JEJUM

Gostaria de lembrar a todos que a referência base para essa sequência de textos sobre as ferramentas para escutar Deus é o livro “Celebração da disciplina”, de Richard J. Foster. Ainda sou como uma criança engatinhando nas disciplinas espirituais, por isso a necessidade de me prender a autores e pessoas mais experientes no assunto.

Jejum bíblico é tradicionalmente a abstenção de comida por motivos espirituais. Geralmente, se estabelece um período no qual se abstém de comida e bebida, exceto água. No centro do jejum bíblico, deve estar Deus.

Existem diversas formas de realizar o jejum. Não quero entrar nisso, mas é importante dizer que deve-se ter bom senso, respeitar a progressão e ter um acompanhamento de pessoas mais experientes.

A meu ver, busca-se fortalecer o espírito enfraquecendo a carne. É um processo interessante, onde ocorrem, além da busca por intimidade com Deus, diversas outras manifestações que nos levam ao auto-conhecimento. Durante o jejum, coisas e/ou sentimentos que nos dominam no dia a dia se manifestam e tornam-se mais visíveis aos nossos olhos; o que nos leva a uma interessante batalha espiritual.

Podemos e devemos relacionar o jejum de comida a outras áreas da nossa vida que temos compulsão.

De certa forma, a batalha fica mais fácil, pois, em jejum, lembramos que “não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus.” Mt (4:4)

Oração, estudo e jejum devem estar intimamente relacionados. A fome aperta, a oração se torna mais sincera e intensa. A palavra de Deus pode ser ouvida, em alguns casos, durante a oração, ou através da leitura bíblica, à qual nos tornamos mais sensíveis.

“A experiência do jejum é mais um banquete com a palavra de Deus que abstinência de comida. Jejuar é banquetear-se!” Foster

É importante acompanhar a atitude do coração, principalmente quando o jejum passar a ser constante em nossas vidas. Não podemos jamais, fazê-lo como religião, rotina, sem a mente voltada para o Senhor.

“Quando jejuaste e pranteaste (…), foi para mim que jejuaste, com efeito para mim?” Zacarias (7:5)

Exemplos bíblicos nos encorajam. Daniel, diz voltar o rosto para o Senhor, para busca-lo com oração, súplicas e jejum – Daniel (9:3). Ele ora semelhante a Neemias (1:5), confessando seus pecados e exaltando o Deus de aliança misericórdia para os que o amam e guardam seus mandamentos.

Que tal experimentar?

Abraços,,

Cooperador de Cristo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *