Nosso maior anseio

Ele havia se levantado alta madrugada. Saiu de casa em silêncio. Encontrou com facilidade um lugar deserto. Naquele horário, quase todo lugar poderia ser caracterizado como deserto. Pôs-se em oração.

Quando o dia amanheceu, a cidade estava despertada. Pessoas iniciaram suas atividades. São muitas, e das mais diversas. Cada um fazendo alguma coisa. Simão e alguns amigos, por exemplo, procuravam-no.

“Tendo-o encontrado, lhe disseram: Todos te buscam.” (Mc.1:37)

Em outras palavras, Pedro estava dizendo que todos estavam a procura de Jesus.

Todos te buscam?

Será?

Todos quem?

Todos significava Pedro e alguns dos seus amigos que estavam com ele?

O que Pedro estava querendo dizer?

Todas as pessoas buscavam encontrar Jesus?

Parece equivocada a fala de Pedro. Porque nem todos buscavam a Jesus.

Algumas mulheres estavam indo buscar água no poço. Alguns homens caminhavam para as plantações de trigo, porque havia bastante trabalho por lá. Tinha gente seguindo viagem e a única coisa que buscavam era o destino final daquela longa estrada. Pastores saíram para tosquiar as ovelhas. Algumas crianças iam para a sinagoga aprender sobre o Pentateuco. Pedro e seus amigos vasculhavam por Jesus.

Todos te buscam? Hoje as coisas parecem estar exatamente como antes…

Gente indo para a aula, gente acumulando dinheiro, gente indo à academia, gente bebendo cerveja na roda de samba, gente fazendo regime, gente usando droga, gente ávida por sexo, gente estudando para concurso, gente buscando like nas redes sociais, gente buscando a Cristo…

Estão todos buscando por Jesus? “Sim!”, responderia Pedro.

Todos estão buscando por Jesus. Conscientemente e inconscientemente.

“Todo homem que bate à porta de um bordel está à procura de Deus.” (G.K.Chesterton)

Esse é o nosso anseio mais intrínseco. Algo que se encontra nos recônditos da alma. Vai muito além dessa capa pueril, trivial e rotineira que está sobre nós.

Pedro e seus amigos o encontraram. E você?

Um grande abraço!!!

Eduardo Victor

Sobre Eduardo Victor

Mineiro de Belo Horizonte, 33 anos, cristão e missionário em Alvo da Mocidade. Apaixonado pelas Escrituras, tornei-me um sonhador quando descobri que Deus pode nos surpreender com as coisas mais simples e inusitadas desta vida...

Um comentário sobre “Nosso maior anseio

  1. Temos aqui mais uma demonstração de como a religião prejudica uma sexualidade saudável, ao ponto de acreditar num cúmulo como a frase do Chesterton “Todo homem que bate à porta de um bordel está à procura de Deus.”
    Ta vendo já como atrapalha ou ainda não?

    Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *