O Pai, o Filho… o Espírito Santo

Água

Desde a criação, até a vinda de Jesus, passando por toda a saga judaica, os patriarcas, o Egito, o deserto, os profetas, durante todo este tempo a “figura maior” da trindade era o Pai, o impronunciável YHWH Senhor. Jesus já estava lá, o Espírito Santo já estava lá, mas Deus-Pai era como se o principal.

Com a vinda de Jesus, ele foi o grande destaque da vez. O Pai estava lá, o Espírito estava lá, mas Jesus tornou-se a grande figura no mundo, como se substituindo o Pai, sem anulá-lo.

Quando Jesus saiu fisicamente da terra, ele enviou o mensageiro, o advogado, o consolador. Jesus já não estava fisicamente lá, mas permanecia e o Pai também estava lá.

Inicialmente temos um Deus do qual se ouve falar, sem ver, sem tocar. Depois, um Deus visível, audível, físico e com o mesmo corpo que nós. Em seguida um Deus interior, Deus dentro de nós.

Jesus veio para permitir o acesso ao Pai pelo Espírito. Ele é a porta pela qual as ovelhas entram, encontram pastagem e água fresca. Ele veio para que vivêssemos em abundância mas, temos vivido?

Nós paramos na cruz? Recebemos a salvação de Jesus e pronto? Entramos no aprisco para não conhecer o mel e o leite que emanam daquele lugar? Somos cheios do Espírito ou apenas temos dele?

Recentemente, o convívio com certos cristãos tem – graças a Deus – me feito vislumbrar uma realidade superior, um vale mais verde e amplo. Pastagens fartas da qual podemos usufruir. Pessoas que me impressionam com sua humildade, seu arrependimento sincero, seu serviço (até à família!), seu esforço pelos relacionamentos produtivos, sua luta honesta por uma vida mais próxima de Deus. Estas pessoas me fizeram pensar sobre ser cheio do Espírito.

Estar próximo a estas pessoas faz-me sentir bem, faz-me querer ser melhor, lutar com maior empenho, subjugar os meus desejos e ser mais disciplinado. Exercer a respiração espiritual: exalar o pecado, inspirar o Espírito. Ler a Bíblia com real interesse, vislumbrando um novo eu. Não me resignar com o eu atual. “A inveja que sinto me entristece, mas isso é porque eu preciso ser transformado. Posso usufruir de uma vida sem esta tristeza”, orar com fé que posso mudar.

Ao lado destas pessoas eu lembro: “rios de águas vivas fluirão do seu interior”.

5 comentários sobre “O Pai, o Filho… o Espírito Santo

  1. Muito bem colocado mesmo, Vidigal… A começar por mim, às vezes esquecemos a abundância, os rios de água viva, o tanto que Deus ainda tem para nos dar e não buscamos, nos contentando em compreender a salvação que Cristo nos proporcionou.

    Meninos, muito boa mesmo essa sequencia de posts sobre a Trindade! Todos eles!

  2. Mt joia o post, lindo!
    Várias das coisas que você escreveu eu nunca havia pensado a respeito, elas fazem total sentido.
    Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *