Davi e o cuidado de Deus

Você é cristão e vive triste diante da aparente falta de cuidado de Deus por você? Sei bem como é, também sou assim. Nas últimas semanas tenho lido com um pouco mais de atenção a história dos reis de Israel e a história de Davi tem me chamado a atenção.

Contextualizando, o povo de Israel formou-se e consolidou-se como nação após a saída do Egito e a ocupação da terra de Canaã. Até então só havia a promessa de Deus aos patriarcas de que seriam grandes os números dos seus descendentes. Foi na travessia do deserto entre o Egito e Canaã que Deus então fez um pacto com as famílias descendentes dos filhos de Israel.

Não havia um rei, como nas demais nações que habitavam a região. Isto pareceu estranho aos israelitas. Assim, eles pediram a Deus que lhes dessem uma organização política baseada na monarquia, tal qual a dos demais povos vizinhos. Deus, a contra gosto, cedeu ao pedido e nomeou Saul rei. Saul não agradou a Deus, que logo escolheu outra pessoa: Davi. Ele foi o rei mais famoso da história de Israel. Das suas muitas referências, o fato de ter o coração segundo o coração de Deus é, sem dúvida, a mais marcante.

Poderíamos descrever de diversas maneiras como era este coração de Davi. Quero tratar de uma em especial. Davi foi escolhido por Deus para ser o novo rei enquanto Saul ainda reinava sem questionamentos da população israelita. Israel estava em guerra contra outras nações sob o comando de Saul. Davi aparece como proeminente combatente ao derrotar o filisteu Golias. Saul, movido por inveja, passa a perseguir da Davi, que só tinha apoio num primeiro momento de um batalhão de desocupados que ele conseguiu formar e de reis inimigos de Israel, posteriormente. E Davi esteve foragido durante anos e anos por causa da perseguição gratuita de Saul.

Mesmo com a promessa do reinado, Davi sofre e sofre muito por causa de Saul. E este sofrimento é acompanhado em toda narrativa do livro de 1 Samuel pela fidelidade de Davi, não só ao rei, mas principalmente a Deus, já que ele entendia de forma clara que Deus havia colocado Saul no poder e ali o mantinha. Por duas vezes Davi teve a oportunidade de matar Saul e não o fez. E ainda se indignou com o jovem que levou a notícia da queda de Saul em batalha, querendo ganhar algo de Davi ao afirmar que fora ele quem o matara.

Vejo que Deus tem a promessa da vida em abundância para mim, aquela de João 10:10. Tenho plena convicção do poder soberano de Deus. Ainda assim, no entanto, sou impaciente e incrédulo diante da adversidade.

Com a leitura do início da história de Davi como o rei de Israel tenho refletido sobre como ele deve ter sofrido antes de assumir o reinado. Penso em quando teve que sair em fuga, avisado por seu amigo Jônatas de que seu pai Saul queria lhe matar. Imagine só o frio daquela noite, o quanto Davi estava sem rumo, como não tinha o que comer, como se sentia vulnerável sem armas, sem companhia. Talvez aí tenha escrito algum dos muitos belos salmos que conhecemos. Davi logo depois angariou seguidores. Ele bem poderia ter tentado tomar o poder das mãos de Saul na guerra, já que era melhor combatente que Saul e ainda tinha a promessa de Deus de que assumiria o reinado. Mas ele fez diferente, sofreu pacientemente o quanto sofreu e só no devido tempo se tornou rei de Israel.

Tenho passado por um momento de grande alegria. Nas minhas orações só tenho motivo para me envergonhar diante de Deus por ter desacreditado do seu amor e cuidado por mim, por ter vivido longe Dele, ter voltado a me aproximar, ter me afastado, ter voltado…

Aprendo uma lição com Davi, a de que apesar das circunstâncias não devo deixar de ter a certeza de que Deus reina absoluto e de que devo me portar sempre com esta certeza arraigada no meu coração, para ter força quando o momento for de chorar, e também na consciência, para conseguir tomar as decisões que forem necessárias nestes períodos de deserto na vida.

Oro hoje para ter um coração segundo o coração de Deus. Convido você para que se inspire em Davi e faça o mesmo. E oro para que até lá Deus lhe dê força para que continuemos firmes na batalha, assim como Davi esteve.

Abraço e até a próxima.

Rafael Santtos

Sobre Rafael Santtos

Rafael Santos, Belo Horizonte, 18 de abril de 1984, cristão desde 2012, sonhador, aventureiro, sanguíneo, exortador. E deseja dividir um pouco do que pensa através do Outras Fronteiras.

2 comentários sobre “Davi e o cuidado de Deus

  1. Curti muito, Rafa!

    Valeu demais pelo post… Tava precisando de me lembrar do cuidado de Deus!

    Bração!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *