O bom amigo

Era antes do sol nascer quando pus os pés no chão frio. O frio ansioso na barriga, o bom ânimo e a alegria pareceram maiores que o corpo doente e o sono acumulado das anteriores manhãs do mesmo ritmo.

O banho quente, a mochila cheia, uma última olhada na lista de lembretes, e uma hora de quebra cabeças pra fazer caber o mundo de papel nas quatro rodas. Café na mão, sai.

Uma manhã onde o ritmo andava de impasse com o corpo. O vazio virava cor. Pessoas corriam, se sujavam, sorriam, se incomodava, comemoravam e corriam de novo.

Uma manhã de muitas histórias, das quais escolhi a ligação entre um corre e o outro. Da voz familiar, muito amiga mas inesperada. De quem não precisava estar ali, de quem não tinha motivos pra se preocupar. De quem apenas quis estar ali: “Só quero saber como posso te ajudar hoje; te levo comida?”

O dia passou, quase acabou e, da voz amiga voltei a ouvir carinho, a lembrança de me cuidar e curar, o simple desejo pelo bem meu estar. Muito amor.

Alegria enorme é saber que tempos uma família, pessoas que não precisavam estar ali, que não tinham motivos para se preocupar, mas apenas escolheram estar ali. Amigos.

Obrigada!

Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros. (Rm 12:10)

Ótimo domingo.

Lari

Sobre Lari

Nome: Larissa Martins Mendes. Belo Horizonte, 1992. Hoje, aos 22 anos de idade é estudante de Letras Inglês na Universidade Federal de Minas Gerais & dedica seu tempo trabalhando com o ministério para jovens, Alvo da Mocidade, com o enorme amor que tem por eles e pelo Evangelho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *