Fábrica de Ídolos

Quanto mais eu leio a respeito da natureza humana, mais eu confirmo que somos amantes inveterados. Aliás, não precisaria ler se fizesse uma avaliação sincera do meu coração. Nós fomos programados para adorar. Agostinho escreveu certa vez que não encontraríamos descanso até que nós o encontrássemos em Deus. Mais tarde, G. K. Chesterton afirmou que quando paramos de adorar a Deus nós não deixamos de adorar, mas adoramos qualquer coisa. Mesmo o guru dos juristas, Ronald Dworkin, assumiu, no Religion without God, que todo mundo tem um compromisso religioso profundo, até os ateístas.

Nós somos mesmo uma fábrica de ídolos.

 

Gabriel Lazarotti

Sobre Gabriel Lazarotti

Redimido pelo amor de Deus. Discípulo de Jesus que segue por este Caminho. Um sincero apreciador da criação. Pretenso poeta todo o tempo, advogado e músico nas horas vagas.

7 comentários sobre “Fábrica de Ídolos

  1. Gabriel, gostei muito desse texto!
    Lembrei da Adélia Prado que uma vez disse que nossa alma precisa prestar vassalagem, que nós só descansamos quando encontramos algo que seja maior do que nós!

  2. “Os homens fazem seus próprios deuses? Sim , mas eles não são deuses !” – Jr.16:20

    Os pagãos se curvam a uma falsa divindade, mas eles nunca conheceram o verdadeiro Deus. Nós porém, cometemos dois males, a medida em que abandonamos a Deus e nos viramos aos ídolos! Sentimos pena dos pobres pagãos que adoram um deus de pedra, sendo que não há superioridade alguma entre um deus de madeira e um de carne. A princípio, o pecado, a loucura é o mesmo em ambos os casos; só que no nosso caso, o crime é mais agravado porque pecamos mesmo na clara revelação que temos.

  3. “Os homens fazem seus próprios deuses? Sim , mas eles não são deuses!” – Jr.16:20

    Os pagãos se curvam a uma falsa divindade, mas eles nunca conheceram o verdadeiro Deus. Nós porém, cometemos dois males a medida em que abandonamos a Deus e nos viramos aos ídolos! Temos pena dos pobres pagãos que adoram um deus de pedra, porem, onde está a superioridade entre um deus de madeira e um de carne? A princípio, o pecado, a loucura é o mesmo em ambos os casos; só que no nosso caso, o crime é mais agravado porque pecamos mesmo na clara revelação que temos.

  4. “Nós fomos programados para adorar”
    Essa idéia de que fomos programados por deus para alguma coisa é engraçada, porque no fundo não quer dizer nada. Você acha que fomos programados para adorar (algo altamente questionável) e já ouvi muito cristão dizendo que já que temos essa aparência de programados, deve ser pq deus nos programou, portanto deus é real e devemos seguir a sua religião. Mas mesmo que fosse verdade que somos programados para sermos religiosos, isto não significa em nenhum momento que a religião é verdadeira. A programação pode ter sido um resultado da nossa evolução, um processo puramente biológico e natural.

    Disse que é altamente questionável o fato de que fomos programados para adorar pois aprendemos a religião desde criança. Então é difícil você ter um programa de lavagem cerebral em massa de crianças, endoutrinando todas a acreditarem que papai do céu está ouvindo suas orações e que precisam se comportar, e em seguida falar que o resultado deste processo é uma “programação para adorar” inerente ao ser humano, feita por deus nos nossos corações.

    Grande abraço

  5. Arthur, me enviaram por email o seu comentário logo de manhãzinha rs
    Entendo sua perspectiva e gosto dessa reflexão…
    Da minha parte, nunca ninguém me disse que existia um Papai do Céu… Nem fui batizada pequenina como fazem… Minha busca sempre foi individual e muito natural…
    E mesmo depois de buscar tanto, hoje eu questiono francamente se Deus é tudo o que eu ouvi que me disseram… E talvez seja muito diferente…
    Ainda assim, permaneço com sede… Mesmo que a resposta não seja o que nos contaram que é… Eu permaneço com muita sede…
    Mesmo que este anseio seja apenas uma condição humana (social, psíquica, política, etc etc )… Nada a ver com o divino…. Eu permaneço com sede…
    Mesmo que este anseio seja entendido como uma fraqueza infantil de quem necessita de sentido pras coisas… Eu permaneço com sede…
    Mesmo acreditando que não há nada me guiando, me protegendo, me punindo e vivendo muito bem sem essas certezas…
    Eu continuo com tanta sede…
    Não sei se sou fruto de uma programação, mas ainda assim tenho muito sede! Ela é imensa! E é com ela que preciso conviver todos os dias!

  6. Legal, Ana!
    Que bom que sente sede! Eu te entendo completamente. De jeito nenhum é uma fraqueza infantil, muito pelo contrário.

    Tenho uma pergunta, você disse o seguinte: “Mesmo acreditando que não há nada me guiando, me protegendo, me punindo e vivendo muito bem sem essas certezas…”
    Será que é mais fácil viver como? Cheio de certezas ou cheio de dúvidas?

    Claro que um jeito ser mais fácil ou difícil não significa que seja o jeito certo ou verdadeiro. Este na verdade é outro mito da religião: que o caminho cristão é difícil e por isso deve ser o certo.

    Enfim, a religião existe justamente para dar um conforto, matar a sede custe o que custar, este é o principal objetivo. Mas quando usamos a religião pra isso, existe um enorme custo, que é viver uma ilusão e excluir do seu convívio pessoas que pensam diferente. Infelizmente.

    Quando entendo que deus não está do meu lado, sou obrigado a assumir responsabilidade total pela minha vida, mesmo sem saber o caminho. Nós mesmos que criamos nosso caminho.

    Muito obrigado pela discussão!!!!! :smile:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *