Homens, mulheres & canetas de Deus

Como menininha de muitos caprichos, aprendi a pintar e bordar os meus escritos. Mamãe dizia que os olhos cansavam de folhear os deveres, tantas eram as cores e brilhos. Da característica de menina, fiz a analogia. Dum bate papo que surgiu sobre canetas, falamos sobre ser homens e mulheres de Deus.

Nas mãos de Deus, escrever história é literatura mais preciosa. Falar de vida é metalinguagem. Pintar e bordar é inevitável.

Seriamos canetas, você e eu. Feitas para grifar, delimitar margens, escrever textos longos, escrever textos curtos, escrever palavras especiais, escrever com traços grossos, ou com traços finos. Escrever para apagar, escrever pra nunca apagar. Escrever histórias de amor. Escrever histórias de dor. Escrever colorido, escrever de preto. Escrever com brilho. Escrever bem fosco. Escrever desenho. Escrever palavra. Escrever uma página. Escrever um livro.

Canetas diferente, mas todas canetas. Diferentes funções, mas todas canetas e feitas para escrever uma história. Se canetas num estojo,  paradas, são inúteis.

Naquele dia respondemos a pergunta: mas o que é ser homem ou mulher de Deus?

É escrever história, sair do estojo e deixar de ser apenas mera caneta, para ser caneta de grifos ou caneta de margens. Um objetivo, função, sentido, individualidade. É além de escrever história, escrever a história do autor. Senhorio, escravo, servo – de Deus.

Canetas no estojo são só canetas. Assim como canetas perdidas fora do estojo, são canetas de outro dono. Canetas de grifo que escrevem textos longos e logo se cansam. Canetas de textos que fazem grifos. Canetas escuras que querem colorir mas nunca colorem. Canetas nas mãos erradas escrevendo palavras erradas, que logo voltam pro estojo e se perguntam por que são canetas.

Lari

Sobre Lari

Nome: Larissa Martins Mendes. Belo Horizonte, 1992. Hoje, aos 22 anos de idade é estudante de Letras Inglês na Universidade Federal de Minas Gerais & dedica seu tempo trabalhando com o ministério para jovens, Alvo da Mocidade, com o enorme amor que tem por eles e pelo Evangelho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *