O Muro de Inimizade

O capítulo 2 de Efésios traz a nós um resumo robusto da mensagem do Evangelho. Estudando o texto durante esta semana pude observar uma estrutura dele emergindo.

De um lado, o homem:

  • Morte (v.1 e 5)
  • Pecados (v.1)
  • Merecedores da ira (v.3)

Do outro, Deus:

  • Vida e ressurreição (v.5 e 6)
  • Graça (v. 7)
  • Bondade (v.7)

No meio, um muro de inimizade (v.14).

Mas Jesus, a pedra angular (v.20) destrói o muro.

Vemos que o processo que se passa para a criação de uma passagem por entre o muro é a morte: Jesus com a sua carne, na cruz, anula a condenação da Lei. (v.15-16) Vemos que na verdade a lei não foi anulada de forma absoluta: ela foi cumprida, porém não nos “merecedores da ira”. Jesus morreu, ou seja, pagou, em nosso lugar.

É feita uma analogia com os gentios (não-judeus) e os judeus. Através de Cristo, outro muro de inimizade é quebrado: judeus e gentios não são mais separados, ambos podem ter acesso às promessas de Deus de salvação. (v. 12 e 13)

Este capítulo também é famoso pela ênfase no processo de salvação. Não poderíamos nós mesmos quebrar o muro pois a lei deveria ser cumprida. Sendo devedores, não havia obras que pudessem nos ser creditadas como algo que nos traria próximos de Deus.

Assim, as obras não são aquilo que nos salvam (v. 9) e sim consequência natural deste evento (v.10).

Por fim, é mostrado a união de uma nova humanidade em Cristo, em seu corpo. Podemos dizer que entre os outros, entre Deus e conosco,

Ele é a nossa paz

4 comentários sobre “O Muro de Inimizade

  1. Peraí, você mesmo comentou pra você mesmo? hahaha

    “Assim, as obras não são aquilo que nos salvam (v. 9) e sim consequência natural deste evento (v.10).” é verdade

    ” Sendo devedores, não havia obras que pudessem nos ser creditadas como algo que nos traria próximos de Deus.” Também é verdade.

    Gostei bastante do post, mas talvez para os “não-iniciados” não fique tão clara a idéia. Se você tivesse colocado os versículos escritos, talvez fosse mais fácil!

    Bjos! 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *