contra as heresias” e “Exposição da pregação apostólica”. Irineu pode ser considerado o primeiro grande teólogo da Igreja, é o criador da primeira teologia sistemática, isto é, a coerência interna de toda a fé. Foi um grande confrontador do gnosticismo, grupo altamente intelectualizado e muito fragmentado (muitos pensamentos conflitantes entre eles). Em suma, os gnósticos acreditavam que a Igreja usava de símbolos para ajudar o povo a compreender algumas coisas , mas que a “verdadeira verdade” foi descoberta por eles, um grupo restrito e intelectual. Acreditavam no dualismo entre o Deus bom e um princípio negativo. Esse princípio criativo foi o responsável por criar a matéria. Tudo que era matéria era mal. O Cristo não veio em carne e sim em espírito sobre a carne, segundo eles. Irineu bate de frente mostrando a original santidade da matéria, do corpo em simetria com a santidade do Espírito. E afirmava que a Igreja era a detentora da verdade, uma verdade simples e disponível a qualquer um que a recebesse com humildade. Segundo ele não há doutrina secreta por detrás do credo comum da Igreja.

Na luta contra o gnosticismo ele trabalha muito a ideia do ensino dos apóstolos, resumindo em três pontos:

  1. A tradição apostólica é pública: Não é privada e nem secreta. Pública e disponível, com Cristo e seus apóstolos
  2. A tradição apostólica é única: Gera unidade através dos povos, através de diferentes culturas e de grandes diversidades.
  3. A tradição apostólica é “pneumática” (do grego “pneuma” é espírito): É guiada pelo Espírito. É viva, criativa. Não depende da habilidade de homens doutos ou com a “gnose” e sim do agir do Espírito.

Que possamos aprender com Irineu, que a fé da Igreja seja, hoje, transmitida como “pública”, “única”e “pneumática”! E que sigamos dentro da simplicidade e ousadia da tradição apostólica!

Abraço e a té a próxima!0

Homero Castro

Sobre Homero Castro

Nome: Homero Resende Castro Nasci em 1979 em Belém do Pará, moro em Belo Horizonte desde 1989. Sou formado em História pela Universidade Federal de Minas Gerais. Desde 1999 trabalho como missionário na associação Alvo da mocidade. Eu e minha maravilhosa esposa, Camila temos duas filhinhas lindonas, Helena e Elisa, e uma sapeca cadela chamada Leona.

3 comentários sobre “Pais da Igreja – Santo Irineu de Lyon

  1. Grande Irineu! Pai da “cosmovisão” cristã. Tema do estudo hehe

    O dualismo era entre Deus e o princípio negativo. Então, logo em seguida, você escreve “princípio criativo”. Foi erro de digitação ou o princípio é criativo-negativo? Deus por ser bom só tinha relação com a gnosis e não com a matéria né?

  2. Foi erro meu mesmo Gaba. É “princípio negativo”. E a ideia gnóstica era essa mesmo. Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *