O que é o amor?

No meu último post falei qual era o atributo, para Jesus, que diferencia os cristãos do resto da população: o amor. Entretanto, sinto que esse termo é um pouco abstrato e, por isso, muito mal compreendido. Tendo em vista isso, te pergunto: o que é o amor?

Bom, ao meu ver, amor só pode ser uma de três coisas: ou um sentimento, ou um estado de pensamento, ou ação. Apenas gostaria de lembrar que não tenho a pretensão de esgotar o assunto, mas  de tecer algumas idéias práticas e simples acerca do mesmo.

Certamente não é sentimento. Afinal, sentimentos são muito voláteis, enquanto que as palavras de Cristo nos compelem a algo muito mais sólido e constante. A idéia é que devemos amar sempre, apesar dos sentimentos.

Certamente também não é um estado de pensamento. Amar, em hipótese alguma, é um sinônimo de “pensar coisas boas”. Afinal, as palavras de Cristo nos compelem a algo muito mais prático, muito além de um mero pensamento.

Logo, nos resta apenas uma opção: amor é ação. Não existe amor fora dos atos que o materializam – não existe amor sem atitudes.

Mas, por favor, não vá muito longe. Sempre que falamos de atos de amor, imagens românticas saltam em nossas mentes. No entanto, o amor cristão não tem nada a ver com as mesmas. Ele tem, como base, atos bem menores, refletidos em cada movimento que fazemos em nosso dia a dia.

Amor é nada mais nada menos que escolhas. É escolher gastar ou não gastar seu tempo com alguém, apesar dos pesares. É escolher dar carona para aquele seu irmão; escolher permitir que ele mude o canal da TV ou use o computador; ou ainda escolher ajudar seu pai lavar a louça no domingo. É escolher não ouvir aquele babado fortíssimo e não contar aquele segredo; é escolher deixar os outros servirem a comida primeiro; ou ainda escolher repassar a matéria da prova com um amigo.

É também escolher não passar cola, para não sustentar a irresponsibilidade; escolher não copiar, em respeito ao autor. Escolher beber bebidas alcoólicas, para vivenciar um momento com pessoas; ou escolher não beber,  para não causar constrangimentos. É escolher não fazer nada para apenas ficar do lado de alguém; ou escolher refrear seus pensamentos, para não alimentar besteiras.

Enfim, poderia continuar aqui numa lista de exemplos sem fim, mas não é o caso. A pergunta primordial, agora, é: como me tornar uma pessoa de amor? Ora, se amor é atitude, um bom começo é reavaliarmos cada escolha do nosso dia a dia. Desde as menores até as maiores. Desde as escolhas que envolvam apenas nós mesmos, até as que envolvam outras pessoas e Deus.

Nesses tempos de férias prolongadas e reorganização pessoal não deixe de separar um tempo para essa reavaliação de escolhas! Tenho feito isso e está sendo muito bom para minha vida. Te garanto: muitos frutos virão.

10 comentários sobre “O que é o amor?

  1. Estou gostando muito de sua sequência de idéias sobre o amor, afinal de contas o amor é a marca do cristão! Só gostaria de ressaltar que, para mim, ter atitudes de amor genuíno preciso de aprender a amar com Cristo e aprender a me sentir amado por Cristo!
    Valeu Mateus!

  2. prezado mateus…
    você vai longe!

    Vale ressaltar que percebo de forma clara você aplicando essa idéia em sua vida nos últimos anos, e é perceptível a diferença.
    sem dúvida amor é marca registrada do cristão e a forma que temos para fazer diferença no mundo!

    abraço

  3. Muito legal cara!! Amor é atitude sem dúvida, e muito bem ressaltado por você, nas menores coisas que fazemos é que muitas vezes transbordamos amor pelas pessoas. Muitas vezes apenas a nossa companhia e afeto em momentos difíceis, sem sequer usar uma palavra, já é capaz de demonstrar muito amor. Espero que essas atitudes possam estar presentes em nossas vidas todo o tempo, sei que é uma luta, mas espero que estejamos juntos nessa!! Abraços

  4. ” Meus filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, MAS POR OBRA e em verdade. ” IJo 3: 18…
    So mais um indicio de que o amor e açao!
    Abraço!!!

  5. Gostei muito das idéias mateus!
    E me fez lembrar daquela música que diz:
    “Que amar, sempre é dar muito mais do que receber, e só o amor, tem o poder pra transformar o meu viver..” E é isso né!
    Brigada por compartilhar essas idéias.

  6. Mateus!
    Parabéns pelo post!
    Gostei muito!!
    Queria ressaltar aqui que concordo com o Eduardo Gibson: também vejo você aplicando essas idéias em sua vida de uns anos pra cá e realmente é perceptível a diferença.
    Sempre aprendo muito com você! : )

    Bjus!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *