Meu?

“Pai, quero a minha parte na herança!”

Complexo de dono e desejo de posse. Esse pronome possessivo é tão “nosso” que não somos capazes de dividir nem mesmo os problemas e angustias. Problema meu. O fato é que não sabemos usar o tempo, não sabemos usar o corpo nem mesmo os bens que usufruímos, exatamente pela crença de que somos donos.

Até aquele que chamamos de “meu Deus”, não é meu no sentido de me relacionar com aquele Ser a quem amo e é digno de afeição, mas meu no sentido de que posso fazer com Ele o que quiser.

“Teus, ó Senhor, são a grandeza, o poder, a glória, a majestade e o esplendor, pois tudo o que há nos céus e na terra é teu. Teu, ó Senhor, é o Reino; tu estás acima de tudo. A riqueza e a honra vem de ti; tu dominas sobre todas as coisas. Nas tuas mãos estão a força e o poder para exaltar e dar força a todos…
Tudo vem de ti…”  
I Cr 29.11,12,14.

Jesus nasceu em berço emprestado. Entrou num barquinho para pregar a uma grande multidão. Era emprestado. Multiplicou pães que foram doados e montou num jumentinho que alguém disponibilizou. Seu túmulo, o qual ressuscitou, era emprestado. Sua única posse, em toda sua existência humana, foi a cruz do calvário, pra finalmente poder dizer:

Filho, tudo o que eu tenho é seu”.

4 comentários sobre “Meu?

  1. Muuuuitooo bommm, Fael!!!!! Isso me lembra de que preciso tomar diariamente a cruz, que se tornou MINHA!!!! brigada por compartilhar essas ideias….beijo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *