Jesus Não Saía na Revista

Ao conhecer a Bíblia há pequenos detalhes que nos passam desapercebidos. Um deles é o óculos cultural que usamos.

No Brasil acho que não seria exagero dizer que todos – exceto possivelmente algumas comunidades remotas indígenas – já ouviu alguma coisa sobre Jesus. E é preciso fazer esforço para conceber a história dos Evangelhos de forma “não-contemporaniezada”.

É comum por exemplo não entender que Jesus começou “na humildade”  – para usar termos rappers – e só depois estourou nas paradas de sucesso. E mesmo assim, na véspera da sua condenação precisou ser indicado dentre seus discípulos com um beijo do traidor. Não é normal pra gente pois alguém com a “fama” de Jesus teria seu rosto estampado em todos os jornais e revistas da época que, precisamente, não existiam.

Costumo dizer: Precisamos lembrar que na época não havia internet. Jesus não estava nas capas das revistas, e a roupa dele não era especialmente branca, e não havia uma luz que o cercava (os leitores me corrigirão lembrando da única exceção, o evento da Transfiguração). Jesus, à primeira vista, era de fato muito normal.

É interessante notar fatos que constroem a pessoa pública deste que se dizia vindo do Pai. No segundo capítulo do livro de João há duas passagens sobre o tema. São conhecidos por quase todos cidadãos, cristãos ou não: A Transformação de Água em Vinho e O Quebra-quebra no Templo.

Particularmente sobre este último episódio fiquei pensando: QUE LOUCURA! Afinal de contas, Jesus não era ainda O Jesus, era sim mais anônimo que Jesus Luz pré-Madonna. Era um qualquer que começou a derrubar as mesas e gaiolas, voando pena pra todo lado (imagina alguém fazendo isso no Mercado Central de BH!), esbravejando com um chicote de cordas na mão. Imagina a vergonha alheia dos discípulos.

Então a perguntas mais razoável para o momento foi a que de fato foi-lhe perguntada: “Que sinal miraculoso o senhor pode mostrar-nos como prova da sua autoridade para fazer tudo isso? “. Como quem diz: “Quem és, ó tu que vens?!?”.

Diante disto, Jesus lhes dá um enigma que nem mesmo os discípulos desvendaram senão dali a anos:

Destruam este templo, e eu o levantarei em três dias

Um comentário sobre “Jesus Não Saía na Revista

  1. Gostei mt!!
    Meditar nas escrituras e entrar na história que é contada renova as nossas idéias e nos faz guardar o que é narrado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *