Doadores de Vida

As aulas de sexta feira à tarde na faculdade sempre são as mais difíceis. Primeiro, pelo cansaço de uma semana inteira de muitas aulas, estágio, provas e trabalhos pra apresentar. Segundo porque as programações de sexta à noite com o grupo de jovens muitas vezes são tudo o que ocupa a nossa cabeça o dia todo – e alguns aqui sabem do que eu estou falando…

Na última sexta não teria sido diferente. Confesso que a caminho da faculdade meu único desejo era descobrir que a aula tinha sido desmarcada – o que não é muito incomum na faculdade. Mas a aula que eu teria nesse dia marcou o meu dia e me fez pensar e aprender pra uma VIDA inteira…

Era uma professora nova que daria uma aula breve naquele dia sobre comunicação terapêutica e a importância da escuta para uma assistência humanizada. Não foram muitos os professores que marcaram a minha vida; porém a forma como essa mulher ensinava não só com a experiência e o conhecimento que ela possuía, mas com a paixão que ela demonstrava ter pelo ser humano me emocionaram. Entusiasta, alegre e cheia de vida! Era tanto sorriso e alegria que não cabiam mais nela. Um brilho nos olhos que constrangia e fazia os nossos olhos brilharem também. Enquanto ensinava, de modo muito sutil e despretensioso ela testemunhava de sua convicção do amor de Deus, e os que me conhecem um pouco mais devem conseguir imaginar algumas lágrimas descendo pelo meu rosto enquanto ela falava. Saí da aula com uma certeza: eu estava mais VIVA quando saí do que quando cheguei.

Não são muitas as pessoas que têm em si essa capacidade de transmitir vida. Essa habilidade deveria ser mais comum entre os cristãos. No entanto nem sempre é o que acontece. Muitos de fora nos veem como pessoas travadas, rigorosas, culpadas e reprimidas – muito longe do que Jesus sonhou que fôssemos. “Eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente” (Jo 10:10). Por que é que a descrição que fazem de nós é exatamente contrária à que deveríamos ter? Por que não temos sido apaixonados, corajosos, entusiasmados e alegres a ponto de tornar a vida das pessoas ao nosso redor mais intensa?

“A glória de Deus é uma pessoa repleta de vida”. Foi o que disse Ireneu, um teólogo do segundo século. Alguns traduzem a Glória de Deus como a Presença única Dele. E tendo experimentado isso essa semana, eu concordo que não há nada que manifeste mais a Presença de Deus do que uma pessoa cheia de alegria de viver e paixão. De fato, se tivermos compreensão do amor e do zelo de Deus pela nossa vida, naturalmente nossa resposta será também amar e transmitir vida a quem nos rodeia.

Transmitir vida. Esse é o trabalho missionário mais simples e mais urgente a ser feito.

Quanta vida você tem transmitido no seu dia-a-dia e nas relações que você constrói? Qual descrição tem sido feita de você: um cristão travado e reprimido, ou um cristão doador de vida?

5 comentários sobre “Doadores de Vida

  1. Quelota!! Que texto lindo amiga. Que bom ler os seus textos aqui! Hehe parabéns miga, e obrigada pela reflexao. Beijinhooooos

  2. Que bom!! Reflexões são sempre muito positivas e extremamente necessárias….

    E Luliz, se tem algo que me faz refletir e aprender diariamente é conviver com vcs!!!!!

    fiquem com Deus
    beijoss

  3. É bom quando Deus nos surpreende e nos ensina com aquilo que fica marcado, Quel!

    Eu acho que imaginei os seus olhos repletos de lágrimas…

    Bjo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *