Do que a gente precisa para ser feliz?

Nasceu num vilarejo obscuro. Lugarzinho sem perspectiva de que a vida traria algum impacto na sociedade. Trabalhava com o pai. Sua cultura dizia que qualquer pessoa que não ensinasse um ofício ao filho, era como se estivesse o ensinado a roubar. Foi para a carpintaria e lá ficou até os 30 anos. Depois, durante três anos, foi um pregador itinerante.

Nunca escreveu um livro. Nunca ocupou uma posição de autoridade. Não foi para a universidade. Nunca visitou uma cidade grande. Nunca viajou a lugares mais distantes que 320km do lugar onde nasceu. Não fez nenhuma dessas coisas que, em geral, acompanham a grandeza. Não tinha credenciais, exceto a si mesmo.

Tinha apenas 33 anos quando a onda da opinião pública se voltou contra ele. Os amigos fugiram. Um deles o negou e outro, o traiu. Foi escarnecido e julgado. Colocaram-no numa cruz entre dois ladrões.

Enquanto estava à beira da morte, os executores sortearam suas vestes, a única propriedade que tinha nesta terra. Quando morreu, foi posto em um sepulcro emprestado, graças à compaixão de um amigo. Era, por assim dizer, daqueles que não tinha onde cair morto.

Mais de vinte séculos já se passaram, e hoje Ele é a figura central da raça humana. Todos os exércitos que já marcharam, todas as esquadras que já navegaram, todos os parlamentares que já deliberaram, todos os reis que já reinaram, tudo isso junto não conseguiu afetar a vida do homem nesta terra tanto quanto essa única vida.

Em tempos de crise, de sofrimento e de muita desconfiança para com o ser humano, apresento-lhes Jesus!

Ele é a minha esperança. É a cura para as minhas feridas.

Ele nunca me decepcionou, me iludiu, me fez ter argumentos pra não mais andar com Ele.

Tudo que fez, tem feito e vai fazer, até o fim, é me amar. E a vida com Ele não tem fim…

Coração constrangido, lágrimas nos olhos, joelhos no chão! É assim que termino esse post, por ter plena convicção de que, enquanto escrevo, Ele está exatamente aqui do meu lado. Mais vivo do que nunca. Encharcado de amor. Totalmente singular, totalmente Jesus!

Um grande abraço!!!

Eduardo Victor

Sobre Eduardo Victor

Mineiro de Belo Horizonte, 33 anos, cristão e missionário em Alvo da Mocidade. Apaixonado pelas Escrituras, tornei-me um sonhador quando descobri que Deus pode nos surpreender com as coisas mais simples e inusitadas desta vida...

2 comentários sobre “Do que a gente precisa para ser feliz?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *