Matando a Galinha dos Ovos de Ouro do Relacionamento

Sustentabilidade. Pensamos imediatamente em papel recilado. Sentimos que diante de tantos recursos naturais, não nos preocupamos a longo prazo. A situação apertou e revemos nossos conceitos: será que não estamos matando a galinha dos ovos de ouro? Mas não é apenas a natureza que deve ser tratada desta forma.

Na revolução industrial era muito comum haver crianças trabalhando nas fabricas e minas de carvão. Isso era o tipo da coisa insustentável. Se o proletariado só oferece a prole como riqueza, como os industriais podiam reduzir sua perspectiva de vida drasticamente? Quantas geraçõs duraria aquela ordem? Para o bem do próprio capitalismo, surgiram leis mais humanas trabalhistas. (Espero que a Analu não me mate)

OK, mas fora ecologia e economia, onde mais podemos aplicar a Galinha? Que tal relacionamentos?

Posso exaurir uma relação. Viciar-me em seus ovos dourados e exigir dela cada vez mais. Exigir exclusividade, a maioria do tempo. Exigir que as coisas sejam feitas do meu jeito – se você não está disposto é porque não me ama – atrocidades diversas, enfim. Namorados que ficam controladores, amizades ciumentas, pais superprotetores, relações que exigem o selo da exclusividade em tempo, em qualidade, em atenção.

Não podemos (no sentido de que não é sábio e não é bom para nós mesmos) sufocar os outros dessa maneira. Viciar na companhia de alguém sob a alegação de gostar muito. O amor egoísta já citado anteriormente.

Salomão talvez usasse a galinha dos ovos de ouro para falar sobre isso, mas viveu antes de Esopo. Ele, porém, usou o mel:

Achaste mel? come só o que te basta; para que porventura não te fartes dele, e o venhas a vomitar.
Não ponhas muito os pés na casa do teu próximo; para que se não enfade de ti, e passe a te odiar.

***

Acho que eu falo tanto sobre relacionamentos distorcidos porque eu tinha muito problema com isso. Hoje vejo que houve melhora, mas preciso continuar mudando. Antes, a solidão era literalmente quase pior que a má-companhia e hoje experimento uma liberdade pela qual já sou muitíssimo grato.

Falaremos a partir de amanhã, na Semana das Boas Novas, a respeito das coisas que possibilitaram essa mudança na minha vida. Essa e outras, também nas fronteiras dos outros bloggers.

Espero que você possa experimentar a mesma coisa que me trouxe para outras fronteiras.

3 comentários sobre “Matando a Galinha dos Ovos de Ouro do Relacionamento

  1. que bonito, Pedro! gostei muito.
    é muito legal saber que os bloggers experimentaram mudanças!
    abraço

  2. Muito bem escrito, Vidigas!
    Fábulas que nos foram contadas quando ainda crianças nos ensinam demais sobre a vida e a convivência.
    É muito triste pensar que em nome do bem estar individual desgastamos os nossos relacionamentos. Essa luta por esse bem estar é tão aparente que quando não fazemos bem ao conjunto não o fazemos a nós mesmos (o que ocorre com o capitalismo, com a política, com a amizade, namoro…). Nossos olhos vidrados no ouro nos fazem esquecer que ele não nos completa e também tira de nós a misericórdia por aquele que é vítima do nosso egoísmo.
    Mt forte o versículo que vc escolheu!

  3. Muito legal, Vidigas!
    Acho que essas idéias se relacionam profundamente com outro post, do Dudu, sobre expectativas. Quando esperamos muito, exigimos muito. E isso nunca da certo! =/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *