Pais da Igreja – Gregório de Nissa

Gregório, irmão de Basílio (sobre quem falei no último post), nascido por volta de 335. Se tornou bispo de Nissa e um importante teólogo da Igreja. Foi protagonista do Concílio de Constantinopla que, em 381, definiu a divindade do Espírito Santo. Não sabemos a data de sua morte, mas durante a vida deixou uma marca muito forte na Igreja. Talvez o ensino mais forte dele como teólogo seja: “não desperdiçar a vida em coisas vãs, mas encontrar a luz que permite discernir o que é verdadeiramente útil.”

Encontrou essa luz em Cristo e ensinava muito sobre o fato de nos tornarmos como nosso Senhor e Salvador.  Para ele, a realização do homem consiste na santidade, em uma vida vivida no encontro com Deus, nos ajudando a refletir a luz para os outros e para o mundo. Essa vida de tornar-se semelhante a Cristo era atingida através do amor, do conhecimento e da prática das virtudes.  No entanto, esse processo não é obra nossa, mas o resultado do agir gracioso de Deus. Portanto, segundo ele, “não se trata de conhecer algo de Deus, mas de possuir em si a Deus.”

Esse é o verdadeiro caminho, o verdadeiro milagre … Deus em nós!

Quantas vezes tentei, como minhas próprias forças e meus dons, ser mais parecido a Cristo! Tenho pena das vezes em que cai na armadilha da religião humana (aquela que me chama a negar a graça e me leva a tentar ser meu próprio salvador). Como esse mecanismo religioso ainda atua em mim. Como é difícil compreender a graça e confiar que o Deus em mim é quem continua me salvando e me fazendo uma pessoa mais parecida com Cristo.

Como vai a santidade em sua vida? Quem é o verdadeiro agente de transformação do seu ser?

 

Abraço e até a próxima!

 

Homero Castro

Sobre Homero Castro

Nome: Homero Resende Castro Nasci em 1979 em Belém do Pará, moro em Belo Horizonte desde 1989. Sou formado em História pela Universidade Federal de Minas Gerais. Desde 1999 trabalho como missionário na associação Alvo da mocidade. Eu e minha maravilhosa esposa, Camila temos duas filhinhas lindonas, Helena e Elisa, e uma sapeca cadela chamada Leona.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *