Disciplinas espirituais – #3 meditação

A meditação não surgiu no contexto cristão. Ela é praticada a milhares de anos e é parte da cultura de diversos povos, sobretudo do Oriente. Ela pode ser praticada sob duas modalidades: esvaziamento da mente, por um lado, e intensa concentração em um assunto, por outro.

Como cristãos ela é praticada na segunda modalidade – com a concentração em torno de algo como uma ideia, texto bíblico ou outra literatura cristã, por exemplo. De muito pensar e refletir pode-se chegar a uma profundidade que não se obteria pelo simples contato com aquilo que se medita. Não existe uma regra, assim como nas outras disciplinas, para sua prática. Depende muito da individualidade de cada um.

A meditação é importante para que consigamos aprender e tirar conclusões a respeito de algo e não simplesmente entender sobre o assunto.

Certa vez o Adilson Donatelli ia dar uma série de palestras num acampamento e o tema era “Jacó”. Em minha pouca idade na fé pensei que não havia tanta coisa a ser contada as respeito senão que ele era um fanfarrão. Grande engano o meu. O Adilson tirou ideias e ideias sobre relacionamento pessoal, com Deus, com os outros, familiar… Ele conseguiu descrever com tanto detalhe a vida de Jacó que consegui compreender muito da importância deste personagem bíblico para a formação de toda a doutrina cristã moderna. Percebi que ele havia gasto muito e muito tempo estudando e meditando em torno daquela história. O mesmo Adilson certa vez orientou o Edu, nosso amigo aqui do blog, sobre como se preparar para dar um estudo sobre o livro de Efésios. O Edu foi buscar conselho de quais livros e autores poderia estudar para preparar seu material. O conselho foi para que lesse o texto bíblico puro e simples por cinquenta vezes! O convite do Adilson era para que estudasse e meditasse mais, afinal o mesmo Espírito Santo que havia inspirado os famosos autores dos comentários bíblicos disponíveis no mercado também estava no Edu e com sua orientação e inspiração ele poderia descobrir coisas no texto de Efésios que nenhum dos comentaristas havia descoberto.

Nossa sociedade prega a necessidade de estarmos atarefados todo o tempo para sermos considerados pessoas importantes. Não há mais tempo livre entre uma atividade e outra. Não há tempo suficiente para ser dedicado a pensar muito em torno de algo. Se há o tempo ele é gasto nas redes sociais. Falo por mim, tenho muita dificuldade de meditar.

Nosso amigo aqui do blog Pablo Tadeu compartilha sua experiência com meditação: “Medito bastante! Geralmente com paisagens naturais tendo a ver muito a obra e a beleza de Deus. Trabalhar em alto mar e viajar muito me permite ver muita coisa da natureza. Medito nessas horas! Quando leio algo na Bíblia que mexe comigo, fico simplesmente parado e pensando no que li. Acontece muito também!”. Outro amigo, o Faell, também deixou sua opinião e uma sugestão: “Com uma Bíblia na mão… às vezes com livro… Faço minha leitura e medito nela. Pesquise ‘Exercícios Espirituais de Inácio de Loyola’ me ajudou muito a aprender um pouco mais”.

Convido você a compartilhar conosco o que pensa e como pratica a meditação. Qual a importância da meditação para você? Qual sua maior dificuldade em praticá-la?

Este post faz parte da série sobre disciplinas espirituais. Os outros dois posts já publicados podem ser acessados aqui: leitura e oração.

Forte abraço e até a próxima terça-feira.

Rafael Santtos

Sobre Rafael Santtos

Rafael Santos, Belo Horizonte, 18 de abril de 1984, cristão desde 2012, sonhador, aventureiro, sanguíneo, exortador. E deseja dividir um pouco do que pensa através do Outras Fronteiras.

2 comentários sobre “Disciplinas espirituais – #3 meditação

  1. Muito bom ter contato com as formas com que nossos amigos meditam! Dá para notar que todas as disciplinas são muito pessoais, e cada um vai desenvolver as faculdades mentais de uma maneira distinta e própria!! Fica o convite para que cada um compartilhe a maneira como pratica as disciplinas! Boa iniciativa Rafa! Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *