Notas introdutórias: Gabriel Lazarotti

Assim chamado desde as 3 horas da manhã do dia 16 de novembro de 1987. Esse seria o nome pelo qual o menino, com jeito de adulto, passaria a atender a todos que o chamassem. Com exceção de algumas vozes que insistem por serem atendidas, e nós insistimos em preteri-las.

Alguns dizem que chorei antes mesmo da palmada do obstetra. Talvez, seja essa a possível origem de minha sensibilidade. Mentira. Acaso o momento do parto pode determinar todo o percurso de uma vida? É provável que não. Caso contrário, certamente sairia do ventre materno tocando violão, cantando e rascunhando alguns versos.

Tenho 21 anos. Sempre estudei em colégios de padres, contudo não me tornei um deles. Não por repulsa, mas por carecer de vocação. Encontro-me, atualmente, cursando Direito na UFMG e de padres aqueles professores não têm nada.

Atuo, voluntariamente, em uma associação cristã há 8 anos. Alvo da Mocidade. O verbo utilizado nos faz concluir exclusivamente pela ação. Entretanto, posso garantir que foram anos de muito crescimento pessoal, alcançado por pessoas que doaram seu tempo, restando-me apenas receber. Convivência, experiência, amadurecimento, aventura, amor são algumas das palavras capazes de resumir todo esse período.

Encerrando, gostaria de mencionar aqui a importância de minha família. Amo todos, sem exceção. Ressalto também, o carinho por todos os amigos. E é inclusive do relacionamento com os amigos que surgiu a ideia de criar um blog. É senão mais um meio de manter estreitos os laços de amizade. Mas ainda, uma maneira gostosa de dividir com você a nossa angústia e, ao mesmo tempo, a nossa paz.

Sem nenhum orgulho, é com o enorme desejo de cooperar com você, em algum momento, que me arrisco nessa prática virtual. Deixar registrado os traços de uma vida, meus anseios, não importa em mérito, mas demonstra, apenas, a tentativa de acertar.

Até breve.

“E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido” (Gl. 6:9)

Gabriel Lazarotti

Sobre Gabriel Lazarotti

Redimido pelo amor de Deus. Discípulo de Jesus que segue por este Caminho. Um sincero apreciador da criação. Pretenso poeta todo o tempo, advogado e músico nas horas vagas.

21 comentários sobre “Notas introdutórias: Gabriel Lazarotti

  1. Oi Gab,
    Desde o início do blog tenho sido leitora assídua, mas a emoção tomou conta de mim e até agora, não tinha conseguido me manifestar…. Como já li e reli várias vezes tudo que vocês têm escrito, principalmente o que você escreve, e então fiquei com uma dúvida… Quis perguntar, mas você foi jogar bola… Será que o Mateus sabe que tenho entrado no blog muitas vezes e cada vez que entro leio tudo de todos e depois fico perdida na minhas reflexões? Perdida não, é nelas que tenho entendido mais as coisas e as pessoas e tenho amado cada vez mais as pessoas que estão em volta de mim e com isso, cada vez mais estou respeitando, entendendo e amando tudo que essas pessoas amam. Obrigada, por tudo! Agradeço por você meu filho, mas por todos, que estão me proporcionando emoções e muitos pensamentos sadios. Fale pro Mateus que estou no Brasil mesmo, aqui nas Minas Gerais, em Belô e bem pertinho dele, mas que ele pode me rastrear, porque agora não quero ficar escondidinha, já apareci mesmo. Agora, já chorei todas as lágrimas tristes e as outras são muito bem-vindas. Resolvi escrever aqui, nesse primeiro, porque acho que ninguém faz como eu… Lê tudo de novo, todos os dias… Portanto Gab, acho que só você vai ler. Gab, acho que não podia escrever tanto, não é? Desculpe, se quiser pode deletar. Te amo.

  2. Nossa achei o “post” comentário da Carla muito bacana, um feedback muito animador para o clã e agora entendo de onde o Gab tirou sua emoção ao escrever!
    Abraço Carla!!

  3. Ei Carla!

    Com certeza não sabia que você é essa leitora assídua que você descreveu… E, olha: você não imagina o tanto que fiquei feliz! Feliz por você estar aqui com a gente e por termos atingido nosso objetivo: despertar reflexões!

    Nós é que te agradecemos pelo apoio e por essa sua grande contribuição. Com certeza, foi o comentário que mais me edificou até agora. Sério.

    E pode deixar que, agora que sei que você está conosco, vou te rastrear direitinho! hehehe E fique livre para contribuir mais ainda, sem preocupar com o tanto que escreveu!

    Bjos Carla!

  4. Carla, é muito bom ser amigo do Gab e saber que é você, em última instância, que nos proporciona essa prazerosa convivência. A maneira como foi criado o fez esse homem de caráter e cheio de preocupações com todos a sua volta. Toda mãe queria ter um filho como ele, com certeza! Que nossos pensamentos possam verdadeiramente tocar seu coração e que a gente consiga dividir com vc tudo quanto podemos ensinar e aprender, espero que continue nos acrescentando com seus comentários.

    Bjos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *