Elogios – A Soberba

Quando alguém me critica, posso me defender; contra elogios porém, sou indefeso. S. Freud

Ouvi recentemente um cristão dizer que durante um tempo pensava que não deveria elogiar as pessoas pois sempre que ouvia ele mesmo um elogio, se orgulhava muito, portanto deveria ajudar os outros.

Lembrei-me na hora de (juro que um dia citarei outros livros) O Segredo do Amor Eterno. Já falei muitas vezes deste livro, mas ainda não disse a minha história com ele.

Logo que me tornei cristão, em 2003, li Mais Que Um Carpinteiro, uma obra sobre a realidade messiânica do nazareno. No final eu já estava: Tá bom, já me convenci, para de mostrar por a mais b até z que Jesus é O Cara! – leiam se tiverem alguma dúvida. Quer dizer, dúvida todos nós temos até depois de meia década de vida cristã, mas se você precisa daquele empurrãozinho inicial, não só Mais Que Um Carpinteiro, mas também Não Tenho Fé Suficiente Para Ser Ateu (que também já citei em post anterior) e outras obras poderão te ajudar.

Bom, mas depois deste livro peguei não sei por que cargas d’água o tal Segredo do Amor Eterno para ler. Naquela época eu estava vivendo um tanto de coisa nova, estava me relacionando de uma maneira que eu até então não conhecia, estava num grupo de alto nível de aceitação, começava a fazer amigos e estava muito empolgado com aquilo tudo, mas ao mesmo tempo a vida em comunidade me trazia alguns problemas com os quais eu não tivera tanto contato, eu era muito invejoso e ciumento.

O livro vai falando muito de autoaceitação e autoestima, ele diz que uma necessidade básica do ser humano

é um profundo e verdadeiro amor pela própria pessoa que resulta em um sentido interior de celebração: “É bom ser eu mesmo… estou muito feliz por ser eu!”

Palavras fortes quando você não está OK com você mesmo. Mas não para por aí. O que direi a seguir me tocou de forma semelhante a quando você encosta num espelho d’água, e de fato ainda hoje sinto as ondas emanando daquele evento. Ainda sim, no geral o livro foi pesado demais e ele me remetia a coisas que me faziam sofrer, principalmente por causa dos meus problemas de aceitação, de inveja, de ciúmes, tanto que abandonei a sua leitura. Só neste ano que eu peguei ele emprestado de novo (aliás, ainda não devolvi, que vergonha!) e, meu amigo, bom, basta dizer que eu cito ele em todos os posts.

ondas na água

A passagem é a seguinte:

“O egoísmo está enraizado nessa falta básica de amor por si mesma… o narcisismo, como o egoísmo, é uma supercompensação pela falta de autoestima… A pessoa não ama os outros e nem a si própria”

Temos aqui uma questão sobre a qual cada um de nós deve refletir em silêncio. Quais são meus verdadeiros sentimentos? Quando ouço um elogio a alguém, por que digo: “Não conte a ele. Pode subir-lhe à cabeça”? Por que não quero que os outros estejam felizes com eles mesmos? Não quero que “isso” lhe suba à cabeça. O que é “isso” que não quero na cabeça de meu irmão ou irmã? Se uma pessoa se alegra com seu sucesso, por que a acuso imediatamente de estar se gabando?

Por que me tornei um guardião tão zeloso de sua humildade? Por que isso me preocupa tanto?

Não sei se você se identificou com a passagem mas este trecho, bem como diversos outros do John Powell parecem ser dirigidos especificamente para várias situações exatas na minha mente. Digo: ele está falando sobre aquela vez que fulano apresentou uma música e eu gostei mas também não achei AQUELAS COISAS igual todo mundo ficou falando não… sinceramente, acho que o povo exagerou. Aquelas ideias eu mesmo já tive, só achei tão evidentes que nem precisava citar. Ou então: OK, ele é engraçado. Mas também não é ASSIM não. E por aí vai.

Quero muito continuar com as ideias de Elogios, mas por hoje a minha pergunta é: você tem elogiado as pessoas? Sim, não, por quê? Desde quando li o trecho acima, passei a deixar com a outra pessoa a tarefa de lidar com o orgulho dela.

Espero que ler este texto possa ser tão impactante para você quanto foi pra mim.

________________

Pobre Freud! Não sei o contexto de sua fala, a qual ouvi pela primeira vez através da Alê. Pesquisei a origem na internet e achei apenas o livro linkado no seu nome. Talvez o sentido da frase no seu contexto seja outro, mas aqui acho que ele se ecaixou como uma luva, não acham?

31 comentários sobre “Elogios – A Soberba

  1. Acabei de ler agora. Saindo do forno! Pensando nos elogios, concluo como vc. Saiba lidar com o seu sucesso, pois o texto é sensacional! Sua pergunta foi sobre como agimos com os outros, etc. Realmente já deixei de fazer alguns elogios, mas em geral não me seguro por essa razão. Posso até elogiar e dizer em seguida: “não se orgulhe, o privilégio foi seu de participar desse milagre”. Porém, algo muito importante é como nós mesmos lidamos. Cara é muito dificil… Costumo dizer que não sei lidar bem com os elogios. Finjo estar bem após alguns deles, mas na verdade interiormente estou acreditando ser o cara… Que teMÇo…Bem, Segredo do Amor Eterno é uma fonte inesgotável de posts. Agora estou certo de que devo retomar a leitura dele. Obrigado Vidigal! abraços

  2. Muito bom Vidigas!
    Sempre tive dificuldade de lidar com elogios porque sempre achei que não os merecia. A baixa auto estima é também uma forma de orgulho… E elogiar os outros pra mim sempre foi difícil também porque funcionava como uma forma de colocar o outro acima de mim e de me rebaixar.
    Depois que vi essas dificuldades luto pra aceitar e fazer elogios. Mas ainda é teMço!
    Bjo!

  3. Oi Vidigal,

    Discordo da frase “O egoísmo está enraizado nessa falta básica de amor por si mesma”… Eu acho que o egoismo e’ essencial para a sobrevivencia do homem, ele e’ exatamente o amor que voce tem por si mesmo. Egoismo e’ tudo aquilo que e’ feito para voce mesmo, beber ou comer e’ sao acoes egoistas por exemplo, pois voce faz para que voce continue vivo.

    Egoismo e’ estar focado nos seus intereses, mas isso nao significa que ter amigos nao e’ egoismo, pois a amizade deles e’ um valor para voce, entao ao fazer algo por um amigo voce esta’ mantendo uma amizade que tem valor pra voce, portanto continua sendo uma acao egoista.

    Agora quanto se trata de elogios, eu acho que o importante e’ nao perder a sua propria perspectiva. Nem elogios nem insultos devem ser levados muito a serio, voce deve saber se auto-avaliar e ter a visao do seu proposito de vida de forma independente do julgamento dos outros. A paz de espirito so pode e’ possivel para quem cultiva a individualidade do seu proprio pensamento.

    Abraco,
    Iago.

  4. Muito legal esse post, e muito legal o livro também.
    Eu as vezes fico querendo receber elogios, mas , parando para pensar, nunca elogio ninguém! Acho que não me importo muito, não acho que o outro possa precisar ouvir algo bom. :(
    E vidigal, também tive muitos problemas com inveja e ciúme… relacionados com autoestima e aceitação. Hoje já me controlo melhor, graças a Deus . Mas era complicado viu.

  5. Iago,
    Egoísmo tem uma origem grega:
    Εγώ (Egó) -> Eu + ιστής (istés) ->aquele que faz, aquele que pratica
    A junção das 2 expressões dá o vocábulo “egoísta”.
    Portanto, “egoísta” significa: eu me fazendo, eu praticando a mim mesmo. Tem sem dúvida um sentido de exagero. Remete a uma visão (e ação) deturpada a respeito de si próprio. Uma supravalorização de si.

    Para se ter uma idéia, é uma expressão que se aproxima do conceito original de “idiota”:
    Ιδίως (Ídios) -> próprio, si próprio τής (tés) aquele que faz. que pratica
    A junção dos termos resulta em Ιδιώτης (Idiótes) -> Idiota
    “Idiota” significa aquele que se preocupa demasiadamente com as questões particulares a si próprio, pessoa alienada da sociedade que vive apenas para si e etc.
    Fiz a comparação de “Egoísta” com “Idiota” para termos uma idéia da proximidade no sentido dos termos. Levando em consideração o conotação negativa que tem a palavra “Idiota” da para imaginar que o conceito de Egoista não é positivo de forma alguma. Idiota tem uma perspectiva mais social e política do que a palavra egoísta, mas ambos são conceitos negativos.
    Assim, o egoísmo não pode ser essencial para a sobrevivência do homem uma vez que a origem do conceito remete a um caracter negativo. Além do que, se todos viverem de forma egoísta, acho que seria mais um entrave para a sobrevivência humana do que auxílio, pois se o homem visar apenas ao seu “eu” não estará muito se lixando para os outros. Ao meu ver o egoísmo pode ser catástrofico em uma convivência social, cada um vivendo em sociedade buscando apenas os próprios interesses. O amor próprio é importante, mas o conceito de amor próprio não tem nada a ver com egoísmo.

    Com relação ao post, entendo que não deve haver vaidades em termos de elogios. Não exitem em elogiar quando verem algo digno de elogio em alguma pessoa. Pode até servir de costume. No entanto, não pode cair para o lado da bajulação. Acho que é importante elogiar pois cada pessoa só aprenderá a receber elogios se os receber. Apenas cuidado para não elogiar com falsidade ou, até mesmo, pelos motivos errados. Nestes casos é melhor ficar calado…
    Um abraço!!

  6. Post sensacional!
    Assunto que eu já pensei diversas vezes.
    Acho que nao sei lidar muito bem com elogios, mesmo nas vezes que acho que até merecia, não consigo reconhece-los como tão verdadeiros. Além disso há o grande perigo de peneirar os elogios que penso em fazer tornado-me guardiã da humildade alheia.
    Elogio é algo complicado, devemos faze-lo, mas acima de tudo considero que devemos ter cautela ao recebe-lo para que a soberba nao fale mais alto. Nessa hora aconselho que nos lembremos que somos apenas vasos nas maos do oleiro, nisso o mérito vai todo para Deus.
    Quanto a frase de Freud, acho muito legal! Eu me lembro dela mais ou menos assim: Podemos nos defender de um ataque, mas somos indefesos a um elogio.
    Valeu, lindo!

  7. Marcelinho,

    Cuidado com o uso da etimologia para explicar o significado das palavras, pois o significado com que a palavra e’ usada atualmente nem sempre esta’ de acordo com a origem etimologica da palavra. A palavra “idiota” e’ um bom exemplo disso, pois o sentido com que ela e’ usada no Brasil nao implica “alienacao”. Estudar a origem etimologica das palavras e’ algo muito enriquecedor, mas para entender o sentido atual com que elas sao usadas, o dicinario de portugues atual e’ melhor do que o de grego antigo. O dicionario Michaelis lista os seguintes significados pra palavra idiota:

    1 Falto de inteligência.
    2 Estúpido, parvo, pateta.
    3 Ignorante.
    4 Med. Doente de idiotia.
    5 Psicol. Pessoa com nível mental a um quinto, ou menos, do nível normal do grupo de idade cronológica a que pertence.

    E voce nao rebateu o meu argumento da comida e da bebida, que se segue:

    1) Egoismo significa preucupacao com seus interesses proprios.
    2) Comer e beber sao acoes movidas pelo interesse proprio de se manter vivo.
    3) Comer e beber, portanto, sao acoes egoistas.
    4) Comer e beber sao acoes necessarias para a sobrevivencia do homem.
    5) Logo, o egoismo e’ necessario para a sobrevivencia do homem.

    Amar as pessoas de forma egoista nao significa amar elas pelo que elas “fazem pra voce”, significa ama-las pelas suas virtudes, pela que voce admira nelas e pelas qualidades delas que te inspiram, nao pelas suas fraquezas. Agora se te pedem para amar todas as pessoas de forma indiscriminada, independente das suas virtudes, te pedem para amar ninguem.

    O egoismo ganhou um significado negativo por causa do codigo moral altruista, que diz que o proposito da vida e’ servir e se sacrificar. O comunismo, apesar de ateu, tem muito mais a ver com as religioes abraamicas do que o capitalismo, pois o comunismo tambem e’ baseado no altruismo.

    O altruismo diz que o homem deve viver em servidao, e o altruismo religioso aponta um deus como o objeto dessa servidao. Ja’ o comunismo e’ uma versao secularizada do mesmo codigo moral altruista, pois no comunismo o proposito da vida continua sendo servir e se sacrificar, apenas com um objeto diferente para o sacrificio: o coletivo da humanidade.

    Desculpe pela falta de acentos, e’ que estou em um albergue em londres e aqui nao tem como mudar a lingua do teclado… :-/

    Abracao,
    Iago.

  8. Iago, concordo com o que vc diz. Também é o que eu penso… o significado muda de acordo com o contexto. No entanto, o significado de Egoísta continua sendo negativo. A etimologia só mostra a origem aproximada do termo. Não vejo comer e beber como atitudes egoístas, são necessidades fisiológicas. Gostei da sua análise. No entanto, acho que deve haver alguma palavra mais adequada para sua análise do que egoísmo. Não consigo ver egoísmo como uma qualidade.

    É verdade, na perspectiva religiosa cristã há o emprego dos termos: Pai/Filho, Dono/Escravo. Cada um escolhe a quem servir. Acho que o egoísmo leva a servir a si próprio. Na perspectiva cristã que eu acredito e vivo, eu sirvo a Jesus Cristo. O que você serve? Qual é o seu dono?
    Abração cara!!

  9. que doido Iago. Vc está em Londres e nos prestigiando?! bacana. Vc ta muito sumido! Volta pra BH? Bem, queria entrar na discussão. Acho q o Powell quis dizer com a frase do egoísmo é que não nos aceitamos, não nos perdoamos, a auto-estima é baixa e então como defesa somos egoístas. Veja que o egoísta por vezes é o mais competitivo. Não aceita perder. Quer ser sempre o primeiro. Mas há também o que não sabe compartilhar/dividir. A expressão pressupõe oferecer a alguem alguma coisa e tambem receber. Nem todos tem a postura humilde de receber. É que o egoísta não aceita que pode aprender com o outro.

    Quanto aos elogios, a razão advoga a seu favor. Será que devemos basear o conhecimento de nós mesmos através da imagem caricaturada que os outros tem de nós? Na verdade, importa tão-somente buscar a realidade. Sou assim, cheio de méritos e dificuldades. Dons e problemas. é o ser humanos. sobre o assunto acho que ajuda ler o post do guilherme: O PEQUENO TRATADO DA HUMILDADE. abraços!

  10. Gabana, valeu pelo seu comentário… Acho que vc definiu bem a questão…. Neste ponto acho que seria bom pensarmos o que essas coisas que vc escreveu tem a ver com a sua idéia inicial do post. Senão vamos divagar por diversas questões de outros assuntos. Essa pergunta que vc fez: “Será que devemos basear o conhecimento de nós mesmos através da imagem caricaturada que os outros tem de nós?” É fundamental. Muitas vezes nós mesmos passamos a ter uma visão caricaturada a respeito de nós. Receber elogios e críticas com sabedoria… Eis a questão.
    Um abraço!

  11. Marcelinho,

    E’ isso mesmo, egoismo e’ justamente servir a si proprio… Mas ao inves de dizer “servir a si proprio” talvez seja melhor dizer “buscar seus proprios interesses”, pois o egoismo e’ a antitese da servidao. Eu me considero dono de mim mesmo, o que significa dizer que nao tenho dono.

    Eu, como ateu, acredito que so’ existe uma vida, que e’ essa aqui e agora na Terra. Entao, ja’ que o meu tempo de existencia e’ limitado, acredito que qualquer ideologia que pede o sacrificio e a renuncia dos meus interesses aqui nao Terra e’ o maior mau possivel. Minha felicidade e’ um fim em si mesma, ela e’ o meu estado de consciencia quando eu atingi meus valores, a felicidade e’ um sentimento de orgulho de ter conquista aquilo que se buscava.

    Mas isso nao significa que eu nao tenha amigos e nao ame as pessoas, pelo contrario, meus amigos tem um valor enorme para mim pois eles muitas vezes me dao forcas para alcancar meus propositos na Terra.

    “Toda forma de felidade e’ uma, todo desejo e’ movido pelo mesmo motivo: a maior potencialidade da sua propria existencia. E cada conquista e’ uma expressao disso.” – Ayn Rand

    De toda forma, o egoismo racional e’ uma virtude nesse contexto. Muitas pessoas criticam o egoismo achando que ele significa fazer mau aos outros, mas nao e’ nada disso. Coloquei esse texto porque gostaria que voces tivessem essa perspectiva.

    Abraco,
    Iago.

  12. Dessa forma, vemos as coisas de forma diferente. Respeito a sua opinião. Acho que é melhor voltarmos para a discussão do post. Acho que em relação a este tema esgotamos o que dava para ser tratado neste espaço. Em um outro espaço talvez prossigamos o nosso debate. Um abraço!

  13. Só uma errata antes de voltar para a discussão do post.
    εγω (eu ) + ιστα (muito, de mais, exacerbado, principalmente) = εγωίστα (principalmente eu, eu exacerbado) -> É um superlativo do eu. Desculpem pelo engano… estava relendo e percebi o erro… mas a explicação e a comparação não são afetadas por esse deslize pois é o conceito que tinha em mente quando expliquei (superlativo do eu). Na verdade até faz mais sentido a explicação agora.
    Desculpem-me pelo transtorno…

  14. Vidi!
    Achei muito legal essa passagem do egoísmo que vc tirou do livro, muito interessante! Por “culpa” sua, ainda vou ler esse livro!! huahauhua
    Mas sobre uma coisa que você falou, se vc não acha as mesmas coisas sobre os outros, não tem a mesma opinião, não tem problema nenhum pensar isso e até falar (seeeee for o caso!), como nos exemplos que você disse… Vc não tem que ser igual aos outros!
    Quem é (= ?
    bjos!!

  15. Neste post eu falei sobre fazer elogios – não tanto sobre recebê-los (embora a soberba esteja relacionada a receber) e nada sobre “buscar elogios”.

    Certamente não posso dizer sobre experiências de outras pessoas mas quanto a mim, o que citei do livro era e ainda é verdade na minha vida. Quando sou egoísta frequentemente é por não confiar que Deus vai cuidar de tudo que eu realmente preciso (às vezes quero do que não necessito e que poderia me causar mal).

    Iago, os seus comentários enriquecem as ideias (veja que eu tenho acentos aqui no meu teclado, mas ideia não tem mais acento!) e são bem vindos, com ou sem acentos.

    Marcelinho, obrigado pelo interesse e pela dedicada participação. Obrigado também pela assessoria grega. Só de ver essas letras que eu uso em fórmulas físicas já é legal. XD

    Tati, Alê e =), fico feliz de ter contribuído em algo para vocês. Sei da luta que é elogiar/receber elogios, e isso é apenas um dos reflexos de inveja, humildade, orgulho, amor próprio, coisas que precisam ainda de serem transofrmadas na nossa natureza.

    =), me alegra em especial que você mesmo sendo tímido(a) (?), escreve seus comentários, você é em bem vindasso(a)indentificando-se ou não, mas quero te incentivar a se identificar, demorou? Mas fica livre!!

    Alê, quanto à frase do Sigmund, ela não foi escrita em português então tanto faz a tradução (hehe). Brinks, achei apenas a versão em inglês, o original deve ser em alemão, então concluí que não faria mal em fazer a minha própria tradução do inglês. Nesta língua, achei que ele falava de si mesmo.

  16. Vruvruzão, enquanto eu escrevia meu comentário que você escreveu o seu daí eu não tinha visto ainda, viu, mas você continua sendo muito especial.

    É que eu não esperava que você ia ser tão infantil mas então vamos lá, ah o livro, sim ele é muito legal… muito mesmo… não só este mas os outros que eu li dele também. Mas sei lá eu falo tanto que até eu enjôo (provavelmente este último acento foi banido) de ouvir. Quando você ler, me fala se você gostou e do que mais gostou, demorou?

    E quanto a opiniões divergentes, aquilo era mais para ilustrar, mas acho que eu emito minha opinião em horas que considero que devo sim. Mas obrigado!

    Bjs

    ps.:viu, um comentário só pra vc!

  17. Fala vidigas!! Muito legal o post cara! Particularmente tenho facilidade de elogiar as pessoas! Mas, ao mesmo tempo, vejo que faço elogios na maioria dase vezes, quiçá sempre, com pessoas que são próximas de mim, que tenho um afeto e carinho especial. Vejo que muitas vezes, pessoas com as quais não tenho muita afinidade, proximidade, e que são passíveis de elogios em diversase situaçãoes, não os recebem exatamente pela questão fraterna da coisa, ou seja, por não serem pessoas do meu círculo de amizades mais intensas. Portanto, digo a vocês que elogiem sempre! É algo muito legal reconhecer algo que o outro fez! Mas também ressalto o que o Marcelinho disse: “não pode cair para o lado da bajulação”. Quando se preocuparem com o orgulho das pessoas que pode se aguçar ao receberem elogios, lembrem também que muitas vezes o elogio terá um efeito muito melhor! Muitas vezes o elogio pode aumentar a auto-estima de alguém, animar a pessoa, etc. Não podemos no privar de elogiar e exaltar um feito de alguém pelo simples fato de que o efeito na pessoa pode ser ruim. Uma vez um amigo me disse que não gostava que eu o elogiasse. Nesses casos devemos é claro ter mais cautela ao elogiar, mas devemos conversar com a pessoa, tentar mostrar pra ela que precisa saber lidar com os elogios. sendo assim, devemos tomar mais cuidado ao elogiar esse tipo de pessoa, pois está claro pra você que um elogio recebido por ela, pode ter um efeito cont’rario ao desejado! Só registrando que esse é meu primeiro post no blog que começei a ler há uma semana! Parabéns a todos pela iniciativa! O blog é fantástico! Abraço a todos!

  18. Sensacional a discussão! Também estou gostando muito dessa. Li todos os posts e queria dizer que gostei muito dos comentários do Marcelinho e do Iago. Achei que os dois defenderam muito bem as idéias e chegaram em um ponto que realmente não tem como fecharem questão. Admiro e respeito muito a posição de ambos.

    Quanto à questão dos elogios, acho que elogios e críticas são coisas fundamentais (não me arrisco dizer que são as principais, mas pode ser que sejam) para o amadurecimento e a mudança de postura. Muitas vezes agimos e não sabemos ao certo o impacto dessa ação na vida de outras pessoas. Podemos magoar pessoas com palavras ou ações sem que saibamos disso. O inverso também acontece, e então, podemos fazer com que pessoas reflitam e cresçam com atitudes nossas.

    Acho que, uma vez que temos conhecimento do impacto de nossas atitudes (e/ou palavras) na vida das pessoas, podemos moldar nossas atitudes para trazer conforto e crescimento e não mágoa e destruição. Claro que, respeito se alguém disser que não tem interesse em fazer o bem desta maneira, mas falando por mim, é extremamente gratificante quando alguma coisa legal que fiz é reconhecida e eu vejo que foi útil pra vida de alguém. E por isso o elogio e a crítica são tão importantes. Afinal, de que outro modo eu teria conhecimento dos impactos que citei, se ninguém me falasse?

  19. Então, é bom ver as discussões de todos. Li este livro que vc cita há alguns anos atrás em uma fase de produndas mudanças em meu estilo de pensar. Na época até coloquei como meta amar incondicionalmente, logo depois descobri que amava para ser amado e era só mais uma troca. Uma das mudanças que fiz foi aceitar e ficar feliz com minha existência, o que me possibilitaria ver elogios de maneira melhor. Não consigo viver isto ainda, fico muito envergonhado ao ser elogiado. Mas foi bom porque a outra parte consegui desenvolver bem e hoje posso afirmar, até mesmo mais pra mim, mais ou menos assim: “sou feliz por sua existência e seu sucesso, parabéns!” Só fico envergonhado quando a pessoa me pergunta super feliz se eu gostei de algo e preciso responder que não, não gostei.
    Do seu post eu gostei muito, parabéns pelos temas tão pertinentes que você aborda!

  20. Muito bom mesmo Vidigal! Gostei, especialmente, da idéia de deixar o orgulho como uma preocupação de quem recebe o elogio. Tá, realmente, de parabéns.

  21. Muito boa a discussão desse post….
    Fala Iagão, nusss a quanto tempo não ouço falar de você, que bom que você está bem…XD

  22. Legal Vidigas, a responsabilidade sobre vigiar o coração é pessoal, creio que elogios não podem deixar de ser ditos! Penso em Jesus que elogiou pessoas: “nunca vi fé igual”,” servo bom e fiel” e aí vai!
    Abraço

  23. “O crisol é para a prata e o forno é para o ouro mas o que prova o homem são os elogios que recebe” Pv 27:21

    Li isso ontem e lembrei desse post

  24. Mandi, nuh esse versículo é simplesmente o resumo do post! Eu já tinha lido mas esquecera completamente! Obrigado pela contribuição! Bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *