Entregues a nós mesmos

Na leitura dos capítulos 78 a 81 do livro dos Salmos vemos o qutanto Israel no antigo testamento estava triste por estar submisso a outros povos. A reclamação é sempre contra Deus, para que ele honre seu próprio nome e haja concedendo Vitória a Israel.

Por um tempo considerei os prováveis motivos pelos quais Deus não respondia a oração do salmista. Será que  ele não teria perdoado seu povo de seus pecados? Será que queria ensinar algo por meio do seu silêncio? Será que ele estava com dó dos outros povos que lutavam contra Israel, a nação que ele havia escolhido para chamar de sua? Não, nada disto. No Salmo 81 vem a resposta:

Mas o meu povo não quis ouvir a minha voz, e Israel não me quis. Portanto eu os entreguei aos desejos dos seus corações, e andaram nos seus próprios conselhos. Oh! se o meu povo me tivesse ouvse Israel andasse nos meus caminhos

Salmos 81:11-13

O povo à época cultuava outros deuses, havia abandonado as leis estabelecidas por Deus, vivia deliberadamente em pecado. Percebo então que a escolha não havia partido de Deus, ele não queria o mal do seu povo. Deus tentou ensinar de que maneira deveriam ter vivido, mas eles preferiram seu próprio caminho. O que Deus fez não foi vingar, ignora ou castigar o povo. Ele simplesmente deixou que as consequências viessem à tona.

Quando penso na minha caminhada como cristão vejo de maneira clara que cheguei a tentar viver meus próprios sonhos e  levar a vida da minha maneira para que eles fossem realizados. À medida que os concretizava, sentia as consequências das minhas decisões distantes de Deus. Estar entregue às minhas próprias posições foi a pior coisa que poderia ter me acontecido.

Aprendi desde então a temer a Deus e a viver ao seu lado. Triste ler na história de Israel que eles não aprenderam e foram submissos a outros povos por gerações e gerações. Não posso afirmar que estou para sempre nos caminhos que creio que Deus gostaria que eu vivesse, mas tenho lutado para tanto. Assim oro para que Deus continue comigo e me dê força para não desanimar da luta de segui-lo. Oro também para que ele proteja você, amigo leitor. Que possamos usufruir dos benefícios de viver a vida cristã de maneira plena e que nunca estejamos entregues a nossas próprias paixões.
Forte abraço, até a próxima terça-feira.

Rafael Santtos

Sobre Rafael Santtos

Rafael Santos, Belo Horizonte, 18 de abril de 1984, cristão desde 2012, sonhador, aventureiro, sanguíneo, exortador. E deseja dividir um pouco do que pensa através do Outras Fronteiras.

2 comentários sobre “Entregues a nós mesmos

  1. Há aqueles que dizem a Deus: “Seja feita a tua vontade!”

    Há aqueles a quem Deus diz: “Seja feita a tua vontade!”

    Os últimos estão em más condições… Acho que foi o Lewis quem disse isso, amigão!

    Valeu pelo post, amigão!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *